CLXV
Textos sobre Metafísica
Visão e Ação

Existe uma dualidade e uma ordem de trabalho bastante interessante a ser seguida no que diz respeito ao Caminho Espiritual.
O Caminho, o Sendeiro da Grande Obra é um retorno as regiões mais sublimes e que depende de uma didática e um entendimento exato do que precisamos realizar.

Estes dias conversávamos com um irmão a respeito da Luz e da Força, e afirmávamos que precisamos de Luz para saber aonde aplicar a força e de força para não nos afastarmos do sendeiro e da guiatura da Luz. Isto tem muito a ver e está intimamente relacionado a Visão e a Ação.
Pois antes de receber a Força, precisamos encontrar a Luz. Um homem que receba o poder, a força, e não tenha Luz, certamente se tornaria um tirano, um malfeitor dos povos. Então primeiro precisamos de luz para saber aonde aplicar a força, e então sim, força para seguirmos na luz.

Não temos como aplicar esforços, decidir um caminho, ir adiante nesta senda, se não sabemos para onde temos de ir. Antes de haver a ação, no sentido de uma ação "consciente", necessitamos ter tido esta Visão, esta percepção espiritual do caminho.

Todo o trabalho do Chela, toda a ajuda que dá o Mestre, é exatamente para guiar o discípulo até esta Luz, até este Vazio Iluminador como é denominado pelo Budismo, isto é o que permite ao iniciado subir ainda que temporariamente esta montanha e de lá possa contemplar todo o caminho, tudo que tem de percorrer e então sim, baixa até os infernos, até as regiões mais terríveis e tenebrosas do cosmos, mas sabendo que este trajeto faz parte de seu caminho, pois assim viu em êxtase por meio de suas visões espirituais.

A Visão é necessária, este êxtase, esta percepção do todo, para que exatamente possamos saber aonde temos de chegar e então sim lutar para fazer vir até nos, permanentemente este estado e esta visão, por meio da força, pois já sabemos aonde tem fixado o nosso destino.


Esta ação que nos referimos claro não é a simples "prática", pois para termos esta VISÃO, precisamos ser práticos isto não é questão de teorias, ou de "rezar", muitas pessoas se acomodam rezando, rezando, como se não dependesse da ação delas o resultado. Não é por acaso que alguns Mestres em passados remotos se puseram contra os "rezadores", porque atribuíam a Deus tudo e nada faziam, e isto é equivocado. "A Deus rogando e com o malho dando" já diz o sábio ditado.

Temos de nos esforçar para eliminar de nosso interior a antítese da virtude e então sim por meio desta virtude experimentar o êxtase da VISÃO, e conhecer a realidade do passado e do futuro, dos infinitos segredos existentes nos cosmos e conhecendo todas estas causas e efeitos, atuar conscientemente até realizarmos e sermos um com a VERDADE.


Esta visão poderíamos traduzir como AUTÊNTICA SABEDORIA e esta ação fica facilmente traduzida como PODER.
Sabedoria e Poder, são o mesmo que Misericórdia e Justiça, pois a Misericórdia deriva-se da Sabedoria e a Justiça do Poder. Para que sejamos absolutamente justos, temos de primeiro encarnar a Sabedoria. Ninguém pode ser justo se primeiro não agiu misericordiosamente. Deus sempre dá muitas chances ao homem, a natureza não priva o homem de nada, ela tudo dá de bom grado a todo que semeia e nós antes de fecharmos uma porta, temos de deixa-la aberta.

"No dia da prosperidade goza do bem, mas no dia da adversidade considera; porque também Deus fez a este em oposição àquele, para que o homem nada descubra do que há de vir depois dele". - Eclesiastes 7:14

Isto da Visão e da Ação, vemos na prática que é o que ocorre no processo que denominamos Iniciações Menores ou "Sendeiro Probatório" e Iniciações Maiores ou a "Alta Iniciação". Porque todo este processo nas iniciações menores que são as primeiras provações que passa o candidato, serve para ele desenvolver este senso da Visão, conhecer a realidade de tudo que terá de repetir nas iniciações maiores, já que é como uma recapitulação mas em outro nível.
Estas nove provas de iniciações menores, que passa o candidato, servem para desenvolver nele as virtudes e os dons necessários para tornar-se de certa forma Consciente, e então sim possa atuar por meio desta AÇÃO que logo iremos traduzir de forma clara.

Terminando as iniciações menores, o candidato já tem em si todo o potencial de VISÃO necessário para chegar ao êxtase perfeito e iluminar-se a si mesmo no caminho, tornando-se um novo candidato sério aos Mistérios Maiores.
A AÇÃO se traduz exatamente com os Mistérios Sexuais, pois é quando há atividade, desenvolvemos o Poder, realmente realizamos ações reais no que diz respeito ao regresso as regiões superiores e o domínio do oculto.
Nas iniciações menores, não há diferença "iniciática" se formos ver, pois como seu Kundalini encontra-se enroscado e encerrado ainda no cóccix, este não é um iniciado no sentido real do caminho, isto só passa a ter validade nos Templos de Mistérios quando realmente este passa a AÇÃO que é a conquista de cada uma destas vértebras.

Claro que esta primeira VISÃO passa a ser ampliada e aperfeiçoada por meio da AÇÃO. Pode se dizer em outras palavras que o que é primeiramente opaco e ligeiro, torna-se claro e permanente.


No caminho é muito natural que tenhamos épocas de VISÕES internas, de consciência, e outras aonde isto não acontece, pois precisamos trabalhar nestas trevas e realmente dissipá-las para que somente reine a luz em nosso interior. A Visão é para sabermos que não estamos realmente perdidos, e entender que rumos tomar, e as trevas são o impulso para mostrar que se não AGIMOS, realmente ficaremos perdidos.

06/04/14