CLXV
Textos sobre Metafísica
Karma Superior, o Karma do Esoterista

Existem muitas leis que regem a atual humanidade, claro que muitas delas não regem apenas a humanidade mas todo o existente.
Desconhecer estas leis, não significa estar isento de cobrança, ainda que as desconhecendo isto sempre é levado em consideração na aplicação do Karma.

O Karma é uma lei de ação e consequência, toda má ação, todo erro, todo equivoco no que seja relativo a estas Leis, converte-se em Karma que é uma Dívida que passamos a ter com a Lei Divina e este é um dos motivos da vida infeliz que muitos levam.
Quanto mais más ações fazemos, mais karma temos por pagar, e normalmente a humanidade paga por estes delitos com dor e sofrimento.

Muitas pessoas que buscam o caminho ignoram que a sabedoria modifica o tipo de Karma que recebemos. O Karma da pessoa comum é um, o Karma do esoterista, já é outro. Conhecer as leis, conhecer as consequências de suas ações e ainda assim cometer o delito, é algo grave.
Bem sabemos que os Deuses e os Homens que detem certa sabedoria e certo poder, são regidos por um tipo de Karma Superior, o Kamaduro, este tipo de criatura que cometa certos delitos vem a ser regido de forma severa pelas leis do Karma. O Kamaduro, este Karma Superior não pode ser negociado nem mesmo perdoado, o que nos coloca em uma situação difícil, e por ele ser ainda mais severo do que o da pessoa comum.

Não é difícil compreender o porque desta diferente cobrança entre uma pessoa e outra, é só estudar as atuais leis da humanidade, que limitam a idade que uma pessoa pode responder por seus atos, exatamente por entender que "ela não sabe ainda o que está fazendo". No esoterismo esta idade esotérica que é exatamente o nível de sabedoria e de poder que tem um indivíduo é o que faz a lei recair para ele de forma mais severa, pois já é um adulto frente a Lei Divina e por este motivo responde plenamente perante a Lei de Deus.


Todos nós já vimos na terra pessoas que mesmo sendo muito más, muito danosas aos demais, aparentemente levam uma boa vida, não sofrem enfermidades, seus bens permanecem incólumes, e isto poderia aparentar em uma falha da Lei do Karma, mas é algo que podemos facilmente explicar.
Primeiramente o Karma é uma forma da Divindade demonstrar a seu filho, o homem (a humanidade) que este está equivocado e por acreditar nele, por ter esperança que ele arrependa-se, então demonstra por meio do Karma seus erros. Há pessoas que a Divindade já abriu mão, que realmente não há remédio, e fazê-lo sofrer em vida já não resulta frutífero. Mais valeria pagar em vida por estes Karmas do que após o desencarne aonde a dor e o sofrimento são multiplicados aos milhares no Tártaro (inferno). Em fim, há um ditado que citam os Mestres e é bastante assertivo neste aspecto: "Deus somente repreende ao filho bem amado".

A Divindade não teria porque cobrar pelo Karma de quem não quer pagar, aquelas ovelhas desgarradas que vivem no delito e pelo delito, pois em grande parte das vezes já não escutam os apelos da Divindade Interior.
Entenda, cada um é livre para fazer o que quiser, "Faz o que queiras, esta é a única lei" dizem sabiamente alguns Mestres, temos realmente o livre arbítrio, mas há um complemento interessante a esta primeira frase que diz: "Mas de todos os teus atos, há de prestar contas", e isto é exatamente o Karma. Nem todo karma é cobrado em vida, ou na atual existência, por isto muitas pessoas sentem-se injustiçadas por problemas que tenham e na verdade já trazem esta consequência que veio originária de ações realizadas em outras existências.

E o interessante no Karma é que nós não somente recebemos Karma pelo mal que fazemos, mas também pelo bem que podemos fazer, e deixamos de fazer. É algo que nos traz muita reflexão isto, porque quantas vezes no nosso dia a dia, deixamos de fazer estas "boas ações" por conta de nosso egoísmo.

A Verdade é que não temos porque julgar a ninguém, como já dissemos, cada um é livre para fazer o que queira neste mundo, todos receberam o dom do livre arbítrio, é a própria Divindade quem há de julgar ou até mesmo perdoar a cada uma destas Almas...

Toda unidade tem seu karma específico. Existe um Karma relativo a pessoa, outro relativo ao casal, que apesar de serem dois, unem-se em matrimônio então tornam-se um casal, uma nova unidade. A Própria Família tem um Karma de tipo familiar pois tornam-se um por estes laços que tem.
A Própria cidade, o país, o mundo, toda unidade colhe karmas específicos pelo que fazemos em conjunto.

A Pessoa, se formos estudar, ela é uma unidade mas dentro dela há diferentes órgãos, sistemas, e se um falha, paga o todo, sofre o todo.
Assim o delito que em conjunto fazemos na sociedade, em uma cidade por exemplo, pagamos da mesma maneira.


Estas informações de forma alguma são para alimentar medo ou terror nas pessoas, isto são fatos, são realmente fórmulas matemáticas que ao conhecê-las, aprendemos a viver de uma maneira mais digna e mais verdadeira dentro dos impulsos do espírito e por isto fazemos questão de expor e de ensinar.

Este é um dos motivos das ditas "Escolas de Mistério", exatamente para que ao não entregar-se esta sabedoria indiscriminadamente, não estejamos expondo as pessoas a mais Karmas do que lhe é possível suportar.


Os Karmas comuns, grande parte dos karmas, podemos pagar com boas ações, toda ação construtiva, livre de egoísmo, de interesse e que se converta em algo realmente benéfico, pois pode servir para anular por erros que tenhamos cometido. Tudo é uma matemática, se cometemos um erro e recebemos um -2 (KARMA), se fazemos um "acerto", uma boa ação e por este recebemos +2 (DHARMA), o resultado é pois que anulou-se aquele delito.

Mas o real problema não é apenas pagar por nossos erros, é aprender a deixar de cometê-los, pois poderíamos fazer centenas de milhares de boas ações, mas se continuássemos a gerar Karma indefinidamente, de nada serviria tudo isto. São nossos defeitos de tipo psicológico que nos impulsionam ao delito, eliminando estes delitos por meio da compreensão e da súplica a Divina Mãe, podemos eliminá-los e inclusive libertarmos do NÊMESIS do Kamaduro, afinal se o que cometeu o delito deixou de existir, deixou de existir o delito. Eliminando a origem eliminando a consequência, eliminando o Eu que comete o delito, eliminamos seu karma correspondente.

"Os adivinhadores e consultores, profetas e sábios podem profetizar sobre o Destino ou Karma de alguém, mas poderão acertar ou errar. Acerta-se quando o Karma não foi perdoado. Falha o adivinho ou consultor quando o Karma foi negociado ou perdoado." - Pistis Sophia Desvelada, Samael aun Weor

 

12/02/14