CLXV
Textos sobre Outros
Outros informes sobre o Símbolo CLXV
Parte 3

Neste ultimo sábado, dia 16, estávamos imaginando e vendo algumas coisas, e nos demos conta de um talvez possível erro da parte humana.
Vimos como ocorreu a progressão do Símbolo CLXV no decorrer das cinco raças que já tivemos e ficamos preocupados por haver desvelado o símbolo completo, estando ainda na quinta raça.

Pedimos a permissão do Ser para o estudo mais detalhado do tema e uma orientação a respeito se houve algum delito.

De imediato já soubemos que não houve delito e pudemos ver a progressão do símbolo no decorrer das eras de forma objetiva.

O Éden é o sexo, Éden é voluptuosidade, porque se refere ao impulso sexual.
Saímos do éden pelo sexo e retornamos ao éden pela porta sexual.


O Que vimos, o que ELE nos permitiu ver, foi a própria força sexual atuando no decorrer de cada raça e o símbolo que o representava.


Na primeira raça o ato sexual, ou melhor, a reprodução era por modo fissíparo, em outras palavras divisão celular.
Por isto se simbolizava pelo Santo Oito, e somente pelo Santo Oito este primeiro sistema de reprodução, pois no instante da divisão celular, surgiam dois idênticos de um só Pai-Mãe. Não haviam sexos e por isto não existiam polaridades ou atração, somente a unidade que em sua totalidade por ser Pai-Mãe, dividia-se dando origem a um novo Ser. De um faziam-se dois idênticos, por isto o 8 que é a imagem que capta o momento desta divisão da unidade em dois.


A Segunda Raça reproduzia-se por brotação (Esporos), a dualidade já se fazia evidente pois assim como nos vegetais que reproduzem-se por brotação, vemos que já há a expressão masculina e feminina atuando ainda que permaneçam Andrógenos (hermafroditas), como na primeira raça.
O "IO" ou "10" representa exatamente a dualidade sexual ainda que unida em um só corpo. A Própria brotação é simbolizada pelo "10", pois do grande vem um extrato aonde se expressa a nova vida.. um grande, um pequeno. O Zero como Matriz do Um.
É o Adão-Eva (1-0), antes da extração simbólica de Eva da costela de Adão.


A Terceira Raça reproduziu-se por gemação, ainda andrógenos mas uma verdadeira mescla das duas formas anteriores de reprodução, pois uma célula-ovo era a fonte da nova vida e apesar de que os órgãos sexuais não fossem evidentes, já estavam em processo de desenvolvimento.
Por isto o 180 (IAO), pois o óvulo recebia um zoosperma e disto dava-se a nova vida, mas dentro de uma só criatura, sem a necessidade do encontro de dois seres, como hoje conhecemos. Um único indivíduo hermafrodita ao mesmo tempo que gerava o óvulo e o fecundava, dando origem a uma nova criatura.

No final da Terceira Raça, dividiram-se os sexos, Surgiram o Homem e a Mulher, por consequência o Falo e o Útero para sua reprodução. Ou seja, este foi o método da Quarta Raça.
Isto certamente foi representado pelo 1 0 e 6 9. Pois o Homem e a Mulher (1 e 0) faziam uso de suas particularidades reprodutivas (6 e 9, Falo e Útero)para a reprodução, mas passaram a necessitar e a depender de um complemento de gênero.
O 6 representa o falo pois é ativo e as gônadas vão atrás do falo. Já na mulher é o inverso, o canal conduz até o útero simbolizado pelo 9.

Então que o Símbolo CLXV é o símbolo da vida e do doador de vida. Representação do Éden e da força sexual em cada uma dos momentos que já viveu este planeta.


Na Quinta Raça ocorre algo especial, pois surge o primeiro para complementar o quarto. Vejam que até a sua quinta manifestação, o oito aparece e desaparece, intercalando suas expressões até que se faz permanente na Quinta Raça.

O Quatro é a Cruz, o cinco é o Cristo em seu martírio, seu sacrifício, seu nascimento para a vida eterna. Mas mais que isto, é quando ele vai ao Abismo para integrar-se com sua contra parte já purificada.

8
10
180
1690
16890
1568920
7156892034


Se Entrega a Sétima expressão do Símbolo na Quinta Raça, porque já não haverá mais segredos a partir de agora.
Isto é como na iniciação quando uma Alma que já realizou a Obra em outras existências levanta a Quinta Serpente, ela está pronta para viver os processos de Oitava de Maiores, porque a Sexta Iniciação de Mistérios Maiores e a Sétima Iniciação de Mistérios Maiores que correspondem a Alma Divina e ao Ser, não se realizam novamente, porque estes não caem. Assim é com o símbolo, no Quinto estamos prontos para o Sétimo.

"A primeira raça foi devorada pelos tigres da sabedoria, pois era uma raça imortal. A segunda raça foi arrasada por fortes furacões. A terceira raça converteu-se em pássaros e a quarta em homens peixes, e a quinta em bodes." - O Matrimônio Perfeito, Samael Aun Weor.


Recordemos que o Símbolo dos Guardiões da atual humanidade é o Santo Oito, a Sagrada Ordem do Tibet, tem por símbolo máximo o Santo Oito, isto porque regem e guiam esta evolução planetária, desde antes da primeira raça (simbolizada pelo Santo Oito, 8).


Este símbolo também rege a evolução animal, pois nos minerais a força sexual se representa pelo 8.
Nos vegetais a força sexual é representada pelo 10.
Em alguns vegetais e em alguns animais de transição pelo 180.
Nos animais, em geral, a força sexual é representada pelo 1690.
No reino humano a força sexual é representada pelo 16890.

No caso do Reino Humano este oito surge como a Inteligência Divina se expressando e nascendo desde a força sexual. Em outras palavras o Hermafrodita Divino, o Ser, realizando-se pelo sexo. O Pai-Mãe surgindo desde o quaternário (Homem-Mulher e Falo-Útero, Yod-He Vau-He).


Estava observando a questão que havíamos exposto de que na Terceira vez que nos auto-realizamos, recebemos o Símbolo CLXV e na verdade estava equivocado, porque isto se dá na mesma progressão desta evolução natural das raças e até das mônadas como Almas (anima) por meio dos reinos (mineral, vegetal, animal, humano, etc...).

Então que o Símbolo CLXV como o expomos (16890) na Auto-realização surge na Quinta vez que realizamos a Obra . O Símbolo final quando se cumpre com o sétimo sacrifício (em abandonar a felicidade do Absoluto e retornar a ele novamente, passando pela amargura da existência como a conhecemos hoje).
Então que estas chaves, estes símbolos correspondem a regiões internas do próprio Absoluto. Existem sete câmaras dentro do Absoluto, sendo uma dita impenetrável pelos próprios Deuses.

É Interessante dizer isto porque o Ser não baixa a sétima vez, e disto surge o 7 acima e o 3 4 abaixo.
Do 1 ao 5 o incremento é um. Do 5 ao 6 o incremento é dois, do 6 ao 7 o incremento é três.


"Portanto guardareis o sábado, porque santo é para vós; aquele que o profanar certamente morrerá; porque qualquer que nele fizer alguma obra, aquela alma será eliminada do meio do seu povo.
Seis dias se trabalhará, porém o sétimo dia é o sábado do descanso, santo ao SENHOR; qualquer que no dia do sábado fizer algum trabalho, certamente morrerá.
Guardarão, pois, o sábado os filhos de Israel, celebrando-o nas suas gerações por aliança perpétua.
Entre mim e os filhos de Israel será um sinal para sempre; porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, e ao sétimo dia descansou, e restaurou-se.
"
Êxodo 31:14-17

"Todo o Gênesis está relacionado com a Grande Obra. O Primeiro dia do Gênesis corresponde ao trabalho no abismo e ao primeiro Selo do Apocalipse. O Segundo dia do Gênesis, corresponde ao trabalho com as águas, o corpo Vital. O Terceiro dia do Gênesis corresponde ao Astral. O Quarto dia do Gênesis, ao Mental. O Quinto dia, ao Causal. O Sexto dia do gênesis corresponde ao sexto Selo do Apocalipse, ao Búdhico ou intuicional. Logo, o sétimo selo, é o sétimo dia da criação, é o dia de descanso. O Trabalho se faz nos seis dias ou períodos de tempo, ao sétimo há descanso e ao oitavo vem a ressurreição do Senhor. De maneira que o Gênesis e o Apocalipse se complementam." - A Pedra Filosofal e o Segredo dos Alquimistas, Samael Aun Weor

"Moloch subiu as 3 montanhas seis vezes, cada vez que a sobe é mais poderoso, o ritual diz: -’A Ave Fênix cada vez que ressuscita dentre suas próprias cinzas, é mais poderosa que antes’, diz outro: ‘Não o ignoramos mas o preço é demasiado elevado’. Porque em cada caída se sofre muito, então chegou Moloch até a sexta e cada vez que subia as três montanhas, entrava em um absoluto maior que este de nossa galáxia, e quando subiu a sexta vez, parou e olhou além e viu um absoluto, lá, e disse, porque isto? Os Deuses lhe disseram pois esse é o Absoluto aonde está o PURSHUA, disse Moloch: -’Pois eu vou para lá’, e lhe responderam - ‘Lá não pode ir ninguém’. Disse Moloch: -’Porém porque não posso ir, se já conheço estes outros Absolutos, porque não posso ir lá?’, -’Necessitarias um poder que ninguém pode ter.’, então disse: ‘Eu sim vou ter este poder ainda que tenha que dissolver a pedra sete vezes.’, ia atirar (a pedra filosofal na água) para quando retornasse a se levantar ir ao Absoluto do PURSHUA." - A Origem do Monastério Lumen de Lumine, V.M. Lakhsmi Daimon

"E ensinava no sábado, numa das sinagogas.
E eis que estava ali uma mulher que tinha um espírito de enfermidade, havia já dezoito anos; e andava curvada, e não podia de modo algum endireitar-se.
E, vendo-a Jesus, chamou-a a si, e disse-lhe: Mulher, estás livre da tua enfermidade.
E pôs as mãos sobre ela, e logo se endireitou, e glorificava a Deus.
E, tomando a palavra o príncipe da sinagoga, indignado porque Jesus curava no sábado, disse à multidão: Seis dias há em que é mister trabalhar; nestes, pois, vinde para serdes curados, e não no dia de sábado.
Respondeu-lhe, porém, o Senhor, e disse: Hipócrita, no sábado não desprende da manjedoura cada um de vós o seu boi, ou jumento, e não o leva a beber?
E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha presa?
E, dizendo ele isto, todos os seus adversários ficaram envergonhados, e todo o povo se alegrava por todas as coisas gloriosas que eram feitas por ele.
"
Lucas 13:10-17

"Naquele tempo passou Jesus pelas searas, em um sábado; e os seus discípulos, tendo fome, começaram a colher espigas, e a comer.
E os fariseus, vendo isto, disseram-lhe: Eis que os teus discípulos fazem o que não é lícito fazer num sábado.
Ele, porém, lhes disse: Não tendes lido o que fez Davi, quando teve fome, ele e os que com ele estavam?
Como entrou na casa de Deus, e comeu os pães da proposição, que não lhe era lícito comer, nem aos que com ele estavam, mas só aos sacerdotes?
Ou não tendes lido na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa?
Pois eu vos digo que está aqui quem é maior do que o templo.
Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes.
Porque o Filho do homem até do sábado é Senhor.
"
Mateus 12:1-8

"E, havendo aberto o sétimo selo, fez-se silêncio no céu quase por meia hora.
E vi os sete anjos, que estavam diante de Deus, e foram-lhes dadas sete trombetas.
E veio outro anjo, e pôs-se junto ao altar, tendo um incensário de ouro; e foi-lhe dado muito incenso, para o pôr com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro, que está diante do trono.
E a fumaça do incenso subiu com as orações dos santos desde a mão do anjo até diante de Deus.
E o anjo tomou o incensário, e o encheu do fogo do altar, e o lançou sobre a terra; e houve depois vozes, e trovões, e relâmpagos e terremotos.
E os sete anjos, que tinham as sete trombetas, prepararam-se para tocá-las.
"
Apocalipse 8:1-6

Hoje dizemos claramente que o Símbolo CLXV é o quinto selo e está desvelado, e o livro aberto, ao final da quinta raça. Não seria possível este julgamento final, sem que fossem entregues os sete selos e por consequência os sete anjos pudessem atuar tocando suas sete trombetas, anunciando o final de um tempo.
Recordemos que assim como estes Símbolos são a representação da força sexual em cada uma das sete raças, dentro de nós a Bendita Mãe Kundalini, por meio do fogo sexual, abre estes sete selos do Apocalipse por meio da energia sexual.

"Sucedeu então que, quando os discípulos ouviram Jesus pronunciar estas palavras, cederam, completamente desanimados.
Então, Maria Magdalena, adiantou-se arrojando-se aos pés de Jesus, beijou-os e lamentando-se disse:
'Tem misericórdia de mim Senhor, porque os meus irmãos, ao escutar as palavras que pronunciaste, desanimaram.
Portanto, meu Senhor, relativamente à Gnose de todas as coisas que expressaste a fim de que eles estejam no Mistério do Inefável, ouvi que me disseste:
«De agora em diante iniciarei os Meus sermões convosco, sobre a Gnose Total do Mistério do Inefável». Estas palavras que pronunciaste ante nós, não as mencionaste para que sejam completadas.
Por este motivo, os meus irmãos escutaram e não compreenderam o modo como lhes falaste.
Relativamente às palavras que pronunciaste, meu Senhor!
Se a Gnose de tudo isto está nesse Mistério, onde está o Homem que está no Mundo e tem a capacidade de entender este Mistério em toda a sua Gnose e o símbolo de todas essas palavras que espressaste?
" - Pistis Sophia

Pois o símbolo CLXV foi a desvelação do que faltava ser desvelado no que diz respeito a Pistis Sophia, já havia sido profetizado que seria desvelada em metade da metade do tempo, pois se resume em uma palavra e cinco números.

Até então havia se dado a explicação mas não a chave para entender o Mistério, com o Símbolo entregamos a chave para que cada um verifique por si mesmo o Mistério.

Paz Inverencial!

18/03/13

A Pistis Sophia são os manuscritos de todos estes diálogos que teve o Mestre Jesus com seus discípulos, durante onze anos depois de sua ressurreição na páscoa.

"Agora, portanto, Bem-Aventurado é aquele que encontrou as Palavras do Primeiro Espaço que está Fora porque será um Deus que encontrou estas Palavras dos Mistérios do Segundo Espaço que está no Meio. E é um Salvador e um Incontido que encontrou as Palavras dos Mistérios do Terceiro Espaço que está Dentro e sobressairá mais do que o Universo e os que estão no Terceiro Espaço, porque encontrou o Mistério em que eles estão e no qual permanecem. Portanto ele é como eles... Esse Homem encontrou as Palavras destes Mistérios na Verdade Divina, é o Primeiro na Verdade e é como Ele (o Primeiro, o Inefável) porque através dessas Palavras e Mistérios ... e o Universo em si mesmo, permanece por causa do Primeiro. Por esta razão, o que encontrou as Palavras desses Mistérios é como o Primeiro porque é a Gnose da Gnose do Inefável em relação ao que falámos no dia de Hoje.” - Pistis Sophia

Existem três tipos de belezas, a divina, a material e a abismal. em outras palavras a beleza Crística, a beleza Luciférica e a beleza Demoníaca.

A Beleza Crística é algo que se manifesta como expressão do amor, da sabedoria, do respeito, enfim das virtudes e de tudo que é espiritual e divino.
A Beleza Luciféria é a beleza física como a conhecemos, uma beleza, um atrativo natural que dá a toda criatura certo encanto de tipo sexual que lhe permite tornar-se agradável à reprodução.
A Beleza Demoníaca é a perversão ou a sombra desta beleza Luciférica, aonde o encanto torna-se fatal e não é uma beleza meramente natural, mas incrementada por forças tenebrosas, desde larvas (energias corrompidas) dentre outros artifícios externos.

Esta segunda força, este impulso sexual, é o que permite com que possamos desenvolver totalmente a beleza Crística, porque precisamos passar por um segundo nascimento, e todo nascimento se baseia na força sexual.
Esta segunda força corrompida ou usada de maneira negativa, é o que se converte em uma força demoníaca e berço de todas as atrocidades e maldades que conhecemos.


Estes três níveis e estas três expressões desta mesma força, não são mais do que um reflexo da luz passando por diferentes regiões do cosmos.
Existe uma beleza crística de tipo inocente e uma beleza crística auto-consciente, que é esta que buscamos e que encarnamos por meio da Grande Obra.


"'E todo o Homem que encontre a Palavra do Inefável - Amén vos digo: os Homens que conheçam essa Palavra, conhecerão a Gnose de todos estes Ensinamentos que vos tenho dado. Os Ensinamentos que estão em baixo e os que estão em cima, os que se estendem para diante e para os lados, numa palavra, todo o Homem conhecerá a Gnose de todos estes Ensinamentos que vos dei e dos que ainda não vos falei mas de que vos falarei, Região por Região e Ordem por Ordem na expansão do Universo.'" - Pistis Sophia

A Maior sabedoria do universo é conhecer a fórmula única e o principio único de aonde tudo foi gerado. Quem conheça a fórmula primordial, conhecerá por analogia todos os mistérios de todas as regiões, porque tudo foi criado deste este principio único e por consequência todas as portas, todas as regiões, todos os conhecimentos lhe são acessíveis.

Tudo que já foi dito e tudo que será dito, se resume em uma única palavra e em um único mistério que é e sempre será o mesmo, porque é a pedra fundamental de tudo que conhecemos e de tudo que ainda virá a existir.

"'E Amén vos digo: eles conhecerão de que forma o Mundo está estabelecido e conhecerão de que forma todos Aqueles da Altura estão estabelecidos e conhecerão de que terra surgiu o Universo.'
Quando o Salvador disse isto, Maria Magdalena adiantou-se e disse: 'Meu Senhor, tem paciência e não Te desgostes comigo se Te interrogo sobre todas as coisas com exactidão e certeza. Portanto, meu Senhor, é então outra a Palavra do Mistério do Inefável e outra a Palavra de «Toda» a Gnose?'
O Salvador respondeu dizendo-lhe: 'Sim. Outro é o Mistério do Inefável e outra a Palavra de «Toda» a Gnose '.
E Maria acrescentou, dizendo ao Salvador: 'Meu Senhor, tem paciência se Te interrogo e não Te desgostes comigo. Portanto, meu Senhor, a menos que Vivamos e Conheçamos a Gnose da Palavra Íntegra do Inefável, não seremos capazes de herdar o Reino da Luz?'
E o Salvador respondeu dizendo a Maria: 'Seguramente, cada um que receba um Mistério do Reino da Luz, irá e herdará até à Região na qual recebeu Mistérios. Porém, não conhecerá a Gnose do Universo e porque é que tudo isto surgiu a menos que conheça a Una e Única Palavra do Inefável que é a Gnose do Universo.
E de novo vos digo abertamente: «Eu sou a Gnose do Universo».
E, além disso, é impossível conhecer a Una e Única Palavra da Gnose, a menos que primeiro se receba o Mistério do Inefável. Mas todos os que receberem os Mistérios na Luz irão e herdarão até à Região na qual receberam Mistérios.'
'Por esta razão vos disse anteriormente: «O que tenha Fé num Profeta receberá a recompensa de um Profeta e o que tenha Fé num Homem Justo, receberá a recompensa de um Homem Justo». Quer dizer, cada um irá até à Região na qual recebeu Mistérios. O que receba um Mistério Menor, herdará um Mistério Menor e o que receber um Mistério Maior, herdará as Regiões Mais Altas.
E cada um morará na sua Região na Luz do Meu Reino e cada um terá Poder sobre as Ordens que estão abaixo dele, mas não terá o poder de ir às Ordens que estão acima. Morará na Região da Herança da Luz do Meu Reino, sendo uma grande e desmesurada Luz para os Deuses e todos os Invisíveis e estará em grande júbilo e grande regozijo.'
'Agora, portanto, escutai com atenção, porque posso falar-vos da grandeza d’Aqueles que receberam os «Mistérios» do Primeiro Mistério.'
" - Pistis Sophia

Nos diz o Salvador: "Seguramente, cada um que receba um Mistério do Reino da Luz, irá e herdará até à Região na qual recebeu Mistérios. Porém, não conhecerá a Gnose do Universo e porque é que tudo isto surgiu a menos que conheça a Una e Única Palavra do Inefável que é a Gnose do Universo." e ainda complementa "E, além disso, é impossível conhecer a Una e Única Palavra da Gnose, a menos que primeiro se receba o Mistério do Inefável.".

Necessitamos encontrar e compreender o Mistério do Inefável e posteriormente a Única Palavra de toda a Gnose, com isto teremos acesso e conheceremos todos os mistérios da Luz e teremos acesso a todas as regiões da Luz.

Os Discípulos do salvador tiveram fé no salvador e por consequência tiveram parte com ele em seu reino. Seu reino é a região de onde ele discorre sobre os mistérios.
Quem acredite em um mistério e no profeta que trouxe este mistério, receberá sua recompensa referente a seu mistério.

Se os Veneráveis Mestres, se estes Santos Mestres não nos instruíssem nestes Mistérios, jamais penetraríamos nesta luz incriada, nunca poderíamos romper esta película sem uma ajuda interna de quem já esteve lá.


A Salvação só tornou-se possível porque o Cristo em sua misericórdia abdicou de sua felicidade e de sua perfeição e baixou ao mundo, desdobrando-se e fracionando-se para salvar-nos, para estar conosco.

Somente com os mistérios do Pai, olhando com os olhos do Pai, compreenderemos os Mistérios do Cristo e do Espírito Santo, da vida e do doador de vida.


Paz Inverencial!

01/04/13

Como faço algumas vezes, ontem a noite abri ao acaso a Pistis Sophia para buscar um tema para que pudesse submeter a meditação.

A Página em questão continha o seguinte:

"NOTA DE UM ESCRIBA

'Agora, estes são os Nomes que Eu darei desde o Porvir sem limites. Escrevei-os como um símbolo e que daqui em diante sejam revelados aos Filhos de Deus.

Este é o Nome do Imortal: AAA, 000 e este é o Nome da Voz pela qual o Homem Perfeito se pôs em movimento: I I I . E estas são as interpretações dos Nomes destes Mistérios: do primeiro (Nome) que é AAA, a sua interpretação é FFF; do segundo cujo Nome é MMM, ou melhor 000, a sua interpretação é AAA; do terceiro que é PsPsPs, a sua interpretação é 000; do quarto que é FFF, a sua interpretação é NNN; do quinto que é DDD, a sua interpretação é AAA.

Aquele que está no Trono é AAA.

Esta é a interpretação do segundo: AAAA, AAAA, AAAA.

Esta é a interpretação do Nome Completo.'"

Já havia claro lido este trecho muitas vezes, inclusive claro entendia a relação disto com o Símbolo CLXV, teoricamente, porque na prática, em um primeiro momento, pareceu algo de impossível compreensão.

A Meditação é a forma de submetermos qualquer questão a nossa Consciência, a nosso Ser e realmente perceber esta realidade do ponto de vista do Espírito.

Intelectualmente não existe solução para este enigma, mas nós já temos a chave, só precisávamos da capacidade de entendimento que tem o Espírito.


Na meditação ao nos concentrarmos nestas palavras tivemos um prelúdio de muitas coisas, vimos alguns símbolos como o próprio ANK Egípcio, alguns mistérios do I. A .O., dentre outras compreensões que foram como um avanço gradual para o entendimento da questão.

"Escrevei-os como um símbolo e que daqui em diante sejam revelados aos Filhos de Deus."

Bem, isto já foi feito porque é o Símbolo CLXV, mas aqui expressa um outro sentido, porque é o mesmo, mas em diferentes regiões, assume diferentes formas.
Este formato numeral é o mais espiritual que podemos representar, sem pensamentos, sem sentimentos, sem vontades, apenas a energia e o significado exato, matemático da vida livre em seu movimento.

"Este é o Nome do Imortal: AAA, 000 e este é o Nome da Voz pela qual o Homem Perfeito se pôs em movimento: I I I"

A Imortalidade, a vida eterna, não como matéria mas acima de tudo como vida espiritual imperecível, depende antes de mais nada do domínio da corrente sexual.
O Desperdício da vida no homem, é o que conduz a sua morte e decrepitude.
O A é o mesmo 8, que em potência significa o material que liga o 1 e o 0, o I e o O.

Então que este AAA, reduzimos a A, que é o 8, ou o impulso sexual.

O "0" é a matriz ou a força feminina, negativa. Claro que este O se refere aqui ao domínio da natureza inferior, e a utilização do impulso sexual para a desintegração do erro e do engano em nós, do obstinado (o ego).

O Nome da Voz pelo qual o Homem Perfeito se pôs em Movimento, ser o I, é porque o I representa o Ser, o A a Alma e o O a Pessoa.
Então é claro que a cabeça de todos estes trabalhos é o Espírito e é o que faz fecundo nosso trabalho como Pessoas ou como Almas.

Isto de se utilizar três vezes a mesma letra, é porque se refere a trindade e aos três espaços do mistério, que é a outra forma de representar o símbolo 165 ou CLXV que é conhecido como a interpretação do segundo ou AAAA pois é o Ser, a Alma e a pessoa integradas, ou seja, a auto-realização.

"E estas são as interpretações dos Nomes destes Mistérios: do primeiro (Nome) que é AAA, a sua interpretação é FFF; do segundo cujo Nome é MMM, ou melhor 000, a sua interpretação é AAA; do terceiro que é PsPsPs, a sua interpretação é 000; do quarto que é FFF, a sua interpretação é NNN; do quinto que é DDD, a sua interpretação é AAA."

A Compreensão da Pistis Sophia, em sua expressão mais espiritual depende da chave que já entregamos que é o Símbolo CLXV.

I = 1;
A = 8;
O = 0.

Para que entendam o que vimos, vamos tentar transformar estas informações textuais em algo mais matemático.
Vamos reduzir as três letras a uma e agrupá-las de acordo as informações que dá a Pistis Sophia:
!º A = F;
2º M ou O = A;
3º PS = O;
4º F = N;
5º D = A.

São cinco, assim como o Símbolo CLXV tem cinco dígitos (16890).

O A sabemos é o assento de tudo, porque é a Alma, é a ligação entre o espírito e a matéria, é o coração de tudo, então é o ponto central do Símbolo de que nos fala Pistis Sophia.

O F vimos equivaler ao 6 pois é o primeiro, é o ascendente.

O Segundo diz M ou O = A. O é o Zero e fica claro abaixo, o M fica ligado ao O e o A, então é o 9.

O Terceiro diz PS = O, no Símbolo CLXV completo o único local que tem dois numerais juntos é exatamente esta posição abaixo do 0 que representa as regiões Abismais, os Kliphos, então ali encontramos o PS, tal qual descreve Pistis Sophia (3 4).

O Quarto, F = N, é a progressão do F, ou o Sol (5).

O Quinto diz D = A, e compreendemos que claro só restando uma posição possível é a Lua (2 ou 5 invertido).

"Aquele que está no Trono é AAA."

O Trono é a Alma, o Ser é quem deve expressar-se por meio da Alma, quando perfeito, é o AAAA que é a completa integração da Matéria-Alma-Espírito.
A Perfeição dos três, dá origem ao quarto.

Algo que percebemos nesta meditação em relação a estes mistérios que ali estavam expressos nestas palavras, foi uma relação da questão dos Corpos internos e o Símbolo.

O Físico e o Vital sabemos estão na Base, na parte mais inferior do que é o todo. Físico e Vital são duas seções de uma mesma coisa, são um. 0

Astral e Mental são o próximo nível espiritual, são a ligação que temos com a Vontade que é aonde se manifesta e se expressa a Alma. 9

O Causal é o ponto central de tudo, porque é o ponto matemático que serve entre Ligação da matéria com o Espírito e do Espírito com a Matéria, é o Trono aonde senta o Ser para governar a Terra que são os corpos inferiores. 8

O Búdico é a Alma Divina, a Walkiria, nossa Consciência que é por onde se manifesta o Ser para expressar-se na Alma Humana. 6
A Pessoa chega ao Ser por meio de um Emocional Superior e um Intelecto Superior, o Ser chega a pessoa por meio da Consciência.

Estes dois esforços, se cristalizam como Alma, como este elo permanente entre o Ser e o Saber.
Poderíamos dizer que o Ser chega a pessoa pela Consciência e a pessoa chega ao Ser por meio da Alma, não está incorreto, já que nós temos como pessoas que conquistar a Alma, mas a Alma é mais um resultado destes dois esforços do que um caminho para se chegar ao Ser.

Quando Esta Alma está pronta, se unem estes princípios e temos na parte Espiritual o 168 (15) que é a união do Íntimo da Consciência e da Vontade, se expressando pelo quaternário inferior representado pelo 9 e 0..

03/04/13

Esta noite passada após uma meditação sobre questões do dia a dia, tomamos de nossa cabeceira uma das Pirâmides de Abraxas e passamos a observar alguns detalhes da pirâmide, como que tentando intuir alguma informação a mais de sua natureza espiritual.

A Pirâmide de Abraxas, é uma composição do Quadrado Mágico de Saturno (Quadrado de constante 15), com O Triângulo Mágico de Abraxas (Triângulo de constante 15), e o Símbolo CLXV.

Mas em resumo, nos chamou muita atenção o Quadrado Mágico de Saturno, e observamos que removendo o 5 central, a soma dos extremos dá sempre 10, que são estes complementos Homem-Mulher, Dia-Noite, Vida-Morte, dentre tantas dualidades possíveis.

Logo iniciando pelo 5, fizemos uma seqüência de números, que posteriormente fomos entender o significado e a relação com o Símbolo CLXV:

 

 


Tivemos então a seqüência 56, 18, 34, 92 e 7.
O Motivo da escolha do 5, é por ser o número central desta equação mágica. O 6, foi um instinto espiritual que nos dizia ser o próximo, mas por lógica formal podemos dizer que é porque 6 é a continuidade do cinco.

Observando esta seqüência que se gerou, a partir do Quadrado Mágico relacionado ao Planeta Saturno, logo vimos e percebemos objetivamente sua relação com o Símbolo CLXV.

A Seqüência 56 são os números que ficam a esquerda, 18 na parte central-superior, o 34 na parte inferior, o 92 na direita, e o 7 como coroa, acima de tudo isto.

23/04/05


Já havia algum tempo que não escrevíamos nada novo sobre o Símbolo CLXV, não porque não tivemos experiências internas, seja no Astral ou em Meditações, mas porque acabam sendo questões que guardamos para explicar em um momento oportuno. Há algum tempo vimos a propagação do Absoluto gerando os Sephirotes, que são as esferas, os Aeons, e percebíamos exatamente que o que víamos estávamos vendo de cima, algo bastante diferente do que normalmente é apresentado nos diagramas que se referem aos Sefirotes da Kabala.

Nisto podemos afirmar que o 6 e o 9, são esta espiral de criação e de destruição do próprio Absoluto. e que o 1 e o 0, são a dualidade magnética que faz o universo e as esferas expandirem-se e reduzirem-se a unidade imanifestada.

Outra coisa que hoje nos demos conta, devido a uma experiência que tivemos em Corpo Astral, é que de certa forma (uma das formas), a Trindade está representada no Símbolo CLXV da seguinte maneira:
10 - Pai;
8 - Filho;
69 - Espírito Santo.

Aos que entendem um pouco o assunto, vão recordar de Ram-IO (A Mãe Divina), e que o Pai absoluto não é considerado uma divindade masculina mas um Pai-Mãe, por isto IO.
A Força da criação é exatamente a Paixão. O Espírito Santo é o anunciador da Vida e também da Morte.

O Seis representa o amor, o Nove representa o sexo (o impulso sexual). A Força do Terceiro Logos é uma mescla entre o impulso sexual e o amor, em seu sentido mais elevado, o que denominamos Paixão.
Não a Paixão dos boêmios ou dos casais apaixonados, mas a Paixão que tem o Cristo quando realiza seus trabalhos de auto-sacrifício, em sua Obra.

A Mescla do 6 e do 9, do Amor e do Sexo, dá a origem a Paixão em sua forma superior. Recordemos que o Drama Crístico do Gólgota é chamado "A Paixão de Cristo".


O Filho é esta mescla, esta união da força do Primeiro Logos e da força do Terceiro logos, é o que une e o que Mescla o Pai com o Espírito Santo, o Cristo, o 8.


Mas na verdade nada disto é o que hoje temos para contar, o que temos para contar foi uma vivência, uma visão, um local que visitamos internamente quando utilizando nossos Veículos internos, estes corpos que permitem mover-nos pelas regiões internas da natureza quando do repouso do corpo físico.

Estivemos em um templo, uma cidade se preferir o leitor, o local aonde os Mestres escolhem que caminho vão tomar, aonde escolhem um dos Sete Sendeiros.
Quando o Mestre chega a Quinta Iniciação de Mistérios Maiores ele deve escolher uma destas sendas, e isto se faz neste Templo.

Estávamos na parte mais superior da cidade, muros maciços de pedra, realmente muito altos cercavam aquele templo. Estávamos em frente a muralha, dentro do templo, na parte mais alta da cidade, aonde normalmente os Mestres escolhem entre o Caminho Reto (do Serviço) e alguma das outras duas sendas Espirais. Só existe uma caminho reto, os demais são espiralados.

Havia comigo pelo menos mais um personagem e estava observando que havia uma escadaria a direita que permitia subir aqueles gigantescos muros, ela fazia curvas e achei bastante intrigante aquilo.
Estava nesta posição central, e olhando a esquerda vi uma outra escada que parecia invertida a forma de ascensão, e logo me faltaram palavras e disse: "Elas parecem... elas parecem..." e me faltou palavras por um breve instante para definir as duas formas. Logo afirmei "O número 5 e o número 2."

E era isto mesmo, as duas escadarias contrárias cada uma em suas idas e vindas ascendendo a muralha, representavam a espiral ascendente relativas a da esquerda ao número 5, e a da direita ao número 2.

Fiquei encantado com a descoberta e desde aquela região, entendi aonde estava, e que aquele templo, e aqueles muros e aquelas escadas, formavam exatamente o Símbolo CLXV e as escolhas que cabe a cada (ao Ser) um fazer em sua ascensão.

Logo o personagem que estava comigo disse muito enfaticamente: - "Este é o verdadeiro muro das lamentações."
Aquelas palavras fizeram para mim um sentido que talvez poucas palavras nos mundos internos nos tocaram tanto. Eu estava frente aos muros do Templo de Salomão, na parte interna do pátio do templo.

Ao longe podia se ver algumas pessoas subindo a escada do caminho espiralado.
Claro que tive o ímpeto de investigar aquele belo lugar e olhar mais de perto uma das escadas, a título de conhecimento.
Fui em direção a escada que correspondia ao numeral 5, e havia enfeites que brotavam água, e ao me aproximar da escada para olhar com mais cuidado... em minha direção veio um grande leão todo de pedra, o rosto era de uma dama. A Cor daquele divino personagem era cinza como o chumbo ou como a cinza dos vulcões.
O Leão veio muito rapidamente se aproximar, claro que não tinha tal criatura nenhuma postura como de ataque, nem por sua movimentação nem de sua face, mas frente a tão terrivelmente divina energia que brotava daquele belo espécime, no físico meu corpo simplesmente teve um reflexo involuntário e literalmente caí da cama e fui parar no chão do quarto. Nisto fiquei um tempo parado enquanto minha esposa agitada e preocupada questionava o que tinha acontecido, já que nunca havia caído da cama. Fiquei em silêncio e busquei trazer todas as recordações possíveis e detalhes, ao tomar o telefone para olhar as horas, eram pouco mais de cinco horas da manhã. Tive que fazer as anotações para que não se perdesse nada do ocorrido, e nisto perdi o sono e a possibilidade de lá imediatamente retornar, mas após um bom tempo de meditação tivemos outros progressos em outro sentido.

14/06/13


Seguidamente nos deparamos com pessoas que não conseguem comprovar os ensinamentos, e ao mesmo tempo vemos que são pessoas que querem sair em astral consciente, mas que não querem meditar, que não querem fazer o trabalho psicológico de maneira correta.
No caminho há muitos que tornaram-se intelectuais, e que conhecem as palavras do ensinamento mas não os viveram, e ficam nisto, como se fosse assim o caminho.

A Meditação é a primeira forma que temos de comprovar estes ensinamentos e de observar o mundo do ponto de vista que tem a Consciência e o Ser. Muitas pessoas não conseguem sucesso em suas práticas, porque tem o coração atrofiado, em seu sentido espiritual, e com a meditação restauramos estes poderes do cárdias.

Há os que meditem para criar um estado propício para saírem em astral, e há os que saiam em astral para meditar lá nos mundos internos. Se em nosso dia a dia, aprendemos a cultivar este estado reflexivo, integrado com a consciência, naturalmente nos mundos internos vamos replicar estes estados de consciência.

Meditar no físico, meditar no astral, meditar no mental, no causal, são ações completamente diferentes e cujo resultado é sempre distinto, de acordo com a região que nos encontramos.
Recomendamos ao leitor, quando saia em corpo astral de maneira consciente, ou que dê-se conta de que está em meio à uma projeção astral, que lá desde as regiões superiores da natureza, replique estes estados meditativos, exatamente para exercer uma consciência superior a que tem acesso quando no mundo físico.


Há questões muito simples na vida, mas se às submetemos à análise da consciência, vemos uma sabedoria verdadeiramente matemática atuando em tudo.

Quando surge uma idéia, esta idéia provoca uma afirmação, a afirmação exige uma prova (em outras palavras uma antítese), e disto chegamos ao resultado ou à síntese.
Se existe um Plano, este plano gera uma ação, esta ação provoca uma reação, desta matemática entre estas duas forças temos um resultado.


Isto é um ciclo que temos visto ocorrer desde a aurora dos tempos e que diariamente se repete, das mais improváveis maneiras que poderíamos imaginar.

Toda idéia é dupla, assim como toda ação é dupla. O Principio sempre é inocente e dual, até que surja como ação (pensamento, ou o que seja), e seja provado dentro de seu propósito, então pode ele chegar a uma síntese do que é sua realidade ou sua natureza final.

Isto podemos dar um exemplo na Obra como as virtudes, elas a princípio são inocentes, ao se afirmarem, surgem suas antíteses que são os defeitos, este às aprisionam, sa provam, as testam, e do resultado desta luta temos o resultado que pode ser uma Alma Branca, uma Alma Negra ou o retorno à inocência (devido ao fracasso em cristalizar algo).


Se observarmos a força do Sol, ela se manifesta como Calor [0] e Luz [1]. A Progressão do calor para tornar-se luz, gera a eletricidade [6]; A Progressão do da luz para o calor, gera o magnetismo [9].
O Som [8] é a base e o eixo central desta roda que coordena estas sutilizações e materializações desta força primordial. O Sol sabemos é apenas uma das muitas manifestações deste princípio universal.

02/07/13

"As Três Forças são: Santo Afirmar, Santo Negar e Santo Conciliar; Pai, Filho, Espírito Santo; Força Positiva, Força Negativa, Força Neutra. Quando estas Três Forças fluem em distintas direcções não podem realizar criação alguma. Para que surja uma nova criação estas Três Forças Primárias devem reunir-se num ponto único." - Pistis Sophia Desvelada

No Símbolo CLXV (16890), o que vemos é exatamente isto, as três forças primárias, Pai (1 - Santo Afirmar), Filho (8 - Santo Conciliar) e Espírito Santo (0 - Santo Negar), devidamente integrados.
A Criação, o resultado da união destes três princípios é o 69 (15).

"O Ancião dos Dias é a Primeira Actividade da Manifestação e Movimento, é um estado de puro sobrevir. O Cristo, o Logos é o Segundo Primordial resplandecendo no Cinturão Zodiacal. Do Logos surge a Serpente que morde a sua cauda com a boca, é o Terceiro Primordial. Os Três Amens são as Três Forças Primordiais da Natureza e do Cosmos." - Pistis Sophia Desvelada

"Enquanto diziam isto e se inclinavam até ao solo naquele tempo, na nona hora da manhã, os céus abriram-se e viram Jesus descer, resplandecendo excessivamente de tal modo que não havia medida para a Luz que o rodeava. Não obstante, resplandeceu mais radiantemente que no momento em que havia ascendido aos céus, para que os homens sobre a Terra não pudessem descrever a Luz que o possuía e lançou raios de Luz em grande abundância e não havia medida para descrever os seus raios e a sua Luz junta não era igual, mas sim de diversas classes e diversos tipos, alguns raios mais salientes que outros... e toda a Luz junta se harmonizava. Era de tripla classe e cada uma sobressaía mais ante a outra... a segunda que estava no meio era mais saliente que a primeira que estava em baixo e a terceira que estava por cima das outras era mais saliente que as duas que estavam por baixo. E a Primeira Glória, a qual foi colocada por debaixo de todas as outras parecia-se com a Luz que havia resplandecido com Jesus antes da sua Ascensão aos Céus e via-se a si mesma como em sua própria Luz. E as Três Formas de Luz eram de diversos tipos e de diversas classes, uma mais saliente que a outra..." - Pistis Sophia Desvelada

O Cristo, após sua ressurreição, apresenta sua luz da seguinte forma:
- "Toda a Luz junta se harmonizava"; 16890 São complementos perfeitos.
- "Era de tripla classe e cada uma sobressaía mais ante a outra"; Nenhum dos elementos se repetem.
- "A segunda que estava no meio era mais saliente que a primeira que estava em baixo"; Saliências são desníveis, em baixo fica o zero que é redondo e não tem saliências. No meio, acima disto fica o 8, que é mais saliente que o 0.
- "A terceira que estava por cima das outras era mais saliente que as duas que estavam por baixo"; O Número 1, dentre os três, é o que tem mais saliências, por seu ângulo não arredondado.
- "E a Primeira Glória, a qual foi colocada por debaixo de todas as outras parecia-se com a Luz que havia resplandecido com Jesus antes da sua Ascensão aos Céus e via-se a si mesma como em sua própria Luz". A Primeira glória se refere ao 69 (15), pois é a força que há de integrar-se antes da ascensão.


"O Cristo Íntimo vitorioso é o Cristo Vermelho.
O Cristo Revolucionário, o Cristo Rebelde, faz estremecer todas as Potências do Bem e do Mal.
O Cristo Vermelho nunca poderia ser compreendido pelas Potências do Bem e do Mal.
Todos os Poderes do Céu se agitam e se põem em movimento, uns contra os outros, ante os estranhos procedimentos do Logos Revolucionário.
Na realidade, todos os Seres, todos os Aeons e todas as Regiões da Árvore da Vida e as suas Ordens se agitam ante o Cristo Vermelho.
O Cristo Vermelho é o Cristo que trabalhou na Forja Acesa de Vulcano, o Cristo Íntimo Salvador, o Cristo que saiu vitorioso na hora da tentação, o Cristo que expulsou os mercadores do Templo Interior, o Cristo que matou os infiéis, o Cristo vestido com a Púrpura dos Reis.
" - Pistis Sophia Desvelada

04/07/13


Hoje o 1 e o 0, estão muito presentes e são bem compreendidos como forças duais de ação e repouso, de atração e de repulsa, ligado e desligado, dentre tantas possibilidades que representam.

Se tomamos o 1 como a ação, e o 0 como a não ação, ou repouso. Teremos o 8 como a força referente a ação, o 6 como o processo de início da ação, e o 9, como o retorno ao repouso... dentre outras possibilidades, dependendo do referente ao que estejamos explicando.

Se tomamos nosso posicionamento, simbolizado pelo oito (8), em dada região da cidade, estamos em estado 0 ao estarmos parados, ao iniciar o movimento, passamos pelo ciclo do 6, que é a indicação de troca de estado entre repouso e movimento. Neste ponto chegamos ao 1, que é o movimento acontecendo.
Ao desacelerarmos para retornar ao repouso, passamos pelo 9, que é a transição entre movimento e repouso.

O número 8, em relação ao símbolo, neste caso refere-se ao posicionamento, já que o movimento é o que nos impulsiona à outros pontos de referência, outras regiões.

Muitas das tecnologias que hoje temos, cogitam alguns pesquisadores, tiveram origem em equipamentos encontrados em destroços de veículos extraterrestres.


Algo interessante que aqueles que se aprofundaram mais na área de informática sabem, é que tudo que vemos acontecendo nos computadores, tem por base o numeral 1 e 0.
Todas as letras, números, todas as imagens, programas, em sua base são 1 e 0. O Computador em seu nível mais baixo de processamento, ele só reconhece os sinais ligado e desligado. É a forma como se transmite as informações. Seja por luz, seja por eletricidade ou magnetismo, a transmissão se dá desta maneira.

Quando a força flui nos dois sentidos, temos Ligado (1), Desligado (0), Enviando (6) e Recebendo (9). A Eletricidade, o Magnetismo, a Luz, até mesmo o calor, são os métodos de envio (8) da informação. Mesmo na força em seu estado mecânico, podemos aplicar este conceito.
Dentro de um único envio, vamos encontrar o Emissor (6) como força ativa, o Receptor (9) como força negativa, o meio (8) como principio neutro. O Meio é o método e por onde corre este sinal. O Sinal transmitido teremos neste caso como Ligado (1) e Desligado (0).


São coisas muito simples e muito óbvias, e que se compreendemos, temos condições de entender melhor não apenas a tecnologia humana, mas que foi utilizada em outras raças, e que ainda é utilizada fora de nosso orbe terrestre.

Claro que nossa tecnologia é muito mal usada, chegando a Loja Branca afirmar que a tecnologia tornou-se o próprio anti-cristo.
Seja quando cria armas, seja quando alimenta a maldade humana por meio destes divertimentos insanos.

As pessoas já não tem tempo para si mesmas, para sua Divindade Interior. Vivem adormecidos, sonhando com a vida, devido a estes sistemas criados para este fim, um entretenimento negativo.


Dentro ainda do mesmo símbolo, podemos afirmar que com este símbolo, por meio do que ele ensina, do sentido que ele direciona, podemos nos projetar em astral, conscientemente.

Se estudamos o mantram FA RA ON, veremos que o que ele representa é exatamente as forças que estamos aqui relatando e relacionando com este símbolo:
"IDÁ é masculino e PINGALÁ é feminino. Aqui estão os sustenidos e bemóis do Grande FA que ressoa na natureza, “FA”... corresponde aos átomos solares, “RA” aos átomos lunares., “ON” ao fogo flamígero que ascende pelo canal Central. É necessário aprender a pulsar esse sustenidos e bemóis com o poderoso Mantram FARAON para sair em Corpo ASTRAL consciente e positivamente. Com o mantram destes sustenidos e bemóis podemos sair em corpo ASTRAL. No Egito, quando o iniciado recebia as Asas Ígneas, era condecorado no Templo com um par de asas que se fixavam na túnica na altura do coração." - O Matrimônio Perfeito, Samael Aun Weor.

Ou seja, FA (1), RA (0), ON (8). Logo o Mestre ainda comenta das asas ígneas, representando exatamente o 69 (15).

08/07/13

Ontem um amigo nos enviou algumas figuras antigas que eram usadas nas primeiras edições do livro As Três Montanhas, e isto nos trouxe muitas reflexões e percepções.
Havia uma imagem que em especial nos dedicamos a investigar e estudar que é referente ao Capítulo 29 (Os Nove Graus de Maestria).
Ali havia um eneagrama, uma figura de nove pontas, aonde cada uma destas pontas tinha um número.

Em síntese Eneagrama é uma figura geométrica de nove pontas.
Alguns irão confundir este eneagrama com outro de base 9 (9, 8+1, 7+2, 6+3, 5+4), mas não é o caso, basta observar com clareza e vamos ver que os números estão dispostos de uma forma distinta e que os traços deste eneagrama são na verdade três triângulos distintos.

 

Então temos em cada triângulo:
1 2 3, 4 5 6 e 7 8 9;

1 + 2 + 3 = 6;
4 + 5 + 6 = 15;
7 + 8 + 9 = 24.

É Interessante esta composição de números, porque o Símbolo CLXV significa 165, e o 6 é o resultado da união do 1 e do 5.
24, é a soma dos números que conformam o Símbolo CLXV (1+6+8+9+0 = 24);

Mas nesta forma como estão dispostos os números, qualquer ângulo que somemos, utilizando o centro (5) na soma, dará 15:
1+5+9 = 15;
4+5+6 = 15;
7+5+2 = 15.

Se tomamos o livro no Capítulo XXIV do As Três Montanhas, que é aonde está inserida esta imagem, vamos encontrar exatamente um tema que já tratamos ao desvelar o símbolo CLXV, que é o processo da Morte de Hiram Habiff (do Cristo pelos três Traidores, Judas, Pilatos e Caifás) e destes processos de Segunda Montanha em busca dos traidores (O DRAGÃO NEGRO);

Esta peregrinação dos nove Mestres em três grupos de três, nos recorda muito este Eneagrama. É Claro que esta peregrinação é o que faz o iniciado e tem por consequência a culminação como a ressurreição, ao final da peregrinação por estas nove esferas planetárias (Lua, Mercúrio, Vênus, Sol, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno;

22/08/13