zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
Conduta Gregária

Desde os mais remotos tempos de nossa história, temos visto centenas de acontecimentos que marcaram muito seriamente a história de muitos povos e nações.
Nos referimos a grandes acontecimentos causados e produzidos pelas grandes massas, o povo. O Povo como conjunto de indivíduos atua de forma muito produtiva e eficiente no que se diz trazer algum resultado ou efetuar alguma ação, pois quanto maior a massa, maior a força que produz, seja em resistência ou ação.
Estes grandes eventos dos quais falamos, se processam em menor nível em nossas vidas, quando estamos com nossos colegas, nossos vizinhos, amigos ou familiares.
Algo que experimentamos sem sombra de dúvida, é aquele fato bastante peculiar, de que uma pessoa canta uma canção, uma música qualquer, e sem mais esperar as demais pessoas mental ou fisicamente ficam com tal música gravada,"tocando" em sua mente ou até mesmo por sua boca. Isto muitas das vezes que ocorre sequer é percebido pelas mesmas, tal é o seu adormecimento conscientivo.
Vemos com isto que repetimos o que os outros fazem, mesmo sem haver um propósito ou entendimento a respeito do fato ou ação. Há pessoas que gostam da musica e outras que não gostam, mas em síntese, na maioria das vezes, ambas cantam a canção.
Ocorre também o fato, que na solidão de nosso lar, ou qualquer outro lugar que estejamos sozinhos, não fazemos uma série de ações ou fatos, por acreditarmos serem inconvenientes ou desnecessários. Porém quando de companhia de outras pessoas, nos sentimos estimulados e até empolgados em realizar tal ou qual façanha.
Vemos nas ruas que se um rapaz passa por uma moça, pode até admirar sua beleza, mas comumente segue seu caminho em silêncio; no máximo faz algo para chamar sua atenção, mas sem extremismos. A mesma ocasião, porém com dois ou mais rapazes, poderia resultar uma situação bastante desagradável para a moça, pois piadas, risos e demais questões não faltam em tão infeliz situação.
Acontece que as pessoas quando unidas de outras, se fortalecem, seja em virtudes ou em defeitos. Por tal motivo existem diversas instituições que buscam beneficiar ou prejudicar a Humanidade. São associações, pois ficam mais fortes quando há mais pessoas.
Estas ações quando em grupo, esta conduta gregária, ocorre pela associação interna que existe entre as mesmas. Estas pessoas se unem por uma afinidade de tipo conscientivo, psicológica, emocional, instintiva, sexual ou motora. E do tipo de união ou enlace que haja, surgirá o tipo de ação que vai ser gerada.
Verdadeiramente não conseguimos nestes instantes esquecer tão velho ditado que diz: "Diga-me com quem anda e te direi quem és!", certamente este sábio ensinamento vale para todos nós. Se andamos com ladrões, mentirosos, assassinos, drogados, etc.., não nos resta outra escolha senão verificar dentro de nós mesmos, o que nos liga a estas pessoas, pois certamente carregamos algo que nos atrai até elas.
Claro que podemos e devemos ajudar a todas as pessoas que encontramos em nosso caminho, porém que não seja uma desculpa para estar metido em tantos erros, pois infelizmente ocorre uma nivelação de tipo psicológica, e isto pode nos levar a alguma infeliz associação com defeitos que a outra pessoa tenha.
Quanto a imitação, ou simples repetição de ação, palavra ou sentimento que tenhamos visto ou sentido de outra pessoa, é também questão que devemos compreender.
Se queremos nos relacionar sabiamente, e ajudar as demais pessoas, precisamos ensinar com nosso exemplo, tanto em palavras, ações, sentimentos e pensamentos. Não é porque não falamos ou não fazemos algo, que as outras pessoas não sintam isto.
Quando nos relacionamos com outras pessoas, existe uma troca de energias, que permite que ajudemos ela ou que prejudiquemos a mesma, tudo depende do estado interior que nos encontramos, e que certamente vai se repercutir na parte externa e no mundo que nos rodeia.
Concluímos enfatizando o postulado de conquistarmos nossa individualidade, com o propósito de que possamos estar em meio a qualquer pessoa ou situação, sem que nada nos retire do estado conscientivo e anímico em que nos encontramos. Fazendo assim de nós, homens e mulheres donos de nossas ações, donos de nossos estados internos, capazes de vencer qualquer circunstância externa que se apresente.

11/09/05