zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
O Que devemos Ser

Nosso dia a dia é certamente um mistério o qual ainda com toda certeza estamos muito longe de desvendar. Há tantos aspectos na vida, que sequer os observamos realmente, para poder ter um mínimo entendimento acerca de sua natureza.

Nós todos em geral simplesmente vivemos a vida, passamos ao longo da existência realizando diversas coisas aleatórias que no final das contas, muito pouco ou nada, agrega a experiência que deveríamos adquirir ao longo destas existências que nos correspondem no atual reino em que vivemos.
Não sabemos porque aqui estamos no mundo, nem qual é o sentido desta existência e o fato de não buscar cumprir com este desígnio íntimo, faz com que estejamos trilhando inutilmente caminhos que não nos conduzem a avanços espirituais que são os que principalmente carregamos ao longo destas existências e o que faz sentido realizarmos na vida, já que o restante se perde, perece, é destruído muito rapidamente, até mesmo o corpo e as coisas da personalidade.

É Claro que não podemos ir a extremos negativos, perder a sensibilidade pelas coisas humanas e materiais que são na verdade a base para estas realizações espirituais, mas não podemos cair na plena materialidade e viver unicamente da matéria e pela matéria, coisa tão comum pelos dias atuais, mesmo no que se trata da Espiritualidade, aonde muitos utilizam os temas Espirituais negativamente para obter coisas materiais como influência, poder, dinheiro, etc.


Mas algo que a todos nós muito interessa saber, e que poucas pessoas realmente lograram compreender e trilhar, é a compreensão do que é nosso destino.
Inevitavelmente se estamos no mundo, viemos até aqui para algo realizar, nada surge por nada, as plantas tem sua função, assim como os minerais e as pessoas também tem suas realizações sejam a nível geral, seja a nível individual.
E não necessariamente estamos falando de grandes coisas, como alguns imaginam... mas sim o que sem fantasias cabe a cada um realizar, cumprir ao longo de sua existência temporal a qual hoje nos encontramos.

Há muitas questões que certamente temos extremamente mal resolvidas na vida, sejam estes aspectos familiares, sejam estes aspectos profissionais, sociais e mesmo religiosos.
Nós muito comumente por debilidades psicológicas nos afastamos de responsabilidades familiares, de nossa profissão de vocação, de realizações sociais que caberia a nós realizamos e por diversas vezes ingressamos em errôneos sistemas religiosos os quais não correspondem a nossa natureza e até mesmo a uma atual representação concreta como forma de reintegrar-nos a Divindade.

Assim que a vida do indivíduo torna-se um verdadeiro caos, uma soma de erros, confusões e delitos que vão somando-se dia a dia, seja por não cumprir sua responsabilidade no mundo, seja por atrasar o desenvolvimento daquilo que levamos no mais profundo de nós mesmos, nossa realidade transcendente, nosso Ser, nosso Íntimo.
A Profissão tem uma força muito grande em nossa vida, porque deveria ser algo que realmente temos a profunda vocação em realizar, e não ser algo que nos aborrece, ou que não temos capacidade de realizar ou mesmo fazemos apenas pelo dinheiro.
Nós temos claro escolhas, e cada um recebe seja materialmente, seja espiritualmente, de acordo com suas escolhas, e nós por diversas vezes, seja por ignorância, por falta de atenção, por falta de interesse, por uma cobiça, um egoísmo, uma inveja, trilhamos caminhos que não nos correspondem, e isto cria um problema muito grande para nós mesmos, para os demais e para a humanidade.
Imaginamos que uma pessoa tenha a vocação Judicial, mas que por uma questão de entender que poderia ter mais recursos, por um estímulo familiar, por circunstâncias em geral, opta pela pela Medicina.
Além de tornar-se um mal médico, ele tira o espaço que correspondia a alguém que deveria estar naquela função, ausenta-se do posto que lhe correspondia dando o espaço a alguém que também não está aonde deveria estar. Vemos que estas ações equivocadas geram uma série de negativas que acumulam-se umas a outras e geram todos os problemas que hoje temos na sociedade.

Claro que nada impede, que a pessoa por um egoísmo mesmo estando no lugar que lhe corresponda, ocupe mal a função e cause danos tanto a si mesmo como aos demais, mas por estar dentro de sua natureza mais íntima, tem um impulso transcendental mais forte e uma regência espiritual acerca de suas realizações.


Nós temos o mal hábito de nos julgar muito importantes e de entender que nós estamos sempre certos, os demais estão errados e isto ocorre em todas, absolutamente todas as esferas...
A nós certamente cabe julgar a nós mesmos, e avaliar estes aspectos de nossa vida, e com isto auxiliar a nós mesmos e aos demais por consequência, como já demonstramos.

É muito difícil a mudança, quanto mais a idade avança, mais o indivíduo se vê estagnado e acostumado com uma situação, preso em tantas amarras que dificilmente tem a desenvoltura moral para rebelar-se contra o erro.
E é por este motivo que muitas vezes vem o desencarne, um retorno novamente à infância e uma nova existência para nos dar mais uma vez a liberdade suficiente para decidir novamente e escolher mais uma vez sobre aquilo que antes erramos e até mesmo acertamos.
E por isto que muitas vezes torna-se tão difícil acertar, porque a vida corre pelos trilhos do erro e existência após existência sucumbimos aos mesmos crimes e aos mesmos desvios íntimos, os quais nos atrasam imensamente no desenvolvimento tanto humano como espiritual.

E por mais que queiramos dizer que o culpado sejam as circunstâncias, que seja culpa da família, que o destino não nos foi favorável, nós realmente temos a responsabilidade e temos a condição de mudar, se assim nos predispomos de verdade.

Mas tudo custa, tudo requer grandes esforços e sacrifícios.


Estais disposto?


13/04/16