zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
Circunstâncias

Estive por um período sem escrever, porque estava buscando validar uma informação que havia recebido nos mundos internos. Uma admoestação por parte do V.M. Samael, o qual tinha sido entregue por um emissário da Loja Branca. Estando resolvida esta situação, voltamos a este trabalho.


Esta noite em uma atividade da Loja Branca, um personagem sentado na Tribuna, após uma pergunta vinda do público, respondeu algo que me deixou muito impressionado, tanto por sua humildade, como pelas circunstâncias que coube a este viver, o qual relatava...

Muito do que nos ocorre, indiferente da vivência em si, vemos está diretamente relacionado aos detalhes, o relativo a consequência final destes eventos, ou seja a consequência.
Vemos por exemplo que idênticas ações, tem resultados diferentes, de acordo com as circunstâncias. Mesmo no quesito humano, no Judiciário, duas ações iguais, podem receber sentenças diferentes, pela simples questão dos detalhes que envolvem a situação, agravantes ou atenuantes.
Algo que temos de entender, é que muitas das ações as quais fazemos, ainda que inocentemente não entendamos as consequências, devido aos detalhes envolvidos, por diversas vezes são agravantes Kármicos que recaem sobre nossas vidas.

Certamente se perguntarmos a qualquer pessoa que esteja realizando a Obra, se este já pensou sequer em suicídio, dirá que não, mas no fundo é muito possível que já tenha se aventurado em certas circunstâncias cuja morte teria sido considerada Suicídio pela Lei Divina.
Muitos dos riscos que aceitamos correr, como dirigir em muito alta velocidade, ou mesmo alguns esportes ou trabalhos sem uma devida segurança, devido exatamente a estas circunstâncias, ainda que possa ser um acidente o evento, assumimos a responsabilidade do delito no momento que nos sujeitamos a estas circunstâncias.
Muitas pessoas dirão que não tiveram escolha, pois perderiam o emprego, ou chegariam atrasados para algo importante, ou em fim, milhares de justificativas que no fundo são totalmente irrelevantes e irresponsáveis do ponto de vista da Consciência.


Nós sempre imaginamos que se a vida fosse diferente, o resultado do que somos e daquilo que expressamos seria diferente, mas a verdade é que como sempre temos de assegurar, o problema levamos dentro, não é o outro que nos força a algo, nem a circunstância que nos incita o delito, exatamente porque o Delito levamos dentro de nós, incrustado em nossa Alma e este se manifesta constantemente, indiferente de estarmos em Guerra ou em Paz, Alegres ou Tristes, na Riqueza ou na Pobreza, ali estará o delito em nossas vidas, enquanto exista dentro.

E sabemos que muitos dos delitos que carregamos em nosso interior, exigem um esforço titânico por parte do Iniciado para transcender tais crimes, mas o esforço certamente é válido e não fica sem a devida recompensa.


É muito complicado observar o que o outro realiza, seja no relativo a vida que leva, seja na forma como vivencia seus processos de autorrealização. Porque como já dissemos, há mais do que vemos na aparência e em geral ao tentar imitar artificialmente uma circunstância, os detalhes jamais serão os mesmos e o que para aquele era algo justo e honesto, para nós seria um crime e um delito. Nós sempre buscamos fora o que deveríamos sermos capazes de encontrar dentro de nós mesmos...

Infelizmente em vez de encontrarmos em nosso interior aquilo que nos corresponde, aquilo que realmente nos cabe realizar, insistimos na imitação, persistimos em copiar e em tentar recriar aquilo que vemos fora, e deixamos de lado os princípios espirituais que nos guiam e os que são capazes de dar pela vida espiritual a nossas realizações.

09/05/16