zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
A Auto-Observação e a Recordação de si mesmo

Dentre as práticas gnósticas o mais divino que podemos fazer por nós mesmos é desenvolvermos este dom de Deus que se chama auto-observação e a recordação de si mesmo.

A Auto-observação é uma clarividência interna que passamos a ter de nosso próprio País Psicológico, e certamente de todas as manifestações em regiões internas como são os próprios centros da Máquina Humana (Intelectual, Emocional, Instintivo, Motor, Sexual.

Muitos almejam ser Clarividentes para ver os elementais, para ver auras, mas se esquecem de que tudo temos que aprender a fazer primeiro dentro de nós antes de que possamos fazer fora de nós.
Tudo tem escalas e níveis de aprendizado; uma pessoa antes de poder ensinar algo verdadeiramente tem que ter aprendido e VIVIDO aquilo, ou não é assim?

Quem poderia ensinar uma prática que não praticou? Ou como poderíamos ajudar alguém com algo que não fomos capazes de ajudar a nós mesmos? Seriamos fariseus e hipócritas fazendo isto. Um Cego guiando a outro cego.

Da mesma forma estes dons temos que aplicar primeiro internamente, antes de que possamos em outro nível desenvolvê-los externamente.


Todas as pessoas tem capacidades terrivelmente divinas, só não conseguem fazer uso principalmente porque não estão dispostas a morrer (em seus defeitos) e simplesmente porque não sabem relacionar-se consigo mesmas e isto se relaciona diretamente a auto-observação e a recordação ou localização de si mesmo.

Quando falamos do Despertar da Consciência, falamos exatamente do desenvolvimento e do trabalho com estas habilidades que herdamos desta consciência livre que estamos resgatando.
Auto-observação é algo que necessita treino e esforço, já que facilmente uma pessoa poderia julgar-se pura, casta, bom dono de casa, enfim tantas coisas e na verdade leva dentro de si o mais podre que há e não é capaz de ver isto por uma falta de observação interior.

Por isto que já falávamos do viver o momento, estar em paz, sermos inspirados, vemos que é uma concatenação de elementos que temos que ir se desenvolvendo, há que ter paciência, perseverança, vontade e ao fim advém o Despertar da Consciência.

Auto-observar-se é conhecer-se verdadeiramente, é deixar de lado qualquer auto-conceito, qualquer auto-imagem e observar-se detidamente sem projetar ou esperar nada, senão que reconhecer e conhecer tal qual somos, o que temos e o que não temos, o que nos sobra (em defeitos) e o que nos falta (em virtudes).

Isto é o justo, organizar-nos internamente, mas antes precisamos conhecer verdadeiramente o caos e o Abismo que levamos dentro e isto se faz com auto-observação.

Uma pessoa que não esteja em paz que esteja sempre metida em sentimentalismos, emitindo pensamentos (que 99% são gerados pelos Eus) não poderá auto-observar-se porque não estará vivendo o momento e com isto se integrou com algum agregado e sofre de suas dores, não pode separar este elemento da psique com esta auto-observação e a compreensão não identificada com tal elemento.

Uma pessoa que não esteja inspirada, não poderia suportar a dor que o Eu gera por sua privação de seus desejos e por sua morte.. um homem inspirado poderia perder a vida com um sorriso no rosto por estar consciente da necessidade, se fosse o caso...

Uma pessoa auto-observada certamente percebe como cada evento da vida lhe toca e consegue desfazer estas amarras que mantém vivo cada defeito inumano que almeja eliminar de si.
Então percebe o que há de verdade e de mentiras sobre qualquer ensinamento, porque sabe aonde aquilo lhe toca, se lhe dói porque lhe magoa um ego que não está de acordo ou lhe dói porque chega ao coração e seu Juiz interno se põe de acordo com aquilo e por não ainda ser capaz de viver, sofre.

Pode que sinta-se bem com aquelas palavras, porque há eus afins com aquilo, eus religiosos, eus dogmáticos que absorvem tudo para crescer, ou por outro lado porque aquilo chega a sua consciência que está de acordo com tais palavras e ensinamentos.

De tudo há e de tudo ocorre dentro de nós mesmos, somente com auto-observação evidente e sincera, podemos conhecer a realidade que temos que trabalhar, e é algo muito particular e exclusivo de cada um.
Por isto não podemos julgar a ninguém neste caminho, porque dois poderiam fazer uma mesma coisa, um por consciência um por falhas egóicas e mesmo assim há o livre arbítrio, há pombas e há serpentes, podeis escolher.

Temos que ter paciência nisto da auto-observação, porque a cada momento pode que a pessoa se identifique com algo, que se fascine e venha a sonhar e perca o estado e a condição de auto-observar-se, então há que perseverar.
Igualmente a principio não se vê nada, porque somos cegos quanto a nosso mundo interior, temos os sentidos entorpecidos e adormecidos por tantas coisas... são dons que temos que dar valor e lutar por despertar e uma vez despertos por manter ativos e funcionais sempre, sempre, sempre!

A Magia, o poder, está relacionado intimamente com esta localização que temos, com esta recordação de nós mesmos.
Uma pessoa que tenha esta localização de aonde está (internamente e externamente), se se posiciona como consciência, se não identifica-se com pensamentos originados pelo ego, com sentimentos provocados pelo ego, com instintos e apetites sexuais derivados de situações egóicas, o que não é capaz de fazer?

Temos que entender que a vida como existência não é o fim, uma pessoa que se prenda em uma vida por questões como trabalho, como família, questões governamentais, não é mais do que um tolo preso na teia do tempo.
Claro que temos que honrar e sermos justos em relação ao trabalho (nosso ganha pão), a família e as demais obrigações, mas isto não pode ser um entrave para a Obra que nosso Ser deve realizar, assim como este processo de Morte psicológica e Despertar da Consciência.

A Consciência não é do tempo, a Alma é imortal, quantos temem a morte e fazem tantos delitos para manter-se vivos, sendo que matam a si mesmos internamente neste processo.
Por isto localização, recordação de si, é essencial para o Despertar.
Querem recordar vidas passadas, mas sequer compreendem a vida atual uma porcentagem mínima...

Então vivamos cada momento, mas buscando esta auto-observação. Tudo quanto ocorre fora de nós tem uma reflexão dentro de nós, e tudo que ocorre dentro de nós tem uma projeção fora de nós.
Quem queira mudar sua vida, deve começar por observar-se intimamente, internamente e modificar sua natureza interior.

V.I.T.R.I.O.L - "Visita Interiorem Terrae, Rectificandoque, Invenies Occultum Lapidem.

Quantos buscaram a Pedra Oculta, tão poucos a encontraram.

Recordemos ainda a Tábua de Esmeralda que diz:
"O que está embaixo é como o que está em cima e o que está em cima é como o que está embaixo, para realizar os milagres de uma única coisa. E assim como todas as coisas vieram do Um, assim todas as coisas são únicas, por adaptação. "

Ou ainda aquela sábia e terrível frase de Tales de Mileto que diz: "Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses".

E as humanidades e mesmo os estudantes gnósticos insistem em buscar fora o que primeiro tem que conquistar e desenvolver dentro.
Sinceramente necessitamos começar do zero, retomar do zero estes estudos, rever todos nossos conceitos e todas as teorias que carregamos, desta vez do ponto de vista de nossa Consciência, uma vez Desperta.

Quem poderia investigar os mundos internos por uma meditação, ou por uma saída astral (positiva), se ainda não desenvolveu esta clarividência interior da auto-observação íntima?
Este é o motivo que nos é permitido falar algumas coisas como do Símbolo CLXV, porque são coisas que se aprendemos a nos mover conscientemente por estas regiões, são informações, são realidades que se tornam palpáveis.

No dia que um busque a esta Consciência e a este Despertar como um homem que esteja se afogando busca o ar, neste dia estará Desperto, e não antes, não antes...

Por isto a necessidade de reconhecermos a nulidade e a miséria que TODOS nos encontramos, porque todo Despertar tem seus níveis e todo aquele que almeje sair deste Abismo, tem que buscar a Luz de sua Consciência com todas as forças que tem, e não perder seu tempo miseravelmente com tantas artimanhas que nos impõe o mundo.

Façam o que quiserem, mas façam com consciência. Se realmente não podem se libertar de algo, façam pelo menos com consciência, comentam o erro conscientes de que estão errando, não deixem de observar-se, não deixem de ter este SENTIR em relação ao que realmente são e do que é cada coisa de que são compostos.

Um diz tenho fome, e não entende que não é aquele corpo físico, tridimensional que tem esta necessidade, se submete a fome e roubaria, mataria por comida... que consciência, que compreensão há nisto?
Isto acontece o mesmo a nível emocional, psicológico, instintivo, sexual, motor...

Então não digam que não fazem porque não sabem como fazer. É Preferível ser justo e dizer: "Não quero, não quis, não fiz, não farei!", mas não digam por favor que não sabem como fazer ou que não podem, porque ninguém está só quando está lutando por resgatar a si mesma destes Abismos que estão metidos, nisto há Mestres trabalhando dia e noite, dia e noite, sem parar, sem descanso por cada uma destas pessoas, e ainda assim um falha põe a culpa em todos menos em sua falta de vontade, em sua falta de continuidade, em sua falta de esforço.

Sejamos sinceros em reconhecer-nos tal qual somos, e tenhamos esta compreensão, e esta vontade da absoluta necessidade de transformar-nos radicalmente, neste momento, agora, já.

Paz Inverencial!

17/10/12