zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
A Queda do Mal

Em nosso trabalho Interno, quando enfrentamos características muito marcantes de nossa Psicologia, fica evidente que muitos de nossos delitos, sobrevivem e sustentam-se em base a outro, o qual ao ser trabalhado, ao ser eliminado, faz com que haja um decaimento constante de diversos fatores negativos interiores e por consequência exteriores.

Quando referimo-nos a este Trabalho Psicológico como "Mudança Radical", fica certamente evidente, que a concreta eliminação de qualquer importante fração negativa de nossa psicologia, causa uma tremenda e revolucionária mudança por conta de toda uma associação que acaba caindo junto, se desfazendo por conta da eliminação do que sustentava o restante.

Muitas características nossas, muitos hábitos, costumes, vícios, estão diretamente ligados a outros, e quando extraímos a consciência de um aspecto destes central, que faz ligação com toda uma série de demais falhas secundárias, o resultado é que emerge junto com esta consciência, uma série de outros atributos divinos, os quais são o resultado do trabalho sobre esta associação.
Sempre é indicado, ao eliminar um defeito, uma falha interior, observar claramente tudo mais o que se relaciona com isto, e aproveitar o enfraquecimento e a desorganização causada por esta mudança, para seguir estes demais aspectos da psicologia e alterá-los conscientemente conforme nosso impulso espiritual e nossa vontade.

Lógico que quando falamos em alterar, nos referimos a eliminação do defeito e o surgimento pleno da virtude. Nenhuma mudança parcial é justificável, visto que continua sendo uma deturpação da consciência atuando e por consequência algo equivocado e delituoso. Nossa mente pode nomear um defeito, pode estudar um defeito, pode alterá-lo, mas a eliminação é algo que vai muito além disto.
Temos de tomar muito cuidado para não simplesmente causarmos a mudança na manifestação do defeito, em vez de eliminá-lo verdadeiramente. É dito e podemos realmente observar que muitas pessoas que tinham um vício como o Cigarro, o Álcool, ao buscar uma mudança, inverteram sua natureza e passaram a manifestar um ódio e uma repulsa aos Alcoólatras e o Álcool, bem como aos Fumantes e o Cigarro. É aonde chegamos na questão de que é o mesmo problema, uma atração, uma repulsa, uma ligação com o vício que pode se polarizar de uma forma ou de outra, mas continua existindo o problema e continua aprisionada a Consciência nisto.

Isto lembra muito aqueles casais que brigam muito, uma contínua sucessão de prazeres e dores, e nenhuma Consciência da situação, apenas a constante sucessão de elementos psicológicos ou mesmo a transformação de um mesmo elemento sob diferentes formas, ao longo do relacionamento.

A Consciência é algo muito íntimo e profundo, sem dúvida muito além de nossos sentimentos, de nossos pensamentos.
A Virtude, como manifestação da Consciência, é o resultado exato deste resgate da mesma, de dentro de cada um destes Defeitos que em nós habitam.


Estes defeitos, cada um deles, certamente tem os dias contados, porque mesmo que nós por nós mesmos não façamos o trabalho de eliminá-los, a própria natureza por meio do Abismo e da Segunda Morte realiza esta mesma função.
Isto sempre me lembra a semelhança com uma Mãe que diz a seu filho imprudente que tome banho, que tome banho, que limpe-se, e este não o faz, a obrigando para seu próprio bem, lhe dar um banho, ainda que a força.

Claro que para o indivíduo o ideal é que ele mesmo faça isto, visto que sofrer passivamente esta eliminação é a derrota do sentido da própria vida.
Além do que, nas regiões abismais, toda esta tarefa de desintegração dos defeitos, é algo secular, milenar, fazendo com que as Almas passem por longos períodos, realmente intermináveis, em regiões as quais são necessárias para liberar-se.


No próprio caminho esotérico, na própria jornada de reintegração com a Divindade, exatamente por nosso despreparo, inevitavelmente criamos muitas expectativas falsas, também novos defeitos, os quais acabam estar relacionados à própria espiritualidade.
Não é ao acaso que é dito que em meio à oração esconde-se o delito, visto que em geral as pessoas apenas ao encontrarem o caminho, fazem mudanças psicológicas que no fundo não são um Despertar da Consciência, senão a substituição do foco de atenção destes mesmos defeitos, o trabalho real, o trabalho concreto, surge da compreensão do trabalho e desta integração interna que cada um tenha.

Recordem que as pessoas no mundo cobiçam dinheiro, cargos, influência, e tantas coisas do mundo, e se uma destas pessoas se depara com este entendimento do sentido da vida, se tem um lapso de consciência neste sentido, seus próprios defeitos polarizam-se de maneira a cobiçar as virtudes, os poderes internos, e assim por diante.
No fundo nossa psicologia acaba sendo a mesma, senão que mascarada, difusa em meio a algumas luzes.
Por isto que acabamos encontrando tantos charlatões no meio esotérico e tantas pessoas que querem lucrar com o que é divino, ou mesmo pessoas que querem ser importantes, e assim por diante.

A Obra no fundo é algo interno, qualquer ação externa, qualquer procedimento adotado a nível de visibilidade e assim por diante, necessita estar avalizado pelas partes internas, seja de nosso interior, seja de nosso exterior, claro que nos referimos ao Íntimo e a própria Loja Branca.
Ainda assim o indivíduo costumeiramente segue estes impulsos negativos, e ainda que em meio a uma luz parcial, continua seguindo falsas luzes e por isto sofre muito em sua jornada até que realmente passe a este outro lado da margem.

24/08/16