zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
O Exemplo do Mestre e a prática

Todos nós temos uma moral que nos impede de mudanças drásticas e bruscas, por isto é muito difícil que situações muito pesadas ou divergentes de nossa moral possam nos afetar.

Isto é algo que devemos tomar em consideração, o sutil é o que nos afeta, e de maneira imperceptível se não estamos devidamente auto-observados.
O que nos é similar mas ligeiramente diferente é o que nos influencia e que transpassa nossos filtros mais severos do que é justo ou certo em determinado momento.

Um homem casto, talvez não se entregue a prostituição de Lilith mas é possível que dependendo de sua baixa moral, se entregue ao adultério de Nahemah. Um homem dedicado a Deus poderia talvez já nem se entregar ao adultério mas pode que sonhe como nos dizem os Mestres com a viuvez, para que possa trocar o vaso hermético.

Então vemos que a sutilidade é um perigo, porque nos fazemos cúmplices de suas ações e nos modificamos, negativamente se nos deixamos levar por seus impulsos e aparências.

Nós somente falhamos, na maioria dos casos, nestes pequenos detalhes, coisas realmente pequenas que são na verdade o que estão nos testando.
Nas Iniciações estes detalhes são o que chamamos qualificações de uma Iniciação.

Quando a vida nos põe a prova, surgindo eventos e acontecimentos aonde somos testados na moral ou nos bons costumes, além da correta ação física, absolutamente justa e honesta, há que qualificar a nível de sentimentos e de pensamentos (e de virtudes em alguns casos) tudo aquilo que já foi feito fisicamente, é uma re-confirmação em outros planos cósmicos do que fomos capazes de cumprir fisicamente.

"O Hierofante observa três exames em um, e podem ser dados de três maneiras: os rústicos ou vulgares recebem seu exame no fogo, os evoluídos ou educados, na mente, os seletos e escolhidos no mais alto. Assim tereis estrelas e estrelas, sistemas e sistemas, graus e graus. Porem não deis a conhecer a uns e a outros!" - Ritual Gnóstico

As provas como vemos estão na verdade nas qualificações que fazemos delas. Os mais brutos serão provados em suas emoções. Os mais evoluídos em seus pensamentos.
Já os escolhidos, são provados em suas próprias virtudes.

Estes escolhidos entendemos certamente como os que já fizeram a Obra, são aqueles Íntimos que tendo concluído a Obra, abdicam de sua Divindade e se desfazem de sua Pedra Filosofal para mais uma vez reerguer-se do lodo da terra e com isto ajudar a humanidade vivente.
Então claro já não serão afetados em seus sentimentos ou pensamentos, mas suas virtudes não podem tornar-se um vício ou um obstáculo em determinado momento.

Uma pessoa pode ser caridosa ao ponto de ficar nu e morrer de fome e com isto não fazer nada de sua vida. Então claro percebemos que há que aprender a manejar as virtudes; saber fazer uso consciente das mesmas e educá-las faz parte de um terceiro propósito do trabalho.

A Verdade é como dissemos, ninguém pode tropeçar em uma montanha, o que nos causa dano são os pedregulhos em nosso caminho, estes sim podem nos fazer levar o pé em falso e nos fazer cair.

Então quando vamos lutar contra um defeito, percebemos que não é apenas não cometer o delito que ele propõe, é verdadeiramente perfeccionar não só a ação física, mas emocional, mental. Além disto extrair esta virtude, conscientizar-se dela e transformar em peça atuante em nossas vidas.

Claro que dizer tudo isto pode parecer em vão, quando a maioria das pessoas ainda não foram capazes de compreender e eliminar o ego.
Mas como dissemos, são processos que temos que todo o dia estar lutando por fazer cumprir-se, porque verdadeiramente cedo ou tarde, enquanto seguirmos lutando por isto, dará seu resultado e seremos capazes de realizar.

Todo trabalho Esotérico, Ocultista, Alquímico, ou como queira chamar, inicia-se por esta purificação de nossa natureza. É Esta liberação destes laços negros e obscuros que as trevas tem sobre uma pessoa, principalmente dentro dela mesma.

O Elo que nos prende está dentro de nós, no dia que não houver isto, as forças das trevas (exteriores) não terão poder por sobre este iniciado, porque não há elo para com ele, ele se torna invisível ao mal, porque não carrega mal em si. Transforma-se em uma obscuridade mais obscura que as próprias trevas, porque as trevas não o vêem e não o conhecem.

A Morte, como representação da noite e das trevas, já não tem poder sobre este Inciado, então realmente compreendemos como é possível a Imortalidade, e aonde esta o sentido da síntese do Elixir da Longa Vida.

Reforçamos que maldizer as Trevas é amaldiçoar ao próprio Deus vivo. Luz e Trevas não deixam de ser Luz, ainda que esta segunda polarizada negativamente.

"Demonius est Deus inversus" diz a Pistis Sophia. O Demônio é a outra face de Deus.
Pois para uma árvore subir majestosa aos céus infinitos não é imprescindível que suas raízes penetrem firmemente o solo negro?
Pois nisto está o equilíbrio das coisas. Se não houvesse a maldade no mundo, não haveria a virtude. Se não existisse a noite, jamais compreenderíamos o que é o dia, pois não teríamos escolha e a tirania do Sol seria infinita.

Deus é misericordioso para os maus e justo para os bons. Toda maldade que existe é necessária do ponto de vista do equilíbrio. Não dizemos isto para justificar a maldade que cometemos, mas para justificar a existência da maldade e para que os iniciados não se prendam a culpar criminosos ou amaldiçoá-los, porque a própria Divindade não o faz.

Temos escolha, sim, temos escolha. Somos chamados para sermos Anjos ou Demônios, Águias ou Répteis... na escolha disto está a sabedoria do gênero humano.

O Trabalho Pessoal, consiste em três forças. De um Mestre, de um Discípulo e da transformação deste Discípulo em Mestre.
Quando o Discípulo se faz Mestre, o primeiro Mestre ascende, se eleva porque pôde preparar alguém para seu posto, seu cargo.

Não existem espaços vazios na natureza, por isto temos que viver a vida que viveram nossos Mestres.
Jesus deu sua vida pela Humanidade, seus legisladores não souberam fazer o mesmo, apenas fizeram uso de seu nome como se deles fosse a verdade vivida e encarnada por este Mestre.

Só poderá verdadeiramente ser discípulo de Jesus aquele que viva seu drama. Somente aquele que se coloque no lugar dele, que redima ao Cristo de seu martírio, poderá encarná-lo e liberar seu antecessor.
O Drama é sempre o mesmo, isto é o que vivem os Mestres e sabemos que não é o drama exclusivo de Jesus ainda que Jesuá seja o mais exaltado que conhecemos.

A Teoria é cinza, realmente é. Necessitamos ser práticos se realmente almejamos resultados. Somente com a prática podemos mover esta roda de nossa Obra interior, seja para a Luz seja para as Trevas.
Toda ação é boa ou má, e análoga a sua origem é sua causa.

"Eu que transformo e uno todas as coisas. Eu que faço do pequeno, uma imagem do grande. Da profundidade o espelho do céu. Eu que mesclo o céu e o inferno sobre a terra. Que elaboro todas as coisas no profundo oceano, fiz renascer tua estrela do abismo sob a forma de uma flor, para que possas escolhê-la e aspirar arrebatada por seus deliciosos perfumes." - Trecho do Ritual Gnóstico de Eleusis - Class C - Fala de Eros

16/11/12