zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
Gula e Temperança

Época interessante a que vivemos, caótica sim, por distintos motivos, mas cheia de possibilidades e de oportunidades, já que somos nós que moldamos a realidade e o entorno, e nos tempos atuais há muito o que aprender e muito o que moldar-nos se é assim nossa vontade.

O Indivíduo é o resultado de suas experiências, de suas vivências, de suas escolhas e todo momento temos de escolher que caminho trilhamos, que realizações faremos, e isto sempre transforma de maneira crítica o que somos, e aquilo que ao nosso redor existe.
Todas estas dificuldades que são geradas ao nosso redor, certamente possibilitam um extremo aprendizado, e são grandes motivadores de mudança e de uma profunda compreensão das coisas, se aprendemos a aproveitar estas infinitas adversidades que se apresentam dia após dia.

Nós sempre acabamos sendo conduzidos a extremos, na vida, vamos da afirmação à negação, sem jamais compreender realmente a razão de cada coisa, e é aí que se encontra o nosso erro.

Falando em Espiritualidade, em Religiosidade, encontramos isto de que Deus é a bondade, a verdade, a justiça e certamente todos estes princípios divinos que desdobrados dentro de nós mesmos, chamamos Virtudes.
O Caminho Espiritual, a Senda Mística a qual nos propomos trilhar, é certamente dentro de nós mesmos o cultivo destas virtudes e o encarne das diferentes partes de Deus, aqui e agora.
Não podemos imaginar que religião seja ir a uma Missa, ou professar uma fé simplesmente, porque na realidade dos fatos, são estas mudanças íntimas que nos aproximam de Deus, porque é o que é a natureza de Deus. É dito que não somos filhos de Deus porque não fazemos as Obras dele, e certamente somente moldando nosso interior, de acordo com esta natureza Divina, chegaremos a sermos mais uma vez, esta imagem e semelhança do Altíssimo, qualquer que seja o nome que queiramos chamá-lo.


A Obra Espiritual é algo muito interessante, porque mesmo que alguém não conhecesse nenhuma Religião, seja por uma inquietude interior, poderia buscar a verdade, poderia ansiar por mudanças íntimas que como já dissemos, são a síntese do caminho, e a integração com aquilo que chamamos Deus.
É certo que conforme esta nossa natureza interior se altera, mais e mais vamos percebendo claramente o caminho e entendendo o que nos corresponde viver, a cada passo de nossa vida.
Assim que claro requer um grande esforço, principalmente nos primeiros momentos, mover-se da letargia espiritual que estamos subjugados, e iniciar esta jornada, aonde nós mesmos acabamos tendo a condução necessária para alcançarmos esta suprema integração.

Aqui não estamos falando de desejos de ter, ou de ser, de uma cobiça por ser mais, ou qualquer coisa do gênero. Falamos disto, pois muito do que as pessoas sentem, quando fala-se da parte espiritual, é no fundo negativo, como um impulso malígno de ser mais do que se é, pelo fato de querer poder, mando, influência, fama, etc.


Falando de Defeitos e Virtudes, há que compreender o que realmente é equivocado e o que no fundo é o princípio Divino atuando, pois ao longo de nossa vida, é certo que acabamos indo de um extremo a outro, sem jamais encontrarmos o ponto central da questão, a verdade fundamental do aspecto o qual nos é necessário encarnar, para liberar-nos destas amarras específicas.

Quando falamos de um defeito, como a Gula, provavelmente a maior parte dos leitores, recordará e entenderá como sendo relativo ao Alimento, o excesso de comida, as pessoas obesas, e tudo aquilo que é similar. Talvez alguns relacionem a Gula aos desejos alimentares do que não é necessário, quiçás alguns cheguem a dizer que é o acúmulo em geral, mas é ainda mais profundo isto, muito mais.

A Gula, antes de mais nada é o exagero, é uma ânsia incontida de querer algo, seja claro o alimento, mas também qualquer outra coisa como poderia ser uma forma física perfeita, uma beleza extrema.
Neste caso anterior, podemos não apenas considerar Gula uma pessoa Obesa, mas alguém que também poderia até desejar o excesso de alimento ou ter uma má alimentação e abre mão disto por ter esta mesma ânsia por acumular outra coisa, como no caso uma perfeita forma física.
O Problema como vemos não é apenas aparente, mas a propulsão que move a ação do indivíduo.

Não estamos falando contra nada nem ninguém, e certamente não nos opomos a uma vida equilibrada e regrada dentro de um excelente padrão alimentar e de exercícios, já que certamente é o que nosso corpo necessita para funcionar plenamente e isto claro tem uma grande influência na manifestação de nossas partes internas, já que o veículo físico é muito importante.


Mas ocorre que o que em geral vemos, é o exagero, e onde o fundamento das ações de ambos, acaba sendo um impulso negativo, um distúrbio.
Por isto que dizemos que a Virtude que se manifesta quando eliminamos a Gula, é a Temperança, pois Temperança antes de mais nada é Equilíbrio, é ser moderado, comedido.

Para que possamos trilhar a Senda Espiritual, para que possamos buscar adequadamente aquilo que nos corresponde, certamente necessitamos urgentemente de Temperança, já que estas ânsias incontidas por coisas sem sentido, sem utilidade, consomem nossa energia, nossa vida, e preenchem nosso tempo com o que é irrelevante, desnecessário e distante dos ideais os quais buscamos.
Claro que isto precisa ser uma mudança interior, resultado de uma reflexão, de uma compreensão e de uma mudança concreta, sincera e ativa, feita sobre nós mesmos, por nós mesmos, claro que com a devida ajuda e força das partes internas, espirituais que nos acompanham nesta jornada.

A Falta de Temperança faz com que tenhamos um coração cheio de anseios e preocupações, e isto não permite com que consigamos perceber a realidade por um olhar espiritual, pois temos nossa consciência aprisionada em tantos assuntos e questões sem transcendência e distantes daquilo que no fundo é o que buscamos, mas não sabemos.

Percebam que muitos em seu interior se revolverão, dizendo que estamos a tentar aprisionar a vontade e o anseio de cada um, e no fundo é exatamente o inverso, isto que temos de impulsos e anseios, no fundo é nossa prisão, quando nos libertamos destes infelizes percalços, é quando conseguimos por nós mesmos ver e trilhar uma vida plena de realizações e concretos avanços espirituais, o que no fundo é o sentido mais básico da vida, retornar ao Criador, plenos, Conscientes.

19/06/17