CLXV
Textos sobre Psicologia
Paranoia

O Mundo tem se tornado cada vez mais um Hospício a céu aberto. Em cada passo que damos nas ruas, nos deparamos com Doentes Mentais com os mais diferentes problemas.
Muito do que hoje pode ser considerado normal, natural, ou mesmo aceitável, é em verdade o resultado de doenças no campo da Mente que tem tido extrema liberdade nos atuais tempos.

No mundo que vivemos, normal é aquilo que é comum, corresponde ao que é maioria, e por isto a "normalidade" atual é algo bastante alucinante do ponto de vista da real normalidade que no caso Psicológico indica o que não tem distúrbios, o que é realmente natural, sem acréscimos nem decréscimos.

Hoje gostaríamos de falar da Paranoia, talvez não do ponto de vista da Psiquiatria convencional, já que não temos contato ou interesse no mero intelectualismo, mas sim no Defeito Psicológico da Paranoia e seus subderivados que causam tantos transtornos Mentais a seus possuidores e tantas fadigas e desgastes em sua vida.

A Paranoia é conhecida por ser o resultado da manifestação de Ideias Fixas, absolutamente obsessivas e certamente absurdas, as quais tem sua base em fatos irreais. A Paranoia é uma ponte para algo ainda pior, conforme é alimentada e cresce dentro de um indivíduo.


A Paranoia por si só é podemos assim dizer um Estado Psicológico que se encontra o indivíduo, o qual gera diferentes manifestações a qual vem a personificar a Atitude Paranoica.
Geralmente o Paranoico não se limita a uma Única Paranoia, ainda quando exista uma Paranoia a qual é a base de suas ações Paranoicas.
A Paranoia mais comum pode ser descrita como uma suspeita GENERALIZADA em relação aos outros, aonde o indivíduo percebe, interpreta as intenções a ações dos demais como sendo negativas, agressivas e até mesmo malévolas, maquiavélicas.

Por conta da Paranoia o indivíduo por sua vez passa a ser agressivo, e comumente busca meios não apenas para precaver-se do suposto mal, bem como anseia por uma punição para aquele que supostamente quer lhe prejudicar.

O Paranoico comumente sente-se perseguido, observado; sempre acredita que estão a cuidar de sua vida, a observar suas ações, a comentar e a conversar entre si acerca deste, bem como tudo mais que possa relacionar-se a uma atenção indevida por parte dos demais.

A Paranoia tem seu fundamento no Orgulho, tendo certo expoente de manifestação na Ira, comumente associado com traços de Medo, que são os gatilhos para os pensamentos e ações Paranoicas.
O Paranoico vive com medo, irritado, sente constante fadiga por ter seus sentidos atentos a suas constantes suspeitas e desconfianças.

É Muito comum o paranoico querer confrontar seus "perseguidores", bem como querer punições ou mesmo tentar puni-los de alguma forma. Principalmente quando a Paranoia recai sobre pessoas de seu convívio.


A Paranoia é muito mais comum do que imaginamos e certamente tem diferentes níveis e formas.
Há manifestações da Paranoia que se manifestam como a Crença de que alguém quer lhe matar, por exemplo. Este tipo de paranoia quase sempre recai sob uma única vítima, a qual o Paranoico põe sua desconfiança. Quando neste tipo específico de manifestação Paranoica é atribuído a Grupos, geralmente é um sinal de que a Paranoia está evoluindo para um nível Alucinatório.

Como dizíamos a Paranoia é mais um Estado, uma Força do que um Defeito, e por isto vemos diferentes elementos psicológicos manifestando-se em formato Paranoico.
Quando o indivíduo se encontra em um Estado Paranoico, certas ideias, certas Falhas Psicológicas podem acabar infectadas com a Paranoia e tomarem esta forma. Da mesma maneira este estado Paranoico permite a criação de novas Falhas Psicológicas já que o indivíduo fica aberto a inúmeras percepções equivocadas do meio interno e externo.


A Paranoia é o resultado de um Orgulho exagerado, é alimentado por Medos e quase sempre expressa-se como Ira.
O Indivíduo que crê-se perseguido se engrandece, desde o momento que dá a si mesmo um valor superior que os das demais pessoas, e suas opiniões, bem como o fato de que importa-se com o que os demais pensam, dizem e fazem. Toma tudo como uma agressão, e reage a tudo isto agressivamente, sempre porque teme algo, ainda quando não perceba seu medo.

O Paranoico tem um conceito exagerado sobre si mesmo, sempre sente-se prejudicado, perseguido, e como já dissemos, tende a buscar equilibrar as "contas" que faz em seu perturbado estado psicológico.
Comumente não apenas a percepção do suposto mal que lhe causam é irreal, como o valor que atribui as penas é completamente absurdo. O Paranoico sente-se sempre injustiçado, devido ao seu Orgulho, Medo e Ira exacerbados.

O Pensamento Paranoico tem muitas variantes, e podemos citar também casos como a Paranoia de que alguém quer lhe roubar o Marido ou Esposa. Todo o contato que alguém tenha com o conjugue é para o Paranoico um possível sinal de flerte e de risco ao relacionamento.
Também além deste, podemos citar surtos paranoicos acerca de Limpeza, aonde tudo sempre lhe parece sujo. Por vezes o indivíduo acredita que seu Corpo está sempre sujo e lava-se constantemente, até o ponto de causar danos a seu organismo. Outras vezes, principalmente quando tem crianças jovens, ou mesmo animais, este tipo de paranoia pode fazer o Paranoico limpar constantemente a criança ou o animal, causando diversos problemas. No caso da limpeza, também isto pode ser atribuído a objetos ou mesmo lugares.

Como já dissemos, o Paranoico tem sempre ideias obsessivas, que não correspondem a realidade. Infelizmente temos de afirmar que mesmo muito do que hoje pode ser considerado normal, já é uma padronização baseada na infecção paranoica que existe por comum nas pessoas.


O Principal remédio à Paranoia é certamente antes de mais nada não alimentar o elemento paranoico, dando a ele voz e manifestação. Bem como evitar esgrimir pensamentos conflitivos quando dos surtos de Estados Paranoicos.
É Claro que tudo isto é muito difícil, principalmente porque quando falamos de normalidade, do que é real, quem está submetido a uma força assim, não consegue perceber, ver.

Sempre haverão pessoas que se interessarão por nossa vida, que tentarão meter-se em nossa intimidade de alguma maneira, sempre existirão indivíduos que farão oposição a nós, que não gostarão de como nos vestimos, de como agimos, de como falamos... Também é normal que sejamos vítimas de fofocas e mesmo de calúnias. O Problema é antes de mais nada a desconfiança, e nosso próprio interesse em tais assuntos, uma vez que isto como vemos nos causa mais prejuízo que benefício.

As Falhas Psicológicas são o resultado de um Sentimento e de um Pensamento, assim que é importante entender que se pensamos algo e logo atribuímos sentimento a tais pensamentos, podemos criar um defeito. Igualmente se sentimos algo negativo e passamos a pensar acerca disto, igualmente estamos correndo o terrível risco de criar mais falhas psicológicas.
Além do que, se fazemos isto quando tomados de estados negativos estamos correndo o risco de criar forças ainda mais Diabólicas e Terríveis, muito difíceis de serem contidas, que dirá eliminadas de nossas vidas.


O Mal uma vez estabelecido sempre lutará para existir, sempre se justificará, sempre encontrará motivos para perpetuar suas ações. Se o próprio indivíduo consegue tirar de si mesmo o sentimento negativo que alimenta tal entidade ou mesmo se muda seu pensamento acerca do fundamento de tal elemento psicológico, ele quebra o fundamento existencial de tal criatura.

Como fica claro, há que se trabalhar sobre três aspectos psicológicos para vencer a Paranoia, uma delas é eliminar o Orgulho, o qual é a semente e a base de toda manifestação Paranoica. Há que eliminar o medo, que é o alimento de manifestação da Paranoia e por fim há que se trabalhar e erradicar a Ira, que é a manifestação, a expressão e a Voz da Paranoia.

Claro que ao citarmos a Ira, o Medo e o Orgulho, estamos citando os diferentes elementos que acabam por servir de base a tais criações e não necessariamente estes Elementos em si, já que são Forças mais além da capacidade comum em serem eliminadas como um todo.

 

18/02/2019