zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
A Compreensão e a Morte Psicológica

Realmente poucas pessoas compreendem a Morte Psicológica. Muito é falado, muito é ensinado, mas na grande maioria das vezes o instrutor só entende intelectualmente o processo e não é capaz de transmitir o conhecimento do feito, porque não o fez.

Muitos querem melhorar, querem realmente desenvolver virtudes, no sentido de desenvolver isto, mas não é possível melhorar ao Eu, isto é algo que deve ser compreendido para que se possa iniciar o processo de Morte Psicológica.

Quem melhora, quem piora, é o Eu. Nós não desenvolvemos a virtude por um esforço, por uma afirmação do bem ou por uma negação do mal, sim por uma compreensão.

A Semente nasce, porque compreende que seu ciclo como semente terminou, por isto morre para um estado e nasce para outro (de planta), sem desejos, sem afirmações, sem negações intelectuais.

Todas as virtudes, dons, atributos da alma, nascem de forma espontânea, de forma natural, naquele que vá compreendendo os mistérios de sua vida e da natureza exterior.
É o próprio Eu que cobiça e ambiciona as virtudes, por isto que muitos que trilharam uma vida toda o caminho entendem que é um caminho sem fim, porque não realizaram o processo de maneira adequada, concreta.

Se observamos, sinceramente, serenamente, nossas ações e reações, sejam elas de tipo motor (movimento), emocionais, instintivas, mentais ou sexuais, passamos a compreender como atuamos e desta compreensão há uma mudança radical, porque o Eu morre, perde seu sentido com esta observação da consciência.


A Compreensão só é possível por meio do não julgamento, ao justificarmos uma força evolutiva, condenamos a força involutiva, a negamos.
Toda negação gera resistência e toda afirmação impulsiona o movimento.

Para o ego, ao negarmos ele, ele se fortalece e cresce infinitamente mais. Ao justificar-nos o erro e concordarmos com ele, igualmente ele vai aumentando.
A Mente pode aumentar, diminuir, ocultar, transferir para outras regiões, tal ou qual agregado psicológico, mas somente a compreensão verdadeira, integra, total de tal ou qual elemento permite sua dissolução.

Claro que uma vez que compreendemos o defeito, de certa forma já estamos o condenando, porque lhe tiramos a razão, estamos o negando mas de uma forma compreensiva, algo muito distinto.

Frente as pessoas devemos atuar da mesma forma, percebam que se estimulamos alguém em um delito, ela, esta pessoa, por uma falta de individualidade, o comete e claro vai crescendo este delito dentro dela.
Se chegamos a uma pessoa e lhe negamos algo, cria-se uma resistência dentro da pessoa, porque todo movimento gera uma resistência contrária.

Por isto é tão importante compreender a natureza das pessoas e lhes permitir a liberdade, a espontaneidade, respeitar cada um tal qual é.
Para que conforme esta pessoa vá sendo guiada por seu Ser e se encontre em seu caminho, possa realizar em si esta suprema transformação da Morte Absoluta de seus defeitos, físicos e internos.


Não pensem que é porque agora estamos falando isto desta forma, que ninguém nunca morreu em seus defeitos, todos acabam compreendendo algo por um impulso da consciência e claro modificando isto em suas vidas, mas conhecendo o processo podemos fazer de forma consciente, organizada e permanente.
Há muitas, muitas, realmente muitas formas de eliminar nossos defeitos, esta é uma delas.

Mas vamos a um exemplo prático da compreensão para que vejam como se trabalha neste sentido:
Imaginemos que uma pessoa tem um problema, uma questão da vida a resolver (Nossos problemas são mentais, formas mentais negativas geradas por tal ou qual defeito psicológico).


Afirmação: Ela pode afirmar o problema, lhe dar vida, atenção, constantemente pensar nele, transformar em algo muito maior que é.
Negação: A Pessoa pode igualmente dizer que aquilo não existe, que não importa, se recusar a uma solução, se rebelar contra a situação.

Compreensão: Observar a questão e lhe dar a justa solução.


Há muitas coisas que não tem solução na vida e o que não tem solução, pois já está préviamente solucionado. Só nos cabe compreender, aceitar a situação e tocar em frente nossa vida, felizes e contentes.
As pessoas sofrem porque caem em um destes dois extremos de afirmar ou de negar um pensamento, uma situação.


Na própria meditação, ocorre o mesmo. Muitos não meditam, não sabem meditar, nunca alcançam ao vazio porque forçam-se um silêncio artificial... afirmam um pensamento ou o negam em vez de o observar, encontrar sua origem e lhe dar a devida compreensão. É Tudo muito simples, exige menos esforço a compreensão do que afirmar ou negar. Dizemos isto porque não exige ação ou reação, não há movimento, no sentido de gerar oposições psicológicas ou físicas.


Toda tese gera uma antítese que nos dará uma nova tese e uma nova antítese. É Um ciclo evolutivo e involutivo de idéias, de conceitos.
Evolução e Involução, Teses e Antíteses sempre existirão enquanto houver vida, porque é um ciclo da vida, mas necessitamos compreensão para com os fatos.

A Involução é necessária na existência, não é má, porque o termo mal é uma negação, um equívoco psicológico, aquele que compreende a involução, percebe que não é o caminho que o Ser lhe impulsiona e segue pelo caminho reto, isto é tudo.
O Eu tem uma razão para existir, todas as forças involutivas, tenebrosas, acabam servindo de contra-peso para forças positivas e evolutivas da luz.

Luz e Trevas são duas partes de um único todo. Compreendê-las é se liberar, se auto-realizar em seu Ser.


A Morte é a coroa de todos, bendita Mãe-Morte, rogai por nós na hora de nossa morte! Amén!


18/12/12