zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
A Perfeição da Consciência

Nesta busca por este resgate de nossas virtudes, neste processo de reintegração de nossa Alma, nosso trabalho não se resume a liberar consciência, mas também em desenvolvê-la até sua mais absoluta perfeição.

Uma pessoa que cometa um delito qualquer, ao ter a compreensão de seu erro, e ao identificar o que é o justo naquela questão, tem a condição de eliminar aquele delito e com isto liberar certa fração de essência que uma vez desperta denominamos Consciência.

Ter consciência de algo, é ter uma compreensão e uma vivência disto, ainda que não seja por meios físicos, porque não nos limitamos a parte tridimensional.


No entanto esta consciência, esta compreensão, este entendimento que temos, pode ser ampliado muito além de sua primeira expressão como é vista.

Isto tudo se repete constantemente na natureza e não nos faltam exemplos se fazemos uso pelo menos de um Terceiro estado de Consciência que são estas revisões intelectuais e as analogias.

Dentro de nós o eu é como fora de nós é uma pessoa qualquer que vive no mundo. Quando uma pessoa morre no mundo, ela retorna a uma nova matriz e isto é o que ocorre com a eliminação do eu dentro de nossa psique.
Quando eliminamos a qualquer agregado psicológico, qualquer defeito compreendido, esta virtude passa a tornar-se como um feto que necessita desenvolvimento no ventre da Mãe. Logo vem a este mundo interior como uma criança e como qualquer criança, necessita desenvolvimento até tornar-se adulta.

Então vemos que a consciência necessita estímulos, ações para seu desenvolvimento e plenitude espiritual.
Claro que neste ponto temos que diferenciar o que é a Consciência humana, como virtudes, atributos e dons da Alma humana e o que é a Consciência Espiritual, de nossa Walkiria (Alma Divina).

A Alma Humana tem esta consciência extraída do Abismo e dos frutos da Árvore do Bem e do Mal, já a Alma Divina tem sua origem na Árvore da Vida que é o Ser de cada pessoa.

Em termos simples podemos dizer que a consciência humana compreende o que viveu, e a consciência divina compreende tudo, porque é um com o Espírito.

Então que a nós cabe a perfeição frente aos eventos da vida, aonde por nossas decisões, por esta reflexão por meio da consciência, a perfeccionamos.

"E Maria respondeu dizendo: 'Meu Senhor, no que diz respeito às palavras que o Teu Poder expressou, profetizando através de David: A Graça e a Virtude encontraram-se e a Virtude e a Paz beijaram-se uma à outra. A Verdade brotou da Terra e a Virtude olhou para baixo, do Céu. O Teu Poder profetizou também sobre Ti.' A Graça e a Virtude encontram-se sempre e a Paz e a Virtude beijam-se. A Virtude vem do Céu e a Verdade brota do Inferno." - Pistis Sophia


A Vida como vida comum e corrente, não teria sentido sem esta parte espiritual. A Dor, a doença, o engano, a morte, tudo parece muito nebuloso e obscuro se não observamos do ponto de vista da consciência.

No entanto nós não poderíamos ficar encantados com esta luz que resgatamos e necessitamos baixar mais uma vez e continuar resgatando uma a uma, cada parte do Ser ainda aprisionada em meio a nossos erros e defeitos de origem psicológica. Por detrás de cada má ação, cada equívoco, há uma parte do Ser, uma fração da Alma, uma expressão da consciência sendo manipulada e pervertida por uma incompreensão, uma falha.


A Maioria dos iniciados que ficam presos a luz, tem que constantemente permanecer em trevas, porque não sabem locomover-se de acordo a necessidade, em outras palavras, usar as duas pernas. São coxos, por isto estão cegos e possuídos por estas expressões contrárias ao Ser, a Consciência e a Alma.


"O Cristo Íntimo efectuou o Seu mandato no coração dos Adeptos que descem ao tenebroso Reino de Plutão para trabalhar na Grande Obra.
Quando os Adeptos descem ao «Tártarus» afastam-se do Cristo Íntimo e sofrem o indizível.
Pistis Sophia clama pela Luz quando se encontra no «Averno».
A Luz cumpre, sempre, o seu mandato no Caos.
Os «Mensageiros» são as Partes Superiores do Ser que visitam o Adepto no Averno para instruí-lo.
Obviamente, a cada subida antecede uma descida e a toda a exaltação mística precede uma espantosa e terrível humilhação.
Ninguém pode subir sem antes ter experimentado o incomodo de descer.
O Mistério do Nome Secreto de cada um de nós é terrivelmente divino.
Dentro de nós existem matérias abomináveis, algumas vezes heróicas e bondosas, com muitos méritos, porém, que nunca poderão purificar-se e que, por isso, devem desintegrar-se no Abismo.
O Iniciado no Averno, carregado de Pistis Sophia, canta louvores à Luz e os seus arrependimentos ascendem até ao Pai.
A Luz deve inundar os Trabalhadores da Grande Obra que sofrem no Reino tenebroso de Plutão.
Que o poder da Luz chegue até ao Caos para bem dos Sábios que trabalham na Super-Obscuridade Augusta dos grandes Mistérios.
Que os terrores do Abismo não confundam os Sábios, é o nosso anelo.
São multifacetados os terrores dos Mundos Infernos, dentro das entranhas da Terra.
As diversas Partes Autónomas e Auto-Conscientes do nosso próprio Ser devem auxiliar os Adeptos.
Budhi, a Beatriz de Dante, a Bela Helena de Tróia, a Alma-Espírito, deve auxiliar o Adepto.
Ditoso o Adepto que é auxiliado pela sua Walquíria.
Bem-Aventurado o Adepto que é auxiliado por Ginebra, a Rainha dos Jinas, Aquela que serviu o Vinho a Lancelote entre as taças de Sukra e de Manti.
" - Pistis Sophia Desvelada

Um homem que fala o que sabe, expressa sua Consciência Humana, um homem que fala o que desconhece, expressa sua Consciência Divina.
Estamos claro falando de consciência e não de invenções de qualquer lunático ou informações obtidas por meio de larvas entidades, mediunidades.


Na Meditação temos condições de exercitar ao extremo tanto a expressão Consciência Humana como a Consciência Divina.
Em contato com a Consciência Divina, podemos desvendar todos os mistérios de nosso universo interior e do exterior.

O Primeiro que todo aquele que anela percorrer este caminho deve desenvolver é a intuição.
A Intuição, podemos dizer é a capacidade de perceber a movimentação das forças e das energias que não são visíveis a maior parte das pessoas.


Sem a intuição, qualquer clarividente poderia interpretar erroneamente uma visão.
Sem a intuição, poderíamos dialogar com um Mestre nos mundos superiores, e interpretar erroneamente suas palavras, ou não compreender o simbolismo de sua expressão.
Sem a intuição, poderíamos estar nos mundos internos em um lugar tenebroso e imaginar que seja algo santo.

Sem o desenvolvimento da intuição, é muito raro quem consiga qualquer outro avanço no campo prático das realidades espirituais, porque certamente não teria o que fazer ou como interpretar, sentir o significado destas informações e vivências.

05/04/13