zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
A Unidade Múltipla Perfeita e a Individualidade

É muito interessante observar o interior de cada um de nós, realmente ver-nos tal qual somos, compreender este funcionalismo interno, realmente aprender a nos relacionar conosco mesmos.
Todos estes problemas e dificuldades que passamos no mundo, são o resultado destas forças que internamente atraem e geram externamente estes eventos relacionados a elas.
O Indivíduo, a pessoa não é realmente um indivíduo, como tantas vezes já asseguramos, o indivíduo é uma soma de muitos indivíduos que dentro dele habitam.

Imaginemos um ônibus, e que dentro deste ônibus vivam muitas pessoas, um grupo de pessoas tem posse deste veículo e todas tem direitos sobre o mesmo.
Assim digamos João, decide ir até o centro, pois precisa comprar algo, lá vai João até a direção e vai até o centro fazer o que precisava fazer. Logo após João saciar sua necessidade, vem Joaquim, este quer ir para casa descansar, então toma o ônibus e leva para casa. Não demora Lucas quer passear e toma a direção e anda sem rumo pela cidade.
Isto é um exemplo muito sincero do que acontece com a pessoa. Nós temos dentro de nós diferentes criaturas, Agregados Psicológicos, unidades infernais, as quais se comportam como um indivíduo dentro do indivíduo, um Eu, um Ego.
Este ônibus é a pessoa, um mero veículo de tantas forças que carrega em seu interior. Dentro de nós muitas vezes temos diferentes desejos, e nesta luta por supremacia é nítida.

Conforme vamos eliminando estas diferentes criaturas em nosso interior, vamos criando uma unidade, dentro da unidade. Isto é a Alma, a essência, desdobramentos do Ser dentro da pessoa.
E é isto que vemos conforme vamos realizando este trabalho sobre nós mesmos e Despertando a Consciência, que surge em nosso interior um indivíduo, um sol, uma força que agrega diferentes forças. É uma unidade ainda que seja múltipla... é múltipla porque é formada de diferentes forças divinais, mas atua como uma unidade a totalidade destas forças e não como diferentes indivíduos com vontades próprias.

Nossa Obra, nosso trabalho consiste exatamente em desintegrar este equívoco interior da separatividade, para que possamos conquistar a individualidade. Ao fusionarmos estas diferentes "vontades" em uma única vontade, surge o Super-homem, o homem cuja vontade é inquebrantável, cuja ação tornam-se a cristalização da própria vontade universal.

Muitas vezes as pessoas não entendem porque não se desdobram conscientemente nos mundos internos, ou porque não conseguem dialogar com os Mestres, porque não tem clarividência, ou intuição, dentre tantos dons que nos entrega o espírito. Mas a verdade é que enquanto tenhamos em nós estas diferentes "vontades", esta falta de uma direção única, que gera esta falta de continuidade de propósitos, jamais poderemos fazer algo concreto.

E isto é algo muito simples e muito óvio de se compreender. Afinal muitas pessoas trabalham por alguns minutos na Obra, logo se deixam governar por diferentes agregados que nada tem de ver com a Obra. Então não conseguimos caminhar até aonde temos de caminhar, porque damos dois três passos em direção a luz, logo diferentes elementos interiores negativos assumem o comando da pessoa e nos levam vinte, trinta passos para as trevas...

Então que realmente se entende o porque dos Mestres nos indicarem tanto de estarmos "Alertas vigilantes, como vigia em tempo de guerra". Porque é uma guerra que temos de declarar a este inimigos internos do Eterno, à estas forças que se opõe ao caminho que nos leva até nosso Ser.
E torna-se impossível chegarmos a meta, enquanto exista em nosso interior forças que caminham para o lado contrário constantemente, que tenham conceitos próprios e vontades alheia a esta coletividade Divina, a este Indivíduo Sagrado que está nascendo e crescendo em nosso interior.

Quando a pessoa elimina dentro de si estas diferentes frações que apontam cada uma a uma direção, que desejam, cada uma alguma coisa, que pensam, cada uma sobre algo.. então teremos a sagrada individualidade, teremos formado em nós a unidade múltipla perfeita.

Por mais que uma pessoa possa imaginar que "é ela" quem está pensando, que "é ela" que está sentindo, a verdade é que não é isto que ocorre, porque são estas frações que lutam em benefício próprio, o Ego, por isto dizemos Ego.
E é por isto que dizemos que Eu Superior e Eu Inferior são ego, porque o Ser, a Alma não é Eu, não é indivíduo, porque quando a pessoa se solidifica como unidade, ela se une a sobre-individualidade, ela une-se ao principio da vida, aonde a unidade não existe.

A Separatividade não existe mais quando chegamos a sermos realmente um indivíduo integro, unitotal. Passamos a ser o todo, nos fundimos com o todo, quando chegamos a individualidade sagrada.

Por isto da imensa e inadiável necessidade de realmente aprender a observar ao nosso mundo interior, aproveitar estes diferentes eventos, muitas vezes difíceis, que cria a vida, para ver que forças se erguem dentro de nós querendo atuar e agir. É graças a isto que podemos dissolver o Eu, e formar o Ser em nós.

A Obra só torna-se fecunda quando realmente conseguimos formar este centro de gravitação ao redor da consciência, quando nos fechamos a toda influência negativa interna ou externa e nos centramos na Obra que cabe a cada um realizar.


E aos que hoje em dia se dedicam a tantas coisas mas esquecem de realizar o mais básico que é esta transformação íntima, deixamos as palavras do Mestre Samael a este respeito: "Qualquer tentativa de liberação por mais grandiosa que esta seja, se não leva em conta a necessidade de dissolver o Ego, está condenada ao fracasso." - Tratado de Psicologia Revolucionária

18/06/14