zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
Remorso

A Vida nos dá sempre muito material de estudo, pois certamente há muitas coisas que devemos observar e compreender para que possamos levar uma vida plena.
A Vida pela vida não tem sentido prático, se não a observamos tudo isto do ponto de vista espiritual.

Tudo na vida tem diferentes significados e também diferentes amplitudes, profundidades, e nossa consciência deve ser capaz realmente de chegar até estas verdades mais absolutas, para que sejamos capazes de realizar o que cabe a cada um realizar.
Os próprios termos Bem e Mal, que são muito mal usados, podemos traduzir como bem aquilo que fazemos de acordo com a Lei Divina, e Mal, tudo aquilo que fazemos em desacordo com a Lei Divina.

Muitos dos erros que cometemos em nosso dia a dia, poderiam estar de acordo com o padrão normal da sociedade, coisas que todos fazem, e que apesar de ser comum em uma cultura ou em um povo, é um erro e um delito, uma maldade dentro do ponto de vista transcendental, pois vai contra as Leis Divinas.

Não é tão difícil como podemos imaginar, compreender quais sejam estas Leis, já que elas estão expressas em toda a natureza e nós muito sensivelmente as percebemos e sabemos quando as violamos, ainda que não estejamos plenamente conscientes disto.

Quando alguma falha psicológica atua por meio da pessoa, quando um Eu, toma o veículo humano e comete algum erro, do ponto de vista divino, esta contradição da pessoa em relação a vontade do Íntimo (Nosso Real Ser), do Logos (o Cristo), ou mesmo do Sagrado Sol Absoluto (Deus em seu sentido mais completo), gera uma onda que percebemos como um sentir que chamamos "Remorso".
Este remorso que sentimos é o efeito do desacordo da pessoa, não apenas com fatos a nível físico que estejamos errando, mas internos, com as partes superiores do Ser.

O Remorso é como um pulso magnético que tenta realinhar aquilo que perdeu-se para que se reestabeleça o curso da vida da pessoa.


Vemos que o remorso nem sempre parece ter lógica à pessoa, pois ela pode facilmente justificar uma ação, um pensamento, um sentimento, dentro do que os outros fazem, pois é da cultura de um povo ou da humanidade atual, ou mesmo que está dentro das leis humanas, mas inevitavelmente ela sente este remorso, esta percepção clara de que fez algo errado porque isto viola as Leis Divinas. Isto do remorso é algo matemático e que inevitavelmente se processa em todas as pessoas.

O Normal, o comum é que as pessoas ignorem este apelo da consciência, este impulso do Ser, do Logos, do Sagrado Sol Absoluto, porque vivem adormecidas, porque ao menor sinal desta dor interna, já preenchem sua vida com qualquer coisa que a faça não perceber mais estes latentes sentidos internos.
Uns buscam o vício, outros divertimentos insanos, passatemos que não os deixem perceber mais estes sentidos internos (televisão, música, internet), etc.

Após algum erro, após qualquer má ação, qualquer um fica ciente de seu delito, pois recebe esta percepção interna do remorso.
Pode a humanidade inteira justificar um erro, mas o remorso não nos permite que sejamos enganados, se realmente estamos dispostos a escutar nossa consciência.

E é interessante isto do remorso, pois nestes tempos de intensa sexualidade mal direcionada, vemos muitas reportagens falando do sexo e da culpa, do ato sexual e de pessoas que logo após o orgasmo sentem remorso, sentem-se mal pelo o que ocorreu.
Na prática vemos todos os dias as pessoas sendo alertadas dos mais diferentes delitos, seja da promiscuidade, seja da conscupiciência, ou mesmo da fornicação que é a perda da energia sexual. Claro que o remorso é algo que vale para tudo, mesmo o bem que podemos fazer e não fazemos, é suficiente para que recebamos este impulso interno que nos alerta que algo de errado fizemos.
Por isto que se afirma que um dos postulados do Karma é: "Que se paga pelo bem que podendo fazer não fazemos"... realmente esta percepção interna nos demonstra claramente esta Lei do Karma em fatos.

Temos plenamente condições de saber se devemos ou se não devemos ajudar a alguém, quando nos cabe e quando não nos cabe atuar, porque assim como há este impulso que nos diz que fizemos algo errado, é óbvio, é claro, é lógico que também recebemos o impulso que nos indica que devemos atuar ou nos abster de algo.
Lamentavelmente as pessoas, todos nós, estamos presos em meios a nossos conceitos equivocados, em meio a nossos vícios, nossas falhas, que claro optamos por ignorar e desprezar estes impulsos internos já que são impulsos contrários a sua natureza, contrários aquilo que são seus interesses, seus desejos.

O Resultado disto, deste constante ignorar estes sentidos internos, estas orientações de nossa parte divina, é que paramos de receber em definitivo estes impulsos internos e "somos abandonados" pelo Ser já que não lhe escutamos.

É claro que na humanidade já nem todas as pessoas tem o sentido do remorso ou estas percepções que aqui comentamos, é realidade que existem os perversos, os maquiavélicos, pessoas que poderiam comenter qualquer delito sem o mínimo arrependimento, sem a mínima atenção interna lhe informando que fez algo errado.
Isto ocorre com as pessoas que se afastaram demais de suas partes internas, que se afastaram do caminho que conduz ao Logos, ao Sagrado Sol Absoluto.

Quanto mais atendemos a estes impulsos divnos, quanto mais nos alinhamos com "A Grande Lei" é óbvio que nos integramos com esta Consciência-Vontade Universal e nos tornamos vivas expressões destes principios divnos, seres guiados não apenas por sua Consciência, mas pelo Íntimo, pelo Logos, pelo Sagrado Sol Absoluto.
Do contrário, quanto mais ignoramos estas percepções internas, quanto mais maldades e erros cometemos em nossa vida, mais nos aproximamos das Trevas e do Averno (Inferno), sentenciando-nos assim a degeneração, a involução.

26/06/14