zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
A Morte e o Despertar

Nosso trabalho íntimo, consiste em duas etapas, no referente a morte do Ego, a primeira é a liberação de nossa essência presa em meio a estes defeitos, e a segunda o despertar e o exercício desta consciência.

Nossa Alma encontra-se partida e aprisionada em diferentes defeitos, diferentes falhas que aprisionam porções, frações desta Essência maravilhosa.

Sabemos que muitas pessoas anseiam o Despertar da Consciência, as experiências transcendentais, mas sem que tenhamos passado primeiramente pela liberação destas frações de nossa Alma, torna-se impossível alcançar tais realizações, porque a força capaz de realizar isto encontra-se profundamente adormecida dentro de nós mesmos.

Antes de proceder com o Despertar da Consciência, necessitamos desintegrar o Mal que faz guarda e aprisiona nossa Consciência.
Conforme vamos desintegrando os diferentes defeitos que aprisionam partes de nossa Consciência, então sim temos condições de Despertar e exercer esta consciência.

- A Morte de nossos Defeitos:
Então estes processos que ensinamos de auto-observação, reflexão, compreensão, julgamento e execução do Eu, são claramente o processo de eliminação de nossos defeitos.
Conforme olhamos a nosso mundo interior e buscamos as origens de cada pensamento, de cada sentimento, é claro identificamos muito francamente diferentes entidades inumanas que carregamos dentro de nós.
A Reflexão serve para que tenhamos o discernimento de que elemento devemos trabalhar, é um pedido interno de orientação, para que sejamos guiados de que Defeito nos cabe trabalhar em seguida.
Então vem a compreensão que é o estudo profundo, até chegarmos ao conhecimento íntegro de tal defeito.
Uma vez compreendido, rogamos ao Fogo do Terceiro Logos em nós, à nossa Divina Mãe Kundalini, que elimine tal ou qual defeito.

A Morte em Marcha, que é esta repressão dos demais defeitos que não estamos trabalhando, serve para que não estejamos a mercê a todo momento de todos os demais delitos identificados. Também serve como processo de morte psicológica, para alguns elementos mais frágeis em nosso interior, que ainda não aprisionaram totalmente tal ou qual fração de Alma.
Mas não podemos pensar que somente com a Morte em Marcha iremos avançar em nosso trabalho, a morte em marcha é um "paliativo" para os demais elementos que não tivemos a indicação de trabalhar no atual momento, exatamente para que não se proliferem e tomem o espaço daquele outro que estávamos eliminando.

Então é indicado que se rogue à Mãe Divina por ajuda, que elimine tal ou qual defeito, que percebemos a expressão em nós. Claro que nosso foco será naquele que nos comprometemos a eliminar, mas mais uma vez repetimos, que não podemos deixar o restante destas criaturas abismais com rédeas livres para atuar.

A Morte é gradual, isto tem de ficar muito claro, não é apenas com uma breve análise e uma única súplica que será desintegrado tal ou qual eu, conforme compreendamos o Eu, e conforme seja a integração e o fogo que tenha nossa Mãe Divina particular, será a eliminação do defeito em questão. Há defeitos que eliminamos em uns breves dias, outros levam meses, e há outros que não seremos capazes de eliminar pois estão atrelados a Karmas não negociáveis que temos de pagar. Por isto se faz necessária a reflexão, para que não insistamos em algo que não somos capazes de realizar em determinado momento.


- O Despertar da Consciência:
Se procedemos corretamente com a morte psicológica, se liberamos diferentes frações de nossa Alma, então temos de exercer tal consciência e fazer uso deste material que já possuímos verdadeiramente.
Agora entenderão nossos irmãos mais antigos, para que tantas práticas foram nos entregues, pois por meio destas práticas como de Meditação, de Desdobramento Astral, poderemos Despertar a Consciência, exercê-la.

Na proporção de nossa Morte e nosso esforço, será o nosso Despertar.
Alguns dizem que é difícil ter resultados na meditação, ou que não tem consciência nos mundos internos, e a verdade é que possivelmente lhes falte mais avanços na Morte Psicológica, ou então não estão praticando as chaves do Despertar da Consciência.

Ter Consciência Desperta não é algo tão distante como muitos imaginam, afinal se realizamos de verdade os processos de Morte Psicológica, se estamos fazendo mudanças radicais em nosso interior, se são transformações definitivas, verdadeiras, é porque estamos eliminando defeitos e liberando virtudes, poderes, dons...
O Exercício destas virtudes, poderes, dons, depende claro de uma guiatura de nossa Consciência, afinal é ela quem determina que prática temos de fazer em cada momento de nosso caminho.

Temos de nos tornar devotos sinceros de nosso Ser e de nossa Bendita Mãe Kundalini, para que possamos ser a todo momento guiados e ajudados na Grande Obra que cabe a cada um realizar.


O Despertar da Consciência é indispensável, buscar este caminho e não ser capaz de comprovar cada detalhe destes ensinamentos diretamente, por nós mesmos, equivale a tentar dirigir um veículo de olhos vendados, é óbvio que acabará em uma tragédia.


Faço-lhes uma sugestão, muito sincera, que façam uma prática muito simples e que sustentem isto ao longo do dia, e verão, que conseguirão conscientemente atuar nos mundos internos, se tem realmente avanços na Morte Psicológica e por consequência tem frações de Alma a sua disposição.
Não vamos ensinar nada de novo, pois é aquilo que os antigos já conhecem, algo que foi entregue pelo Mestre Samael, mas que muitos subestimam já que ensinamos nos niveis mais básicos de nossos ensinos.
Se é ensinado logo no começo, é porque devemos sempre praticar e jamais devemos esquecer, porque isto que é indispensável...

Se ao longo do dia não nos identificamos com nada, absolutamente nada, é óbvio que ao nos desdobrarmos, ainda que seja um desdobramento involuntário, nos mundos internos repetiremos exatamente o mesmo que fizemos ao longo do dia, e Despertaremos a Consciência inevitavelmente.
A Chave SOL, o exercício de fazermos esta reflexão de identificar o Sujeito, Objeto e o Lugar, nos permite não nos identificarmos com coisa alguma e por consequência vivermos despertos tanto no mundo físico como nos mundos internos.

Se não esquecemos de nós mesmos, do que estamos fazendo, do lugar aonde estamos, é claro que nada nos fará adormecer nossa consciência.
E mesmo que sejamos pegos por algum pensamento, algum sentimento, se repetimos a Chave SOL, e mais uma vez nos localizamos, é claro que seguramos mais uma vez a rédea de nossas vidas.
É algo muito simples, e o resultado é matemático... nas horas de sono, nas dimensões superiores da natureza, repetiremos o mesmo, buscaremos esta recordação de nós mesmos, buscaremos recordar o que estamos fazendo, aonde estamos, como chegamos ali, e claro ficarão lá muitas lacunas, veremos muitas coisas que já não correspondem a uma terceira dimensão, encontraremos lapsos de eventos sem explicação, quem sabe até recordaremos que depositamos nosso corpo físico no leito e o abandonamos para ingressar nesta outra dimensão...

Em fim, como vemos, o exercício desta Consciência no mundo físico nos faz repetir o mesmo nos mundos internos e nos dá a possibilidade de investigar ativamente tais dimensões superiores.

Isto é indispensável para nosso caminho, pois podemos dialogar face a face com os Mestres da Loja Branca, podemos ir aos Templos participar dos Sagrados Rituais bem como receber todas estas tão preciosas instruções, de lábios a ouvidos.

02/07/14