zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
Ponto de Vista

Nossa psicologia realmente necessita expandir-se, desenvolver-se, se é que queremos trilhar o caminho sem cometer graves erros.
Dizem os sábios Mestres que muitos delitos foram cometidos em nome da verdade, ainda que claro tenha sido o resultado de um ponto de vista equivocado e que nada tem de ver com a verdade.

Um ponto de vista equivocado, pode criar em nós profundos traumas, e por consequência fazer-nos afastar-nos da Senda a qual nos propomos trilhar.
Da mesma forma, tendo em base um ponto de vista equivocado, podemos cometer muitos erros e afastar a muitos do caminho secreto.

O Ponto de vista, se avaliamos fisicamente, é o local que nos encontramos, e o que conseguimos ver deste ponto específico.
O Ponto de vista que tem uma pessoa em uma clareira, no meio de uma floresta é bastante reduzido, mas outra pessoa que esteja no cume de uma montanha e veja toda aquela floresta por cima, inclusive aquele primeiro que está na clareira, certamente tem um ponto de vista superior pois consegue ver o caminho que aquele primeiro tem de trilhar e o seu mesmo, já que está acima de tudo e vê tudo.

Todos nós sabemos, que desde os antigos tempos o homem aprendeu a reconhecer os sinais da natureza para guiar-se.
Aprendemos que os polos do planeta apontam um norte e a direção predominante do vento, a direção que os pássaros migram, a própria rota que vemos o Sol traçar no céu (nascente e poente), as Estrelas que tão perfeitamente nos iluminam a noite, são indicativos bastante objetivos para sabermos aonde estamos e para aonde temos de ir.

Antes de mais nada, devemos aprender a saber nos colocar no lugar do próximo, nas mais diferentes situações da vida, afinal esta empatia, esta capacidade de psicologicamente sentir-nos no lugar do outro, nos permite entender o ponto de vista alheio e sermos mais solícitos para com o entendimento e com a necessidade alheia.
Afinal muitas vezes temos o que o outro não tem, ou nos falta o que o outro tem... e boa parte das discussões, das desavenças, das lutas, das guerras, simplesmente perderiam o sentido se aprendêssemos a nos colocar no lugar do próximo, a realmente compreender seu ponto de vista.

Sabemos que muitas vezes as pessoas, nós mesmos, chegamos a conclusões infelizes, a pontos de vista equivocados, e isto faz com que se tomem uma série de ações que são negativas, pois assim vemos em sua origem. Uma base falha, gera uma estrutura falha.
Para nós, certamente é buscar restabelecer este ponto de vista correto, e corrigir as falhas. Para com os outros, inevitavelmente temos de aceitar o momento que vive e deixar trilhar seu próprio caminho, ainda que claro possamos tentar ajudar como entendamos que seja necessário, mas sem interferir em seu livre arbítrio e aquilo que cabe a cada um vivenciar.

A Própria Divindade, as diferentes expressões da Divindade, se formos a fundo analisar sua natureza, vamos ver que tem de certa maneira, diferentes pontos de vista, exatamente pela região em que se encontram na criação. Cada nível de consciência, cada região da luz, nos confere um novo ponto de vista acerca das diferentes regiões. Afinal se observarmos o mundo do céu, ou do espaço, teremos uma vista completamente diferente daquela que tínhamos acima da montanha, e assim por diante.

Assim que uma pessoa pode divergir de outra na solução de uma questão, e não significa que uma delas ou ambas estejam erradas. Por isto que é importante avaliar o ponto de vista alheio, realmente nos por no lugar do outro indivíduo.
Inevitavelmente somos limitados, e mesmo as Divindades, elas são limitadas dentro da região a qual penetraram e ainda assim existem regiões paralelas de igual força mas de manifestações distintas, o que geram diferenças mesmo entre os Anjos, Arcanjos, Serafins, Potestades, ainda que estejamos comparando dois seres que se encontrem em uma mesma esfera celeste.

O Mundo não é diferente, afinal vemos a predisposição das pessoas a tantos ofícios e ações e até certo nível isto é sua natureza íntima a qual difere algumas vezes da nossa, e não necessariamente é equivocada.

O Ponto de Vista, saber observar as questões do ângulo correto, da maneira correta, com nossa fração interna adequada, é urgente para que possamos dar a cada questão da vida, sua devida solução.
Uma pessoa fazendo algo bom, por conta de uma situação adversa, poderia sentir-se usada e criar em seu universo interior um trauma (gerando um medo, um rancor) por conta disto. A mesma pessoa de um ponto de vista melhor, poderia ter observado que suas ações são feitas por um impulso interno e que os eventos que surgiram eram um meio para estas realizações e indiferente dos resultados, cumpriram sua função.


Quando dois pontos de vista se confrontam, quando existe uma disputa real, quando há um embate, sempre, sem exceção alguma, uma das forças converte-se em branca e a outra em negra. Pois indiferente de ambas estarem corretas, uma age positivamente e a outra negativamente.
Então duas forças que poderiam ser positivas (pois cada uma atuava dentro de seu ponto de vista), ao confrontarem-se uma converte-se em negativa.

É como dizemos que positivo com positivo gera negativo e negativo com negativo gera positivo. Ou seja, uma destas forças está atuando negativamente e por isto surge o embate, o confortamento.

Há ações que nos cabem realizar, e há ações que não nos cabem realizar.
É difícil falar do que cabe a alguém fazer e do que não cabe, quando mesmo aquilo que nos cabe fazer, fazemos quase que inconscientemente, realmente levados por este "Instinto Espiritual" que de momento a momento nos indica o que fazer e o que não fazer. Ainda assim sabemos que há forças negativas em nosso interior que igualmente poderiam nos impulsionar a uma ação que não nos corresponde, seja por orgulho, por inveja, etc.
Assim também algo que nos cabe fazer, poderíamos deixar de fazer por medo, por preguiça, etc.

Se os pais soubessem colocar-se no lugar dos filhos, se os filhos soubessem colocar-se no lugar dos pais.
Se os professores soubessem ver do ponto de vista dos alunos, se os alunos conseguissem ver do ponto de vista dos professores.
Se o indivíduo conseguisse pôr-se no lugar da massa e se a massa consegui-se perceber e sentir cada indivíduo.
Haveria certamente uma harmonia e uma integração muito grande, além do que, somente haveriam disputas justas, criadas por aqueles que realmente tem consciência do que lhes cabe realizar. Afinal somente o que compreende o todo, o que consegue ver o contexto geral, é capaz de atuar dentro desta vontade universal, pois não está identificado com tal ou qual ponto de vista, senão que vê o todo, é o todo.

Lutar por aquilo que nos cabe lutar, certamente é indispensável, afinal estaremos unidos a esta vontade universal. No entanto criar um embate sobre algo que não nos corresponde, é transformar-nos em uma força negra, em um cenário certamente desastroso senão para todos, para nós mesmos.


Indiferente da região que estejamos, sempre há pontos referenciais, como já dissemos, os quais em geral são um guia comum quando há uma disputa ou mesmo dúvida. Para nós são os ensinamentos daqueles que já estão muito distantes do processo que nos encontramos e tem um ponto de vista muito elevado em relação a todos nós, e já são como estrelas que brilham no céu e nos mostram a direção a seguir, indiferente da situação ou da região que estejamos. Seja o que esteja na selva ou o que esteja no monte, ou mesmo o que esteja no meio do mar, ou até no céu, ou nas proximidades do espaço terrestre, as estrelas são um denominador comum, para todos e isto é a Doutrina, a Sabedoria entregue pelos Deuses.

07/07/15