zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
Tirar a dor; Evitar a dor

O Caminho Espiritual tem por base o encarne, a integração da pessoa Humana (A Alma e seus veículos) com as diferentes partes do Ser.
Para que cada uma destas frações do Ser nasçam em nosso interior, necessitamos passar cada vez que isto ocorre, por um pequeno gênese, por um amanhecer, por um parto.
Recordem do que já falamos sobre separar a luz das trevas... Pois é o o que ocorre durante o encarne de cada um destes processos, tomando a fração positiva e integrando-nos com ela e removendo, separando e pondo em seu lugar a parte negativa (em nosso abismo interior, para sua desintegração).
Certamente qualquer pessoa que já viu o que é um parto, já passou por isto, sabe a dor que tem a mulher para trazer das Trevas à Luz, aquela vida (de maneira natural).
É uma dor muitas vezes pior do que as dores que sentimos no instante que se aproxima a morte. Tal é a proporção da força necessária a trazer um novo Ser a vida.
Ligar algo, é muito mais custoso que Desligar, isto é certo.
Qualquer pessoa que já lutou contra a gravidade subindo uma montanha, sabe que é muito fácil e muito rápido cair, descer, do que subir.

Então que a dor é algo que faz parte do caminho e que constantemente nos encontramos com ela. Pois algo morre e isto dói, algo nasce e isto também dói.
É muito diferente a dor da culpa por ter feito algo errado, da dor do esforço por fazer algo certo.
No entanto a própria dor da culpa, o remorso, é uma função natural da consciência, indicando e nos impulsionando a corrigir os nossos erros.
Pior seria não sentir dor, pois seria já a ausência da força que impulsiona a mudança, seria aí o término, a desistência do esforço pelo certo, pelo justo.

Nós inevitavelmente nascemos com dons, com instintos não apenas físicos mas espirituais que nos permitem intuir a verdadeira natureza das coisas. Realmente perceber o que é certo e o que não é, o que é justo e o que não é. Infelizmente isto atrofiamos muito cedo, e a maior parte das pessoas não se interessa por buscar reencontrar, expressar novamente; Ou mesmo não consegue, por falta de esforços ou outras questões similares como um trabalho equivocado.

Algo que temos de ter muito claro, é que uma coisa é TIRAR a dor, e outra coisa é EVITAR, abafar, suprimir a dor.
Para tirar a dor, necessitamos a integração com a parte espiritual, pois seguindo os desígnios do espírito, cumprimos com o processo e findado o processo a dor acaba.
O Contrário disto é evitar a dor. Evitamos a dor ao ignorarmos as partes internas, espirituais. Muito do que nos vem da parte espiritual nos vem como uma dor, como uma quase angústia, como aquela pessoa que se afoga e busca pelo ar. A questão é que as pessoas não suportam a verdade e não aceitam parar por um momento e escutar este grito espiritual dentro de sí e se ocupam com qualquer coisa, e se integram com qualquer devassidão para abafar estas angústias guiadas pelo espírito. Assim evitam a dor, ainda que ela continue lá existindo.

Hoje em dia o mundo não para... as pessoas não param. Não tem um minuto de silêncio, não tem um minuto de solidão com suas partes internas, não voltam suas atenções ao seu mais Íntimo e o resultado disto é que evitam a dor... dor esta que seria o mais autêntico guia para sabermos nossos mais íntimos e profundos erros, assim evitando dores ainda piores não apenas no campo espiritual mas físico já que todo erro, assim como todo acerto tem sua consequência, um retorno, um resultado.

Há processos ao longo na Iniciação aonde encarnamos mais objetivamente o "Senso de Justiça", e é quando este instinto espiritual se faz mais polido, mas direto, mais concreto em nossa Consciência. Em outras palavras, é quando realmente temos condição de separar mais profundamente o que é Luz, do que é Trevas, não apenas dentro de nós mas em nossas vidas.

Muitas coisas nós hoje talvez não sejamos capazes de fazer, e não somos capazes porque ainda não temos as forças, as frações da Alma, da Consciência, do Ser, capazes de dar a justa ação para provocar a mudança necessária.
Assim que o trabalho depende de uma organização e de um grande aprendizado, uma grande astúcia, não somente em eleger os rumos, mas saber quando dar cada passo pois não é apenas trilhar um caminho, mas saber em que momento cada passo deve ser dado.

14/08/15