zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
Prostituição Esotérica

A Palavra prostituir, tem diferentes significados, dentre elas, oferecer serviços sexuais em troca de recursos (financeiros, por exemplo).
Prostituir-se, também significa, na nossa linguagem, a perda da dignidade, também colocar interesses materiais a frente de espirituais.

Antes de falar da Prostituição Esotérica, temos de entender a Prostituição em geral, o que motivam ambos os lados, para que entendamos o que gera este evento e como justifica-se para estas pessoas isto.
Bem, a mulher que oferece o ato sexual em troca de dinheiro, ela antes de mais nada leva em conta a ação paralela que existe no decorrer da conquista.
Por exemplo, o homem enamorado, dá a mulher pela qual está amando (ou desejando, dependendo do caso), presentes como flores, doces, em fim, uma série de objetos os quais são uma representação material do apreço e do sentimento, das intenções que tem por esta outra pessoa.
Isto geram gastos, normalmente. Assim vão além de presentes, jantares, almoços, em fim, uma longa série de esforços não apenas financeiros mas emocionais, intelectuais, para que haja esta integração do casal.
Então esta mulher, chega a infeliz conclusão que há um “atalho” e algo mais prático para ambos os lados.
Ou seja, em vez do homem comprar coisas que ela não quer, não precisa, ele dá a ela diretamente o dinheiro e ela faz o que queira com o mesmo.
Ela continua desimpedida para ter casos similares com outros homens e fazer dinheiro as custas da exploração de seu corpo, sua sexualidade.
Mas para a pessoa que se prostitui, neste caso do exemplo, para a mulher, como está levando em conta apenas as aparências materiais do mundo, é justificável, pois em seu entendimento é o mesmo que há em um relacionamento, e na verdade não é.

O Homem que chega a este ponto (de pagar pelo sexo) leva em questão coisas parecidas. Ele vê o gasto que há em ter alguém em sua vida, e entende que é mais fácil um envolvimento sexual sem o restante natural, como é a parte emocional, e tudo aquilo que há naturalmente em um relacionamento, a atenção, a comunhão da vida.
Como é dito no próprio dicionário, a prostituição é a degradação moral. Mas é também a perda do sentido ético da realidade espiritual.
Este ato leva em conta a questão de por o material, acima do espiritual e por isto acontece.

Lógico que há muitas variantes nisto que estamos dizendo, mas esta é a síntese básica neste aspecto que estamos relatando.


Ou seja, se o impulso do homem é em relação ao sexo, e se a mulher em questão precisa dinheiro, parece justo em um entendimento material destes dois personagens, que se deixe de lado todo o romantismo, toda a afeição, em fim, tudo aquilo que atrai duas pessoas, e torne-se um negócio, e nada mais.

Se observamos um relacionamento, o que muitas vezes gera um casal, o que os atrai, é na verdade uma série de forças, as vezes inferiores, as vezes superiores...
Não é incomum vermos casais aonde há um verdadeiro amor, ainda que parcial, já que se manifestam muitas forças negativas por meio destes dois... Mas que é um verdadeiro sacrifício, no sentido belo desta palavra, no relativo a o que cada um realiza para estarem juntos.
Cada um, em um casal, tende a dar o melhor de si para que esta comunhão funcione e no fundo fusionam duas vidas em uma já que abrem mão de muito daquilo que eram, em benefício do que podem vir a ser, já que cada um tem suas particularidades mas juntos formam algo novo.
A Falta destes quesitos acima especificados, no caso da prostituição, é o que “quebra”, o que denigre esta ação pois damos ao outro algo que não deveria ser dado desta maneira, por estes motivos.
Não negamos que existem relacionamentos, casais, os quais o casamento nada mais é do que uma prostituição legalizada... afinal há pessoas que relacionam-se com outras por poder, por dinheiro, por uma questão social e isto sim, realmente é a mesma prostituição, pois não há amor, não há um sacrifício pelo ente querido, mas uma troca, um negócio.


E assim entramos no ponto central do que temos, de tratar hoje.

Quando nós fazemos uma bondade, quando damos algo a alguém, e isto realmente fazemos por uma compreensão da necessidade do outro por aquilo que podemos dar e fazemos de boa vontade, sinceramente, sem segundas intenções, certamente é algo maravilhoso, mas nem sempre é assim como ocorre, ainda mais hoje em dia.
Muitas instituições esotéricas, mesmo as religiões, vemos degeneraram-se ao longo das idades e uma das coisas as quais prostituíram-se muito rapidamente, é pela parte material, a parte financeira.


A Religião como Doutrina, é o fundamento de uma Obra, é uma metodologia a qual permite o Homem retornar à sua Divindade Interior.
E isto não podemos, realmente não temos como cobrar, não há como ser vendido (o ensinamento disto).
As pessoas que verdadeiramente ensinam o caminho espiritual, realmente o caminho autêntico, o fazem por um anseio espiritual, por um Sacrifício consciente, por um Padecimento voluntário, como é dito pelos sábios Instrutores do Mundo.


No entanto quando colocamos um preço a qualquer um destes ensinamentos, estamos simplesmente trocando o espiritual pelo material.
E vejam que há infinitas justificativas para alguém ao ensinar, querer cobrar. Mas vemos que as coisas começam assim e logo cobram pelos sacramentos, como hoje fazem as Igrejas já derrotadas e divorciadas de sua parte espiritual. Afinal como podemos cobrar pelo Matrimônio ou pelo Batismo? Da mesma forma como podemos cobrar pelo ensinamento?

A Mente é algo terrível, realmente terrível, pois nossos defeitos infelizmente sutilizam-se de maneira a conseguir controlar e justificar às multidões erros os quais jamais deveriam ser cometidos em nome do Espírito.
Hoje em dia há mercadores que cobram por tudo, seja por salvar uma vida, seja por ensinar o evangelho... e é exatamente a mesma força que leva uma pessoa a prostituir-se, o que gera este tipo de conclusão infeliz.

Porque a pessoa justifica que precisa de recursos para isto, para aquilo. Mas naturalmente as pessoas ajudariam, se realmente quem faz isto, faz de boa vontade, faz de coração, faz de plena entrega. Sem esperar algo em troca.

E é terrível o que vemos hoje em dia acontecer. Há infelizes criaturas que apelam para a parte emocional das pessoas e ao entregarem estes santos ensinamentos, pedem, que “doem” algo na proporção que foram tocados pelos ensinamentos, ou seja, conseguem estes Demônios vender e mascarar a venda e seguir enganando as pessoas.

Realmente a maldade humana não tem fim, e não nos espanta que a Verdade fuja das pessoas, já que não são aptas a vê-la e a compreendê-la, que dirá encarná-la.


Lhes digo que se não fosse pela insistência dos Santos Deuses em ainda seguir auxiliando algumas pessoas, alguns grupos, diríamos que está perdido, mas como ainda vemos o esforço interno em guiar, em corrigir, diremos que está em um processo decisivo e final sobre estes assuntos.

31/08/15