zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
Estados Psicológicos

Falamos tanto em mudança, mas temos a certeza que muitos ainda pensam e entendem estas mudanças como algo superficial.

Alguns imaginam que se sua esposa, se seu marido fosse outro, tudo seria diferente. Alguns supõe que se tivessem outro emprego, ou se tivessem uma renda maior, tudo seria diferente...
Grande parte das pessoas realmente tem esperança que qualquer mudança mundana, superficial alteraria completamente o rumo de suas existências.

Infelizmente não é assim, e isto podemos observar muito claramente na vida.


A Pessoa é o que ela carrega no mais profundo de si mesma. Inevitavelmente se não há uma mudança interna, sempre estaremos subjugados aos mesmos Estados Psicológicos e as mudanças externas sempre serão moldadas negativamente ou as perceberemos sob um prisma negativo no final das contas.

Nós realmente ficamos por um período muito breve alegres, quando algo bom nos acontece, mas em geral nos acostumamos a estes novos eventos, estas novas pessoas, estas novas situações e se não foram mudanças Aparentes-Transitórias (etc... como já explicamos), o resultado é nulo, ou praticamente nulo, pois como internamente somos os mesmos, iremos sentir as mesmas coisas, iremos atuar da mesma maneira e o resultado exterior é inútil.

Assim que podemos estar em um novo relacionamento e ter os mesmos eventos e as mesmas percepções que tínhamos do anterior, podemos estar em um novo emprego, em uma nova cidade, em uma completamente nova situação, mas como somos o mesmo, o exterior acaba sendo moldado por nossas ações e nós percebemos o exterior da mesma maneira que antes por conta de nosso Estado Interior equivocado.


É muito triste ver as pessoas correndo de um lado para o outro no mundo tentando resolver problemas que no fundo não existem, pois querem remediar as consequências e pouco importam-se com a origem destes eventos que está sempre dentro delas.
As situações externas infelizes que nos acontecem no mundo, são o resultado sempre de um estado interior equivocado, de uma manifestação de uma forma negativa que age de maneira a nos conduzir sempre a um tenebroso fim, a uma infeliz situação.

Se estas mudanças não são feitas em nosso interior, seremos como sempre fomos e nossa vida continuará sendo como é, sempre que não haja esta mudança concreta, perfeita e permanente em nosso interior.


Há muitas pessoas que acostumaram-se com o caminho, que transformaram o conhecimento esotérico como uma teoria a mais, uma "coisa" a mais a ser estudada e tida como algo inalcançável, impraticável. E não me refiro as pessoas que se opõe diretamente a prática da religação com o espírito, senão que aqueles que a ensinam, que a pregam, ainda assim não tem resultados pois vivem algo superficial, completamente estético.

Assim que se não há uma mudança profunda no indivíduo, as coisas externas tornam-se completamente, absolutamente irrelevantes, inúteis.

Não digo que muitos ajustes não tem de ser feitos a nível aparente, já que esta aparência muda quando internamente mudamos concretamente, mas devemos antes de mais nada conquistar plenamente estas mudanças internas, instalando-se assim sobre nós um novo permanente Estado Psicológico que refletirá em nossa vida esta nova Luz que tenhamos acerca do todo que nos cerca.

Mas as pessoas preocupam-se mais com o que os outros pensam delas, levam mais em conta a infinita tentativa de encontrar algo no mundo que alivie suas dores, que acalente seu coração dolorido, e não percebem que são esforços em vão que realizam.

Muitas das coisas que pedimos à Deus, levam tanto tempo para cristalizarem-se no mundo tridimensional (porque a natureza não dá saltos) que não é raro que quando a Divindade cristalize nossas petições já não tenhamos mais aquele mesmo sentir acerca daquilo que pedíamos com tanta ênfase... Por isto que temos de saber o que pedir, e compreender que apesar de nada ser impossível, nem tudo é imediato.
Muitas ajudas, muitas resoluções feitas por parte da Divindade dependem de ajustes de coisas muito maiores que compreendemos e temos de saber prezar aquilo que seja permanente, assim mesmo que não seja possível ao longo de uma existência realizar, tenhamos certeza que em algum momento isto será realizado, ao longo da vida que abrange muito mais do que aparentemente recordamos que já vivemos ou do que imaginemos seja a vida.

Vivemos hoje um chamado à mudança, muitas pessoas realizarão esta mudança superficial por não compreender o real sentido deste impulso que hoje recebemos. A única coisa que carregamos desta vida são nossas realizações e aquilo que nos tornamos. Assim que não fica difícil compreender pelo que vale ou não a pena lutar.

Há homens que lutam contra outros por palavras, por mando, por dinheiro, por bens, por direitos, por tantas coisas que em um piscar de olhos sequer existirão ou continuarão a ter sentido para nós.
Isto claro não é uma desculpa para ausentar-nos de nossas tarefas diárias, senão que para transformá-las divinamente por meio de uma revolução interior.

13/01/16