zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
O Cárcere do Medo

Há muitas coisas operando por detrás do indivíduo que não percebemos. Digo, nós mesmos ao atuar não vimos claramente a origem de cada uma de nossas ações, destes impulsos que movem o indivíduo às diversas ações de seu dia a dia e que são as bases daquilo que somos já que são as origens de nossas ações.

Sempre temos de buscar compreender o que é o impulso natural e o que são as deturpações destes impulsos naturais. É o que define a virtude do vício, do delito, do ego.

Muito do que vemos ocorrer no mundo tem origens muito nefastas, e as pessoas movem-se em base a estes impulsos tenebrosos originados em seu interior. Como o coletivo é a soma de unidades, os grupos, os povos convertem-se em máquinas inconscientes movendo-se por delitos e confusões, incompreensões.


Há um personagem em nosso mundo interior, uma força, que realmente tomou proporções gigantescas nos tempos atuais e é a base de grande parte dos delitos que hoje comete-se seja a nível de indivíduo, seja a nível de sociedade, e este é o Medo.

Temos de entender que todos os defeitos manifestam-se de diferentes maneiras, nos diferentes centros que tenhamos. É dito que a Luxúria que é um impulso de atração cega no centro sexual, na mente se manifesta como um tipo de Lascívia e no coração como um Falso Amor... assim que, cada elemento tem de ser estudado em cada um dos centros para que encontremos sua manifestação e sua forma de atuar.

Todos nós temos instintos e estes instintos são naturalmente uma ferramenta que temos para saber aonde estão os perigos e evitá-los. Nem tudo precisamos de "tentativa e erro" para aprendermos.. pois que dirá fosse assim para os animais, nunca sobreviveriam pois sem o instinto que lhe diz o que é uma presa ou um predador, sempre seriam devorados na "tentativa" de aprender o que é uma coisa ou outra ou o que podem ou não alimentar-se.

O Instinto para nós é algo útil, ainda assim é um passo para algo maior, já que assim como a Visão ampliada para as dimensões internas torna-se Clarividência, o Instinto ampliado torna-se Intuição. O Instinto está para as coisas naturais, como a Intuição está para as ultra-natura.


No entanto uma coisa é a percepção do perigo e a reação praticamente automática do organismo e outra coisa é o medo.
Quando o instinto percebe o perigo, ele prepara o organismo para reagir ao mesmo, aumenta o bombeamento do sangue, bem como dispara os adequados hormônios para provocar uma reação rápida e eficiente quanto ao perigo que aflige o organismo. Mas como já dissemos isto é uma coisa, e outra é o medo.

O Medo é a deturpação negativa do instinto, é a negatividade em relação ao resultado.
Claro que o instinto realmente pode prever se uma ação terá ou não sucesso em evitar um dano, um perigo e dentro disto podemos agir adequadamente. No entanto muitas vezes e comumente o que ocorre é que ao ativar-se o instinto por algum motivo, alimentamos uma percepção de medo e isto é algo terrível porque não apenas não conseguimos responder adequadamente ao evento, como tomamos medidas inadequadas, totalmente despropocionias e absurdas.

Se observarmos pequenas ou grandes coisas, o indivíduo ou mesmo os grupos e povos, vamos encontrar muito disto do medo. Há em algumas coisas uma singela diferença entre o que é uma ação preventiva baseada em uma percepção da consciência e o que é uma ação delituosa provocada pelo medo.
Há muitas coisas na vida que dependem realmente de previsão, e esta previsão é gerada por um instinto que nos diz o que é necessário realizar.


Bem, temos de entender que o instinto-motor como uma resposta automática a eventos, tem sua manifestação no campo dos sentimentos, também na mente, mesmo na parte sexual vemos sua atuação. Mas vamos estudar o que é mais importante compreender em um primeiro momento, já que isto é algo que infelizmente como informação transmitida é inútil, temos realmente de penetrar em cada uma destas regiões e ver em ação estes elementos para desencadear as mudanças e as revoluções necessárias em nosso interior.
No campo dos sentimentos, a previsão do instinto torna-se um sentimento e isto inevitavelmente em sua forma negativa é o medo. O contrário do medo é a coragem e a determinação para encarar a situação que seja. O Medo atuando no próprio centro instintivo-motor são os calafrios, a paralisia, tremores, etc.
Há muitas vezes que uma situação não tem saída, uma pessoa poderia sim prever sua morte e mesmo sendo isto inevitável, encher-se de coragem e de bem-aventurança para trilhar este processo transformativo. Mas em geral como vemos as pessoas temem a morte, temem a vida, temem o próximo, temem a si mesmos, temem o passado, temem o futuro, temem o presente, não há nada que não lhes provoque medo.
Quem ama ou tem um filho, um esposo, um parente, teme sua perda, teme ficar sozinho, teme não ter recursos para sustentar sua família, sustentar a si mesmo. Temos medo de ser roubados, temos medo de ser enganados, temos medos de traições, de que nos mintam, que nos trapaceiem, etc.

Na mente a reação a um instinto de preservação interpretado negativamente, como manifestação do medo, provoca as criações mais tenebrosas que podemos observar. É aonde surgem grande parte das aberrações que aterrorizam hoje a humanidade.
É pelo medo que os ensinamentos Religiosos transformam-se em ferramentas de controle e de ódio. É aonde a Filosofia converte-se em teorias e também é aonde a Psicologia e a Ciência convertem-se de fato em um pesado e destrutivo fardo para toda a humanidade.

O Medo é um entrave final a ser vencido, pois uma criatura sem medo é um Deus ou um Demônio, ou seja, é um principio integrando-se ou integrado com a Divindade ou com seu absoluto oposto.
Muito do que impede as pessoas de adentrarem realmente nos estados profundos e mais Íntimos de consciência é o medo. Grande parte da falta de percepção interna e de afloramento dos dons espirituais naturais ao caminho de reintegração com Deus, é provocado pelo medo.

Uma pessoa com medo é uma pessoa criminosa, e jamais pode dar-se uma visão mais ampla se isto apenas lhe causaria mais medo. Igualmente jamais permitiria-se apropriar-se de um poder maior, uma pessoa que constantemente causasse dano aos demais simplesmente por medo de que lhe fizessem algo, etc.

É verdade que muitas pessoas não cometem mais delitos por medo. No entanto o próprio medo é um delito. Há pessoas que não cometem delitos diversos, mas se analisamos em sua psique o que ocorre, vemos que é porque o Medo está tão instalado em seu interior que o próprio Medo é o principio dominante e atuante. Ou seja, não houve, não há avanço nenhum em seu trabalho interno, senão que deixou de cometer um delito para alimentar outro... O Medo!

As grandes potências mundiais, atacam umas a outras "preventivamente" comumente por medo. Infelizmente tornam-se em assassinos para não serem assassinados, e isto não é algo divino. Seria melhor perecermos diante de um delito cometido para conosco do que cometer um delito tentando evitar outro.
Infelizmente há uma grande incompreensão acerca do medo e este recebe medalhas e elogios constantemente na atual humanidade.

As pessoas mentem por medo.. as pessoas tem ciúmes por medo, as pessoas cobiçam por medo.
Quem nada teme, é uno com a verdade. Quem realmente ama, e por consequência não tem o medo em seu sentimento, seu instinto, seu pensamento, não tem porque ter ciúmes do ser amado, já que é o direito de cada um fazer suas escolhas e claro é nossa escolha decidir como lidar com estas escolhas do ser amado. Há pessoas que temem a pobreza e por isto anseiam grandes reservas de dinheiro, propriedades, etc...
Quem não teme, desenvolve esta capacidade divina de desencadear seus próprios eventos e não raramente transcender situações irremediaveis, operando milagres que na verdade é o exercício da natureza mais sutil.

Como já dissemos, há uma grande diferença, em lutarmos pelo que realmente vale a pena, pelo que tem sentido, ou pelo o que não tem. Temos de realmente reconhecer aonde se manifesta o medo e eliminarmos isto em nosso interior, para que possamos viver a vida intensamente, plenamente. Enquanto exista o medo, nunca saberemos o real sabor da vida, e estaremos sempre impedidos de trilhar perfeitamente a iniciação.
O Medo é o cárcere aonde estão metidos tudo e todos, e este cárcere é a barreira final para nos definirmos pela Luz ou pelas Trevas.

"Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!
Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.
" - Apocalipse 3:15,16

25/01/16