zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Psicologia
Estagnação Iniciática

Tudo a todo momento está em movimento. Ainda que nossos olhos possam não ver, mesmo uma pedra, ou um móvel, está sempre em constante processo de mudança, de transformação. Claro que algumas coisas são tão lentas para sofrerem uma mudança visível que não notamos estas mudanças, mas também a nível celular, molecular, atômico, estes objetos tem uma vida e um constante movimento, vibração, força.

Tudo que vemos está vivo e em constante transformação, algumas coisas nascem e perecem em um espaço de tempo para nós muito curto, e outras tem uma vida muito longa, tão longa que nascemos e morremos como pessoas e estes objetos permanecem incólumes, sem mudança aparente alguma.

A Própria iniciação se formos observar na prática ela inicialmente tem processos muito rápidos, os quais em pouco tempo o iniciado vence o processo e segue a frente com novas vivências, com novas realizações. Mas conforme avança, é natural que os processos vão se tornando cada vez mais longos, mais complexos, mais difíceis de serem transcendidos, exatamente porque a Iniciação é a integração com Deus e para haver esta integração é necessário esforço, transformação.

Um dos maiores problemas que encontramos na Iniciação é a estagnação, que é entrar em um processo e não ser o iniciado capaz de seguir a frente, vencer esta etapa, acaba este a ficar ali por um tempo indeterminado.
Falávamos anteriormente do Medo, e realmente o medo é um grande entrave para mudanças profundas na vida e por consequência no caminho iniciático.
As Autênticas Religiões são o apoio o suporte ao indivíduo para trilhar esta magnânima senda espiritual de reintegração com Deus... no entanto é muito comum vermos estas formas religiosas perderem seu real propósito e tornarem-se muitas vezes mais um obstáculo que um auxílio nesta integração com Deus.
Vemos que muitas formas religiosas já subvertidas em seitas, instruem por meio do medo, do dogmatismo, e isto nada tem de Divino ou faz parte do caminho autenticamente religioso que exige exatamente que o coração esteja livre... livre de medos, livre de conceitos, exatamente para que possa realmente perceber e integrar-se com a verdade que é Deus.

Assim que muitas pessoas ficam travadas no caminho, paradas, estagnadas, por conta de uma má interpretação de algo, um entendimento equivocado, um medo...
É engraçado falar do medo, no sentido de que as pessoas sentem-se muito corajosas e acreditam que realmente são corajosas. Mas quando se lhes apresenta em suas vidas situações iniciáticas aonde a pessoa tem de fazer uma escolha, normalmente fazem a escolha cômoda, a escolha lógica no sentido humano, mas contrário a Lógica Dialética, Espiritual. Ou seja, atuam contra o espírito, e por medo do que gera em sua vida estas escolhas.

Mas como dissemos no início, nada está realmente parado, por mais que o indivíduo não esteja avançando no caminho espiritual, realmente galgando profundas mudanças de integração com sua Divindade Individual ou Universal, ele passa por diversas mudanças, transformações e as vezes realmente acredita que está caminhando porque as coisas estão sempre mudando, mas na verdade são mudanças superficiais, sem propósito para o espírito.
Claro que o trabalho espiritual tem diferentes aspéctos, tanto que dizemos que os Fatores de Revolução da Consciência são três, A Morte, o Nascimento e o Despertar.
Alguns dirão que escrevemos errado, mas o Sacrifício pela Humanidade pode ser traduzido como Despertar, pois para que haja um sacrifício exige-se Consciência Desperta. Para haver Consciência Desperta necessita-se do Nascimento de algo novo em nosso interior, e para algo nascer, algo precisa previamente ter morrido, ou seja, o Ego.

Ainda que os Fatores de Revolução da Consciência sejam três linhas paralelas a serem trabalhadas, sem a morte psicológica, como resgate da essência e sem o nascimento espiritual como fonte de energia moral para a consciência, vemos que não existe como haver Sacrifício pela Humanidade. Assim que claro havendo ainda que um mínimo trabalho nos outros fatores, certamente já é possível haver um proporcional Sacrifício.

Muitas pessoas complicam-se porque não tem o impulso de sequer fazer uma caridade e desistem de tudo por conta disto, sentem que não servem para o caminho, sem entender que são passos que naturalmente ocorrem quando eliminamos o ego e avivamos esta consciência livre. Quando esta consciência, esta essência é dotada desta energia transcendental da vida (o sexo), ela atuará de maneira a expressar seus impulsos primários de virtude. Assim teremos este ímpeto de servir, de ajudar... também teremos este retroalimento espiritual para termos ânimo e força para seguir desintegrando cada debilidade em nosso interior bem como seguir trabalhando com o poder do Terceiro Logos, o Sexo.


Infelizmente a iniciação é algo que por mais que se fale a respeito, por mais que esteja "desvelado" o caminho, trilhá-lo sempre será um mistério porque na prática tudo é muito diferente na teoria; e a prática só temos quando passamos por cada um destes processos e é diferente o que se apresenta a cada indivíduo. Seja porque tem suas particularidades, seja pelo processo que ao longo das existências já viveu, ou mesmo pelas escolhas que faça, pela forma como esteja caminhando, que faz com que mude constantemente e diferencie-se do caminho do outro.
Muitas pessoas perdem-se do caminho porque olham como outro está caminhando. Acreditam que "aquele é o caminho" porque vê alguém fazer algo ou de certa maneira e não entendem que são particularidades que cabe a alguns passarem e não a outros. Muitas pessoas forçam situações por entenderem ser parte do caminho mas na verdade estão apenas colocando pedras em seu caminho, pedras que muitas vezes marcarão simplesmente até aonde este foi capaz de ir, porque não soube buscar em seu próprio interior esta guiatura espiritual que por mais que possa ser complementada por algo externo, tem de estar muito bem estabelecida dentro de cada um de nós.

28/01/16