CLXV
Textos sobre Religião
Uma Crítica as Instituições Gnósticas

Uma coisa que sempre me preocupou foi que as instituições gnósticas sempre se preocuparam em levar o conhecimento as massas, sempre realizou grandes esforços para abranger com o conhecimento a maior quantidade de pessoas, mas ao menos no Brasil, uma vez estes neófitos dentro da instituição, não recebem qualquer apoio em seu trabalho individual, em sua Obra.

Claro que pela instituição, mesmo no Brasil, passaram muitos grandes iniciados que foram capazes de realizar algo mesmo sem qualquer apoio ou orientação, talvez porque já haviam realizado em outros tempos, talvez pelo impulso de seu Ser, quiçás porque eram sabiamente orientados nos mundos internos, mas nada disto exime de responsabilidade a instituição física.

De coração que me sinto triste por ver tantas pessoas tão perto da verdade, no entanto incapazes de apalpar tal conhecimento, por uma má organização hierárquica institucional. Já não é sem tempo que precisamos modificar as bases da Igreja, nem que para isto seja necessário que se construa tudo de novo, tal qual o Mestre Lakhsmi já profetizou.

Não é aceitável para a Loja Branca que tenhamos tantos membros institucionais e tão poucos iniciados. Não é possível que tantas pessoas dentro de um mesmo teto institucional não sejam capazes de ajudar umas as outras a encontrar a verdade. Falhamos e continuamos falhando no ponto de apoiar nossos irmãos, mais além do que é uma conferência, mais além do que é uma vida em um SISTEMA institucional.

Nossa liturgia nos diz que a dissimulação é um crime, nos diz que não há mentiras entre irmãos. No entanto o que mais vemos por parte dos dirigentes destas instituições são exatamente a dissimulação, a mentira. Precisamos viver a gnosis, para ensinar a gnosis, se não somos capazes de viver a gnosis, de verdade, de encarnar isto que não é um conhecimento... POR DEUS não é um conhecimento, é vida, a gnosis é um coração pulsante o qual precisamos nos conectar, viver, viver.
Não é aceitável que tenhamos tantas centenas de milhares de linhas de texto escrito pelos Mestres, e pessoas com décadas de instituição que não foram capazes de viver nada disto.

É Muito infeliz o fato de que não tenhamos aprendido ou sequer entendido aquelas terrivelmente divinas práticas de primeira câmara (ou fase A). Se tivéssemos uma atenção melhor aos instrutores ao INDIVIDUO, não a massa, conseguiríamos que este Iniciado que é um instrutor fosse capaz de compreender de verdade aquela instrução e praticasse a fundo. Com isto uma pessoa comum e corrente, apenas com as informações de primeira câmara, seria capaz de chegar a Maestria. Vejam que simples verdade, uma pessoa que compreenda e viva tudo aquilo que é ensinado em Primeira Câmara conseguiria obter a Maestria, alcançaria chegar as iniciações Maiores.

Não precisamos de novidades, precisamos o básico e precisamos nos aprofundar nisto, precisamos desenvolver consciência a partir disto. Precisamos dar exemplo, mesmo que por motivos iniciáticos passemos por situações difíceis, um dia aquele iniciado por ter observado pelo o que o outro passou, será capaz de entender o que está vivendo. Mas precisamos ser sinceros, não apenas com nós mesmos, mas com nossos irmãos.

Sim existe esoterismo, existe a necessidade individual de guardar profundo silêncio e manter segredo a respeito de muitas coisas, mas nem por isto podemos nos isolar de nossa irmandade, pois de outra forma, estaríamos abandonando nossos irmãos que tanto precisam de orientação e ajuda.
Não podemos mais fechar aos olhos e acreditar que estamos fazendo um bom trabalho, porque as fileiras gnósticas aumentam, porque temos números. Maldita ganância por números, vamos dar mais atenção a este exército que atualmente mais parece um circo.

Já faz muitos anos que as conjurações não passam de palavras na boca de nossos Sacerdotes, que nossas Isis não fazem jus aos seus véus. Nosso povo tal qual gado, ruma a lugar nenhum, preso como um animal de abate. São Almas, são Anjos, Arcanjos, são Demônios, são Homens, e devemos respeito e nossa fiel atenção a cada um destes indivíduos que são únicos.

A Igreja e as instituições gnósticas que deveriam ser um pilar de auxílio, uma ferramenta para cada um que queira realizar sua Obra, mas se tornaram um poste o qual tem prendido e amarrado o indivíduo longe de seu Ser, não apenas por não permitir sua expressão, mas por não auxiliar para que isto aconteça. Lutamos contra os Sistemas no entanto vivemos presos a um Sistema Institucional caduco, aonde as atividades não são mais que hábitos, cujas cadeias não são capazes de transmitir sua cura ou força.
É Triste dizer isto, mas temos Lumisiais inteiros cujas cadeias não tem forças para passar os limites de um lumisial, sendo que deveria ser um lugar de Luz, de Verdade, de Justiça.

A Igreja não fracassou, no entanto conforme aumenta seu tamanho sem um correto ordenamento, ruma a um eminente fracasso. Fracasso sim, pois como já foi dito, não há um devido acompanhamento de cada um destes iniciados, e quanto mais pessoas, mais difícil será.


04/08/11