CLXV
Textos sobre Religião
O Sacrificio pela Humanidade

Na Gnosis há quatro pilares que sabemos que sustentam toda a sabedoria gnóstica. Os Três fatores de revolução da consciência são facilmente observados nestas colunas; Da Ciência a Alquimia (Pois é a prática da mistura dos elementos e da comprovação da transformação de metais impuros em Ouro, da Lua em Sol), da Filosofia a Psicologia (Sofia a Sabedoria é quem está aprisionada nos defeitos, precisamos compreender os defeitos e não julgar os demais, senão que lutar contra nós mesmos, isto é filosofia.. a psicologia gnóstica é uma filosofia por sua metodologia), da Arte o Sacrifício (O Artista é aquele que expressa sua Alma por meio de objetos e movimentos, para dar uma Luz sobre uma idéia ou símbolo, o exercício do Sacrifício é sempre feito com arte, como uma manifestação física de nossa Alma por meio de um cena ou a cristalização de um Objeto ou ação. A Religião por fim é exatamente o próprio resultado disto tudo, a Iniciação, aonde um homem trilha o caminho até seu Íntimo e restaura aquele estado paradisíaco que um dia perdemos.

Conforme trabalhamos com a morte psicológica e liberamos a consciência do Eu, esta consciência emancipada dos grilhões da inconsciência acaba por manifestar a virtude de sua natureza e isto é o próprio sacrifício. O defeito chamamos de EU porque a finalidade dele é sua individualidade enquanto a Consciência tem por importância a expressão pelos demais. "É Esquecendo de si que se encontra a si mesmo e é morrendo que se nasce para a vida eterna."
Veja que o Eu vive em busca dos seus interesses, a preguiça é a inércia ou não querer fazer algo que acaba sempre por prejudicar alguém (além de nós mesmos claro), a Luxúria busca a satisfação do Prazer sexual, mesmo quando faz algo a outro é por sua satisfação, a gula quer quantidade e claro para si, a Ira quer a razão, assim já fica claro e demonstrado que o EU vive em razão de sua própria existência e interesse, mesmo quando faz algo aparentemente bom ou virtuoso.


Já explicamos em outros textos que para eliminação do Eu, necessitamos apelar para esta força divina que é a Bendita Mãe Kundalini e ela necessita da energia sexual (Castidade/Alquimia) para este trabalho, além disto a própria consciência vai se perfeccionando e se polindo conforme avança em sua liberação, sem o nascer ficaríamos estancados em nossa purificação e a consciência não teria condições ou força de realizar um sacrifício autêntico em meio a tantos defeitos que hoje carregamos.

Há irmãos hoje que meditam, vocalizam, que fazem suas runas, que trabalham sobre seus defeitos, ou seja, vivem boa parte da doutrina gnóstica; mas é lamentável que não tenham trabalhado por resgatar estes valores do coração, que não foram capazes de chegar aqueles estados de inspiração, devoção e sentir a verdade por detrás deste mundo, de sentir o Amor de Seu Pai, sua Mãe e do Cristo que palpita em seu coração. Há uma grande diferença em darmos uma conferência ou escrevermos um texto baseados em nosso intelecto ou então viver este ensinamento não só o suficiente para praticar mas para ser capaz de ensinar por meio das palavras, por meio de suas ações, até de seu olhar.
O Maior sacrifício que podemos fazer é realizar nossa obra, realizar a cada momento este esforço para permanecermos nos observando, nos auto-observando... inspirados, em um estado de permanente devoção, adoração. Um Homem que seja capaz de experimentar a verdade e exprimir isto por meio das palavras estas palavras já não são mais informações são verdades vivas palpitando por detrás de cada palavra de cada frase.
Por mais que o ouvinte não seja capaz de manter aquele estado o qual o instrutor ou pessoa foi capaz de lhe dar por alguns minutos, esta consciência mesmo que aprisionada recebe um impulso que lhe toca profundamente e dá a chance de que possa olhar para dentro de si e sentir o impulso de seu Ser.

Vejam os sacrifícios que nos fez o V.M Samael Aun Weor... sei que mesmo que contássemos toda a história seria muito pouco para descrever tudo que este grande Mestre fez e ainda faz por todos nós. Vejam quanto tempo este Mestre teve que se manter em estados elevadíssimos de consciência para escrever estes livros que hoje temos, observem quanto tempo teve que abdicar de fazer outras atividades ou divertimentos para que pudesse entregar estas verdades do Céu.
Falo do Mestre Samael mas recordemos de sua esposa, seus filhos, seus amigos.. O Mestre não ensinou somente pelos livros mas por seu exemplo, trabalhava dia e noite.. com corpo físico e fora dele, para que se cristalizasse o que precisava ser cristalizado não apenas no mundo mas no coração de cada homem e de cada mulher. Claro que há outros Mestres que fizeram tal qual o V.M Samael, fica claro ver a vida do V.M Lakhsmi e das pessoas que viveram com ele, e de muitos irmãos que trilham este caminho do Despertar.

Há pessoas que tem ótimas oportunidades de realizar um sacrifício autêntico, mas perdem não só por egoísmo ou pela manifestação de seus defeitos, mas porque não tem a mística adequada ou o amor verdadeiro pelas pessoas.
Que bonito é quando um irmão que verdadeiramente sabe meditar e já tem certo domínio da natureza é capaz de sacrificar sua meditação em grupo para lançar uma aura de força e de consciência a estes irmãos que estão começando. Vejam que valoroso é orar e pedir aos Mestres que de verdade curem um irmão que sofre de alguma doença ou até mesmo para aliviar a dor de alguém que passamos pela rua.
Temos que aprender a tirar o que nos sobra e por o que nos falta, já lemos e estudamos demais a teoria dos livros, precisamos da prática... que cada linha que cada frase que cada capítulo dos Livros do Mestre se façam carne e sangue em nós, somente assim seremos capazes de desempenhar o papel que nos cabe de Sacrifício pela Humanidade.

A Consciência sempre encontra meios de se sacrificar, seja respondendo Cartas como faziam os Mestres, seja meditando para buscar informação para um irmão, seja orientando, instruindo ou ensinando... cada um sabe o que é um sacrifício para si, devemos aprender a valorizar nossos sacrifícios e igualmente o sacrifício dos demais para que não paguemos a estes divinos seres com a moeda da ingratidão.

08/09/11