CLXV
Textos sobre Religião
Cristo e os Apóstolos

Ontem mesmo me aconteceu algo bastante interessante, estava eu em meu trabalho diário (meu ganha-pão), e uma pessoa comum e corrente destas que andam pelas ruas parou por um instante me observou e disse: "Você é um Alquimista!", claro que não neguei a Pedro e respondi: "Sim, mas um Alquimista de verdade!", interessante que apesar das teorias e de tantos elementos negativos que as pessoas carregam suas partes internas, partes destas pessoas que outrora tiveram em si este Pedro que é a Pedra fundamental (A Castidade no Sexo, a Alquimia), foi capaz de reconhecer em mim aqueles mesmos princípios que esta pessoa em questão tivera outrora. Ainda no dia de ontem uma criança de dois ou três anos passava por mim na rua e ao me ver gritava por Pai e me estendia os braços, entendam irmãos, isto pode ocorrer com todos nós, mas compreendam que o que estas pessoas tem são pequenos lapsos de consciência e reconhecem em nós certos atributos que vão sendo despertos conforme trabalhamos na Grande Obra.. claro que muitas vezes o que estas pessoas sentem são relações egóicas de outras existências e tanta coisa que não nos cabe neste momento explicar.

Quero hoje de coração dar a entender claramente como em nós se processa o nascimento destes apóstolos, porque infelizmente este irmão Jesuá já deu sua mensagem a muito tempo, este Cristo vivo veio e não foi bem compreendido, igualmente veio nos tempos atuais sob outro nome o Cristo e com um novo ensinamento adequado a nossa época e o povo em sua maioria não o reconheceu, quão poucos se deram ao trabalho de viver isto e muito menos serão capaz de realizá-lo a fundo.
Como será que nossa mente egoísta imagina que o Cristo retornaria nos tempos atuais? Que deformidades o Cristo teria que apresentar em sua vida cotidiana para que o aceitássemos como Cristo? Digo deformidades porque nossos defeitos nos impõe falsos valores e criam-se imagens Absurdas do que deveria ser o Cristo nos dias atuais.

Vejam, se na época atual houvesse um Cristo, ele por acaso não responderia e-mails? Não utilizaria o telefone? Como se vestiria? Como o reconheceríamos? Irmãos, reconhecemos o Cristo por observarmos a quem ele representa, por sua mensagem e por sua vida. Claro que não podemos observar isto do ponto de vista pessoal e identificados com nossos defeitos, pois há muitos mistérios na vida cotidiana desta força quando se encarna em um homem.
Não faz muito tempo, como se pode estudar nos livros gnósticos, nasceu em um homem esta força chamada Samael Aun Weor, este foi o Cristo de nossa atual era, aos que duvidem peço que leiam o livro Matrimônio Perfeito, mas que leiam de verdade, não que corram os olhos pelas páginas como se estivessem olhando televisão, mas que interajam com as palavras deste Mestre, porque por suas palavras fica expressa sua Obra, é um objeto vivo um livro.

Observem que o Cristo, este Cristo Samael assim como Jesus, como Hermes Trismegisto, como Quetzalcoatl que foram seres divinos que encarnaram o cristo nas mais diversas épocas, no entanto o trabalho deles de disseminar este conhecimento esotérico sobre a Grande Obra, não é mais que este esforço para que cada um de nós realize em si próprio este mesmo Drama Crístico.
Entendam, não é que eles fizeram o trabalho por nós, seria absurdo que Jesus por exemplo por ter se auto-realizado e cumprido com o seu sacrifício tenha absolvido toda a humanidade do mundo com seu ato, ele deu sim seu testemunho que o Cristo salvou aquela pessoa que foi Jesus, que ali se fez carne e voltou ao Pai e que tal qual ele nós devemos fazer o mesmo. Uma absolvição como as pessoas imaginam, seria como aceitar que o Pai passa a mão na cabeça do filho que comete seus delitos, e não é assim, vejam o drama que hoje vive o mundo, as doenças as lutas, os sofrimentos, isto ocorre exatamente pelos delitos que nós como indivíduos, como família e como sociedade cometemos no passado e ainda hoje seguimos cometendo.

Vejam os que queiram estudar isto a fundo que leiam a Décima Jóia do Dragão Amarelo, aqui estamos dando outro curso, estamos dando continuidade ao trabalho do Mestre, então esperamos que compreendam o nível que estamos querendo dar, se não compreendem que vivam a décima jóia e entenderão.
Em nós Pedro é o primeiro que nasce, nós precisamos em nós encarnar estes doze, para que dentro de nós cheguemos a viver o mesmo que todos estes que encarnaram o Cristo viveram. Pedro é a pedra, é quando aquele homem ou mulher aceita de verdade a alquimia, é este PEDRO dentro de nós que nos dá aquele impulso que diz: "Sem a castidade sexual, sem a Alquimia não posso realizar uma Obra", ali está este Pedro se manifestando no Iniciado. Isto não são intelectualismos, alguém pode ler um livro e dizer, "ahh sim vou fazer isto, me parece correto", Pedro diz isto em nós com uma firmeza inabalável, e uma segurança indescritível, pois a ele cabe isto.
Claro que este Pedro nasce como este sentir, mas tem que ir crescendo em nós, se fundamentando como aquela pedra como disse Jesus: "Pedro tu és pedra e sobre ti edificarei minha Igreja", porque é o Sexo, nascemos pelo sexo, nos recriamos e nascemos para o Espiritual pela mesma porta.. é dali que surge o Filho do Homem.
É claro que este Pedro no inicio será este sentir sobre a Alquimia, mas precisamos dele como este sentir antes de mais nada para que possa se desenvolver.

O Segundo que é João fica incompleto sem Pedro, pois a palavra precisa da força sexual para que se projete como algo vivente, João é o Verbo.
Se mentimos, se ferimos as pessoas com nossas palavras, se não manejamos corretamente o Verbo, dificilmente conseguiria se expressar este João de uma forma adequada.
Isto é algo que hoje falta muito nos Santuários e Lumisiais, Sacerdotes e irmãos que consigam carregar seu verbo desta energia sexual e com isto fazer valer no mundo físico e nos mundos internos tudo aquilo que seu verbo está expressando. É desta integração da energia sexual e da palavra que conseguimos conjurar seja no mundo físico ou nos mundos internos.
É quando nos utilizamos destes dois princípios seja pela palavra escrita, seja pela palavra falada ou seja pela palavra imaginada (que se projeta nos mundos internos), que nos expressamos com caracteres de fogo.. pois estão estas palavras impregnadas com a força do Verbo. Veja que quando entregamos o conhecimento, e não impregnamos estas palavras desta força, dificilmente conseguiria penetrar o Eu do ouvinte e chegar até aquela essência que se encontra aprisionada na pessoa que nos ouve. Aqui não entregamos a sabedoria somente a consciência desperta de cada indivíduo, senão que penetramos como fogo em meio ao Eu e damos a sabedoria e a Luz que aquela virtude hoje presa necessita para que se rebele contra seu opressor, este é o mistério do Verbo.

Judas é o apóstolo incompreendido, particularmente tive que estudar muito este apóstolo, principalmente porque no deserto esotérico é ele que pode nos derrubar, ou claro pode nos ajudar em nossa liberação. É Em Judas que encontramos nossa liberação, nosso norte, ou que nos perdemos de vez em nossa Obra.
Judas em si é o depositário da doutrina, ele conhece a Doutrina do Cristo e conhece intimamente a doutrina de Lúcifer, pois é capaz de reconhecer em nós toda a maldade que carregamos.
Deixemos nestes momentos de lado nossas dúvidas e leiamos com atenção o que está sendo dito, pois já é tempo de termos isto claro...
Judas conhece todos os nossos erros, ele conhece toda a maldade que carregamos em nossa vida, este apóstolo é o único que nunca dorme, ele nunca adormece, Judas é esta inteligência suprema que nos permite conhecer os nossos defeitos intimamente, ele é quem nos permite reconhecer em nós nossos defeitos.
Quem nega a este Judas interior, nunca será capaz de se auto-observar intimamente e reconhecer a si intimamente, pois é Judas a quem cabe este papel.
A Judas devemos ter muito cuidado, devemos sim reconhecer que é por ele que compreendemos o Eu, mas se não o observamos a Luz da consciência o que ocorre é que nos identificamos com este lado negativo de Judas e acabamos por cair em um Abismo que dificilmente conseguiríamos retornar, ele está lá para os dois, para o bem e para o mal em nós.
Vejam que Judas tem esta intima relação com o nosso coração, Judas no coração está exatamente entre os dois ventrículos, pois é ele que capta aquela energia negativa e permite com que a consciência de nosso coração purifique e envie novamente ao corpo estas energias renovadas e puras.
Aqui neste ponto de Judas o mestre da um ensinamento bastante interessante no que diz respeito as virtudes e aos defeitos, o mestre fala da identificação com as virtudes ou da identificação com os defeitos.. nós temos os defeitos como o mal em nós que tem que ser eliminado, temos as virtudes como o que temos que resgatar e fazer valer em nossas vidas, mas não podemos ficar enfeitiçados pelo brilho destas virtudes, pois recordemos que nosso trabalho é exatamente no nosso Abismo interior, temos que seguir trabalhando ali e resgatando cada uma destas partes autônomas que se encontram aprisionadas neste Hades interno que temos.

Na Morte Psicológica, Judas é este principio que nos assinala o Eu, a nós cabe a compreensão, e a Mãe sua eliminação.
Judas nos dará sempre este impulso e trará a nos estes elementos, se aproveitamos isto e buscamos nos integrar com nossa divindade superior, o logramos mediante ele, caso contrário mediante ele seremos arrojados e submetidos a Maldade que interiormente carregamos. Dele aprendemos a sabedoria da Grande Obra do Pai, ou a sabedoria do Mal, mas sempre estará lá a nos ensinar e nos impulsionar.

Felipe como quarto dos doze, em nós é a expressão do Ocultismo, é esta substituição que naturalmente vamos fazendo em nossa vida de ter para Ser, é esta compreensão que o que buscamos não é deste mundo, e que desta ilusão que é o mundo só carregamos nossa Consciência.
É em parte a extração das energias que temos depositada na matéria de nossos pertences e nossos bens e canalizar aos mundos internos.. claro que podemos ter de tudo que necessitamos, contando que saibamos que nada disto levamos conosco no final de nossa vida material, assim não depositamos consciência em nada. Se temos, ótimo, se não temos ótimo, porque temos o que realmente tem valor que é nossa consciência e não seremos capazes de vender nossa consciência e nossa vivência interna por algo meramente passageiro e material.

Este Felipe em nós é esta vivência do Oculto, é esta compreensão que temos de toda vez que sonhamos é porque estamos identificados com algum defeito e que a mente está a projetar em nós a expressão de coisas que não nos servem.
Felipe em nós é esta compreensão de que nosso corpo é este laboratório da alquimia, e que nossa vida tem por utilidade fazermos consciência de cada fato ou fenômeno que venha se apresentar, para que em nós nasça cresça e se sacrifique e o Cristo, para que voltemos ao Pai.
Temos que aprender a dar valor e identificar no cotidiano o que é o oculto se manifestando, como a explicação que dei no começo do texto, somente com Felipe damos a devida transcendência aos fatos.

Mateus é o quinto, ele em si é a Ciência Pura, por meio dele acessamos a Ciência Pura do Espírito. Mateus nasce em nós nesta forma que estamos aqui citando, exatamente quando somos capazes de ver que temos tudo, que na Gnosis há tudo que precisamos, é exatamente quando não nos importamos mais que se fulano foi a Marte ou não, se há como acessar vidas passadas por hipnose, ou se é possível conversar com as personalidades dos falecidos por meio de médiuns. Vejam que há muitos irmãos que hoje já tem este Mateus vivo, que vivem a gnosis e por meio de sua consciência tem tudo que precisam, nada mais no mundo lhes pega, porque este Mateus tem acesso a esta ciência prática do Espírito e por meio dele este homem tem tudo para sua Obra, tudo.

Atualmente abundam instituições e grupos gnósticos que supostamente ensinam a Gnosis, infelizmente são grupos e instituições que tem outros propósitos e acabam por misturar ou inserir partes do ensinamento gnóstico que lhe convém para que por meio da verdade possam confundir estas pobre pessoas que aspiram ver a Luz, que aspiram encarnar a Verdade, mas acabam por cair nas artimanhas do erro por não carregarem em si este Mateus.
Vejam que há muito ainda o que se ensinar a humanidade, que há muito ainda a ser feito pelo povo, não só o povo gnóstico, mas o povo que habita esta esfera terrestre... mas não há como algum Mestre da Loja Branca que na atualidade esteja desperto e fazendo algo por esta humanidade que não seja por meio de expressão do V.M Samael e de sua doutrina, porque este é o Cristo da era de aquário, precisamos dar a sabedoria do Quinto Evangelho e isto fará com que cada pessoa desperte em si estes valores e princípios para que consiga desenvolver em si estes apóstolos e o Cristo, para que se dê este drama mágico que é a Grande Obra de nosso Pai, vivo e cristalizado em um homem.

Mateus em nós não permite com que a Gnosis seja misturada com nada, exatamente porque o conhecimento que recebe é esta Ciência Pura, os irmãos que tem dúvidas e que querem ir por aí estudar tal ou qual Mestre, que vão agora e voltem quando estiverem dispostos a encarnar este Mateus, pois de outra forma se faz impossível que o Cristo faça sua Obra por meio do indivíduo, exatamente porque ele precisa antes de mais nada destes Doze Apóstolos em nós.

Timóteo como sexto, é quem nos ensina os segredos da Alquimia, a ele cabe nos ensinar a manejar aquela energia que Pedro nos fornece por meio do Sexo. Pois vejam que sem Timóteo a energia sexual não conseguiria ser transmutada adequadamente, é o Sexto apóstolo, Timóteo, quem nos Inspira na Obra Alquímica, é ele que nos dá esta inspiração na Mãe Divina, em nosso Pai, em nosso Cristo, que faz com que nos integremos com nossa consciência e sejamos capazes de elevar naqueles instantes nossa energia as esferas mais sublimes... transmutando a fundo a matéria (seminal) no espírito.

Este senhor dentro de nós é quem faz aquela compreensão do trabalho sobre o Eu, aonde nos calamos frente a um evento aonde o Eu tem o impulso de reacionar, e transforma isto em uma consciência sobre o Evento, o que nos permite ter o arrependimento, pois isto é Transmutação, extraímos a energia que o Eu iria projetar por meio da palavra, de um olhar ou de uma infeliz ação, em esta energia que servirá para alimentar aquela consciência aprisionada e permitir que ela se liberte.
Judas nos mostra o defeito e Timóteo transforma a energia projetada do Eu em consciência sobre aquele Eu.

Sem Timóteo não conseguiríamos transformar adequadamente nossas energias de forma a servirem de principio a Grande Obra, desde o respirar, da alimentação, tudo são transformações aonde se faz presente este principio.
Vejam que se Timóteo não se faz presente na Alquimia de nossas impressões, de nossos pensamentos, acabamos por nos carregar de energias muito densas lá em nossas gônadas sexuais e acabaríamos por ter energias muito densas para a Alquimia e viria a causar um grande transtorno naquele dia.

Quando a pessoa chega até aqui no desenvolvimento destes Apóstolos é quando a consciência integrada com estes princípios é capaz de sentir-se plena pela vivência da do Trabalho e sente este estado de estar a todo custo disposto a realizar o Trabalho, principalmente na Morte do Eu, porque não só se aproveita de toda energia positiva (da consciência) mas da negativa que o Eu gera, exatamente para sua desintegração.

Gostaríamos de coração de dizer que é fácil chegar a encarnar todos estes discípulos do Cristo em nós, mas é uma tarefa titânica que nos pede muito, mas nos dá muito. A Gnosis é dar tudo para receber tudo, assim é a Grande Obra. Temos que entregar tudo que fomos para que em nós possa nascer o que precisamos Ser para que estes princípios sejam em nós a expressão de nossa consciência, de nossa vontade e um dia a expressão Onipresente de nosso Ser.

Neste momento em nós surge Santiago, a ele cabe a tarefa de ser o Patrão da Grande Obra, ele recebe este título porque cabe a ele ter este equilíbrio entre os elementos e é quem faz realidade esta Obra. Santiago em nós é quem elabora em nossa consciência, os Mistérios Crísticos, sem ele a compreensão do que foi aqui escrito seria impossível, pois são Mistérios que correspondem ao Cristo viver.
Santiago em nós é quem organiza a manifestação e a ordem da Obra do Cristo, sem ele não seriamos capazes por exemplo de fazer aquele trâmite adequado entre o estado de Oração, aonde está Pedro, João, Felipe e Bartolomeu, até a uma meditação profunda aonde Santiago assume e junto a Bartolomeu que é a Mística, nos permite elaborar em nossa Consciência o encarne dos Mistérios Crísticos.

Então Marcos, o Oitavo, Marcos é o responsável pelo Despertar do Kundalini, há muita sabedoria Alquímica neste Apóstolo.
O Kundalini poderia estar desperto em nós e nem por isto ter ascendido uma única vértebra de nossa coluna, exatamente porque necessitamos ter méritos do coração, isto não são intenções, não são pensamentos bonitos, é a consciência frente a determinados eventos por meio de nossas ações.
Quando Marcos se faz vivo em nós, compreendemos todos estes delitos que cometemos frente a nossa natureza física e a nossa natureza interior, cada vez que maltratamos nosso corpo físico com uma má alimentação, cada vez que poluímos a natureza, que matamos uma pequena plantinha como se ali não fosse aquela mesma vida que o Cristo dá a todos nós como por igual.
Alguns se dão a raciocinar que a humanidade são quaternários (Sem a uma ligação com o Ser), em sua maioria, ou que as plantas que hoje temos não serão salvas da grande catástrofe que se aproxima, mas ali há uma vida não só física, mas espiritual que precisamos preservar e amar profundamente.
Aqui se faz necessário aquele sentido da Inspiração e do Assombro frente aos fenômenos da vida e até mesmo daquilo que não somos capazes de observar.

Cada vez que compreendemos nossos delitos e com arrependimento levamos a nosso coração este nosso sentir e a responsabilidade que estamos dispostos a assumir frente a isto para que não se repita mais estes delitos em nossa vida, ali alimentamos a consciência e fazemos valores dignos de que por nossa reta maneira de agir o Kundalini tenha o direito de seguir seu processo.

Vejam que isto é a integração de dois Seres, nós que aprendemos na terra da maldade que cometemos e que vemos, e nosso Ser que igualmente nos entrega a sabedoria do Céu e aquilo que foi capaz de conquistar.
Todo mal que fazemos, todo sofrimento que causamos nos é um empecilho para que o Kundalini possa prosseguir ou iniciar seu Ascenso.

Por isto que é tão importante estarmos inspirados, não apenas para não permitir que o eu se utilize de nossa mente, não somente para elaborar e transmitir os ensinamentos que nos são entregues do Céu, mas para que possamos extrair da vida esta sabedoria e esta consciência que é a compreensão destes eventos que é o que vai devolver a nós estes méritos do coração.
A Muitos Gnósticos o orgulho e a incompreensão bloqueou totalmente a expressão destes valores do coração, muitos destes não são capazes de ver alguém sujo ou que já passou daquele momento de revolucionar e ser capaz de ali reconhecer a Vida que sofre e de compreender a fundo a dor que é passar por uma situação tão difícil.

Sabem, a vida é algo muito maravilhoso, digo, os fatos que o destino costuma nos levar, tem por objetivo exatamente nos permitir extrair e aprender de cada coisa a consciência daquele evento.
Há fazem muitos e muitos anos, fui expulso fisicamente da Igreja Gnóstica, fui expulso por expressar e por permitir com que esta Verdade que brotava de tudo que vivia e de tudo que estava por encarnar se expressasse por meio de minhas palavras e de minhas ações. Claro que sem muitos destes eventos tão nobres que a vida nos brinda, não seriamos capazes de compreender o que é a injustiça ou de compreender a fundo o drama crístico da ingratidão, e claro dar certo nível a cada um destes apóstolos para que o Cristo interior nosso seja capaz de realizar interna e externamente o trabalho que lhe cabe fazer.
Sempre haverão os que hão de ser Cristificados de uma forma ou de outra, sempre serão aqueles Sacerdotes e Isis, aqueles bispos e Vigários que buscam o Cristo os que cristificarão aquele que o manifestar, mas que não sejamos nós como iniciados que estamos vivendo este processo que por uma inconsciência nos coloquemos a julgar ou a sermos os causadores deste processo, pois desta forma estaríamos perdendo estes valores do coração, em vez de adquirir pelo exemplo alheio a consciência deste evento que todos nós de uma forma ou de outra teremos que passar.

A Vida é o Cristo e o doador de vida é o Sacratíssimo Espírito Santo, a própria Mãe como desdobramento deste princípio não pode subir pelas costas de um homem que não seja capaz de respeitar a vida, de amar a vida e de compreender a vida e o drama que cada pessoa vive.

O Mestre cita que houveram muitos irmãos que passaram dezenas de anos praticando a Alquimia e nunca sequer despertaram este Kundalini, exatamente porque ali não havia este Marcos se colocando frente a estes eventos da vida e nos mostrando o que precisamos fazer consciência no que diz respeito ao sentir por meio deste coração.
Vejam que há irmãos que crêem que tem por Desperto o Kundalini, exatamente porque não caem sexualmente, mas compreendam que para que haja esta energia, precisamos da Revolução da Consciência, pois de outra forma a energia sexual seria igualmente gasta por nosso defeitos e por lógica estaríamos violando a vida dentro de nós.

Ahhh Lucas, o nono, vejam é o nono, o primeiro é Pedro é o 1, e é exatamente isto que este Lucas vem nos entregar, os Mistérios da Kabala, a sabedoria da compreensão dos Números.
Ai, Ai, Ai, que triste pedra de tropeço de muitos irmãos é se fixar em tal ou qual Apóstolo quando nasce, em vez de permitir seguir em frente e deixar com que Santiago determine qual apóstolo deve se manifestar em cada momento.
Aqui muitos tem algum conhecimento intelectual e podem dizer: "Mas é que me interessa isto, sei tudo dos números"..
Claro que Lucas nasce em uma pessoa como este sentir especial em relação aos números, se forem ver este estágio que estamos aqui falando é a vida adulta do Apóstolo, é quando eles estão formados e prontos para junto ao Cristo interno irem a vida pública, mas em nós, como este pequeno principio inicial vão aparecer nesta ordem, pois uma coisa impulsiona outra.

Alguns se interessam pelos números e os outros não, mas isto são exigências do Cristo, para que por meio daquela pessoa se expresse características únicas necessárias para que a Obra se realize, de outra forma não há como ser.
Vejo irmãos que tem no Brasil que tem muito, mas realmente muito tempo de Gnosis, que ainda insistem a não dar vida a este Lucas interior, embora em algum momento este tenha se apresentado. Claro que todo Apóstolo quando de sua manifestação, tem seu lado negativo, isto é exatamente o que precisamos trabalhar para chegar a esta perfeição que aqui explicamos.
Lucas é quem tem acesso a esta Linguagem Cósmica que se escreve por meio dos números.

A Própria medida da consciência nos diz o Mestre, é medida por números, a idade iniciática de um iniciado é medido por números (Por quantas vértebras conquistou).
Há a Primeira, há a Segunda e a Terceira montanha e isto são números, a base do mundo são números.
Nossos rituais e todo ensinamento escrito se expressa por meio dos números, não são Doze apóstolos ao acaso, há porque ser assim e este Lucas é quem tem as chaves para desvendar estes enigmas.

Aqui está a ciência que se dá por detrás dos Três Fatores, não é apenas Morrer, fazer a Alquimia e nos sacrificarmos, senão que fazer consciência em nós destes princípios que vamos liberando e permitindo a expressão destes apóstolos.

Este Cristo Íntimo nos ensina por meio destes números e se não somos capazes de fazer Carne em nosso interior este Lucas, vamos ficar estancados porque dizemos, "mas é que meu sentir é que me guia", claro irmãos, mas este sentir que é a consciência se manifesta por diversas formas, e por mais densas que outras formas possam parecer, ali está uma consciência que deve ser trabalhada e aí está aonde principalmente no Brasil os irmãos tem caído terrivelmente.
Os Poucos que tem feito um trabalho sério sobre os Defeitos e sobre a transmutação, não tem feito um sacrifício digno, que é exatamente exercer estes apóstolos para predicar sua doutrina, e aí falharam e falham miseravelmente, até o momento que se dêem conta de que a Obra é algo muito mais amplo do que podem ver naquele momento.
Mesmo o dia que compreenderem que isto é o que cabe a eles agora, já vai ser dado um novo ensinamento pelo Ser interior e esta pessoa como um Iniciado que cumpre com aquela frase que dizemos assim: "Nós entretanto o seguiremos aos mais ocultos lugares". É isto que acontece, são ocultos estes lugares porque não conhecemos e não podemos deixar com que o Medo ou com que a Esposa, ou com que fulano ou a própria instituição se coloque entre um Homem e sua Obra, porque a Obra é de cada um, não nos cabe julgar o que cada pessoa teve que fazer em sua Obra porque a Obra é o Ser que dá a pessoa, e somente ela e os Veneráveis Mestre da Loja Branca são capazes de saber o que acontece ali.

Temos hoje irmãos que tem corpo físico para poder passar um único processo que vai durar a vida inteira deste indivíduo, e uma falha, uma pequena falha no que o Ser lhe dá, tem que morrer e nascer de novo para que faça perfeito, isto tudo são oitavas que damos em nosso trabalho e não podemos deixar que por um conceito que temos de Virtude ou de Defeito que nos estanque em um detalhe que é apenas um degrau de nossa Obra, por isto é assim que o Mestre diz: "Quem pensa que vai bem vai mal"... vai mal porque para achando que acabaram-se os degraus e não é assim, o Cristo é mudança e realmente não é ao acaso que este bendito ser é a força capaz de transformar um Homem em um Super-Homem, porque este homem precisa fazer SUPER esforços para se tornar o que o Cristo aguarda que sejamos para se manifestar.

Os átomos são números, as semanas são números, os meses são números, nós somos medidos por nossa idade, por nossa altura, por nosso peso, por nossa massa corporal, há números em nossos computadores, há números em nossos telefones, em nossas casas, o mundo é medido por coordenadas e em tudo está presente o número, pode detrás de cada palavra temos um aglomerado de letras que não são mais que números. O Número é infinito, imutável e eterno.

Há muitos irmãos que olham os números e não são capazes de ver que são entidades viventes e que em cada um deles há uma sabedoria capaz de preencher tomos e tomos de conhecimento esotérico que não é nada mais nada menos do que GNOSIS, porque Gnosis é o funcionalismo da consciência e sua expressão é exatamente a liberação das amarras do Eu.

Dão-nos muitas tarefas por meio dos números, e pela falta deste Lucas que é o principio da Kabala, caí, porque não é capaz de interpretar os avisos que são dados assim. Nem sempre serão sonhos, nem sempre serão inspirações, nem sempre será aquele sentir.. porque vejam, são apóstolos, todos eles tem seu mistério e conhecem coisas que os outros desconhecem, não podemos ignorar nenhum destes princípios que os Apóstolos nos entregam.
Se uma pessoa vai pela rua e vai observado (Observação é a capacidade de se fazer a par do que acontece fisicamente, como andamos nossos movimentos e o que nos envolve no mundo), esta pessoa olha a uma casa e ali há um número, entendam que isto não é por acaso que acontece. Nós passamos por centenas de casas em nosso percurso mas uma em particular nos chama atenção... ali está um principio deste Lucas tentando nos dizer algo, nos alertar, nos ensinar e se não somos capazes, ele não se faz homem em nós. Mas faz-se necessária esta auto-observação que é seu complemento interno para que por meio da inspiração se obtenha a informação necessária.
Esta página que abriga estes conhecimentos que hoje estão sendo dados, é facilmente sintetizado em um número. 165 (CLXV), vejam que claro não fundamentamos tudo em base dos números porque esta primeira transformação do número em palavras corresponde a Lucas, mas quem discorre sobre isto são outros apóstolos que compreendem o que transpassa a compreensão de Lucas, e assim os Apóstolos interagem entre si e crescem no Homem para que o Cristo possa predicar por meio de um Homem.

Décimo Apóstolo, André. André é quem carrega consigo os Mistérios da Cruz. É Muito fácil cair nas artimanhas do intelecto e repetir aquilo que o Mestre disse sobre os Números (me referindo aos Mistérios de Lucas), ou quem sabe Ministrar uma Conferência aonde se ensina sobre o Caminho e a Vida e dizer ... ali é o caminho e lá é a vida, eles se cruzam e isto é o momento. Ou que a Cruz é o Homem e a Mulher unidos, claro que é, mas isto não é um conhecimento nosso, é uma Luz que foi emanada destes Irmãos que viveram estes ensinamentos e Encarnaram estes Apóstolos e que junto a este Cristo interior nos iluminaram para nós fossemos capazes de fazer, realizar em nós mesmos.

Em Síntese podemos dizer que este André tem relação com a integração de iguais proporções do nosso Andrógeno Interior, que tem que nascer.
A Cruz de André é aquela que expressamos como um X, exatamente porque demonstra as iguais proporções que temos que ter, isto é uma exigência que se faz, pois não podemos ser Andrógenos se somos mais homem que mulher. Isto representa em síntese absoluta o Amor e a Sabedoria que necessitam ser por iguais. O Homem tem que reconquistar este amor perdido que já falamos, e a mulher de encarnar esta Sabedoria que carece.
O Amor é um Fogo, a Sabedoria é Luz, e disto em iguais proporções chegamos ao Andrógeno Divino.

O Mestre nos ensina que na Cruz comum e corrente que conhecemos os complementos são "Amor e Força", porque compreendemos que Cristo é aquele principio que fica na vertical e Lúcifer é quem leva toda gente pela horizontal ao Abismo.
No Entanto quando colocamos esta cruz nos Ombros e nos colocamos em direção ao Gólgota o que ocorre é que já é outro processo, senão que Aquele Cristo do Norte até o Sul, este Equilíbrio é representado exatamente pela pelo Saber e pelo Ser, pois de nada valer a teoria e o conhecimento ou nossas intenções se de fundo não expressamos isto, da mesma forma de nada vale vivermos o fato se não fazemos consciência como sabedoria dos eventos que vivemos. Por isto que se Fala em Cristo-Lúcifer na Pistis Sophia, e com isto se explica por que depois da Crucificação não há mais a cruz e sim o Ponto, porque já não existe nem um nem o outro senão que os Dois unidos, mas isto já falamos em outro curso.

Por isto que é tão importante que façamos vida destes ensinamentos, há irmãos que dizem, vou me casar para fazer a Obra, mas não tem o mínimo destes princípios para que esta Obra seja tão digna e tão correta nos pontos essenciais como tem que ser. Quem está solteiro tem que deixar de permitir com que estes Eus se utilizem da mente para projetar constantemente possibilidades e que se escondam em meio as boas intenções. Quem está casado tem que se lançar a Luta já que fez um compromisso e fazer o que lhe cabe.

Sabe irmão, muitos de nós já fizemos este processo senão todo, boa parte dele em outras épocas, posso dar testemunho do que é ser uma pessoa no mundo cuja sede por esta sabedoria transpassava a vontade de lutar pela vida... me explico, me doía tanto durante minha infância e juventude não conhecer a verdade, esta verdade oculta por detrás de cada detalhe, esta Sabedoria autêntica, que não temia a morte, senão a vida sem estes princípios se e sem esta Sabedoria Divina a me guiar. Ali permanecia livre esta expressão de André em busca da Sabedoria, tal qual deve ser, como uma pessoa que luta por sua vida, pois é pela sabedoria Crística que podemos compreender a vida e sua função. E Que por nossa Obra, que por nossas ações se expresse este Amor que nada mais é que a Sabedoria em ação, em iguais proporções.

O Décimo primeiro Apóstolo do Cristo é Tomáz, de Tomáz aprendemos a nos conectar com nossa Mente Interior. Tomáz é aquele intrépido Apóstolo que não nos permite sermos enganados pela Mente, quando Tomáz aparece como aparentemente incrédulo quanto a algo é porque exatamente muito fácil seria Aceitar ou Duvidar, mas por Meio da Mente Interior conseguimos perceber de verdade os fatos como são e é isto que ele busca elevar.
Quando Tomáz interior faz estes questionamentos é exatamente para nos levar a prática de por o dedo na chaga e comprovar que é o Cristo e não ficar meramente no duelar das antíteses do aceitar ou negar. Vejam que é isto que se espera do estudantado Gnóstico, que por meio deste Tomáz consigam a prática da comprovação de tudo que o Mestre ensinar, porque são verdades do Mestre, para nós são teorias até que este Tomáz nos incite a deixar de lado a teoria de uma mente Sensual e que nos coloquemos em uma Mente Interior e façamos prática destes ensinamentos. É Este Tomáz quem é capaz de nos integrar de verdade com este Mestre que é Jesus, que é Samael, porque eles são, estão aí conosco, na doutrina, no próprio Astral Tomáz é quem nos leva ao Mestre e diz, PERGUNTE A ELE.. e perguntamos e assim comprovamos aquilo que nos cabe, pois lá encontramos este Cristo vivo e aqui em nós fazemos carne disto.
Tomáz não nos põe duvida, ele nos leva a prática da comprovação direta a verdade, sem o duelar das antíteses, sem dúvida, sem teorias. É o que é, porque na prática comprovamos e vemos com nossos olhos físicos ou internos, por meio de nosso corpo físico ou internos, por meio de nossas práticas e de nossas orações.

Vejam irmãos que uma pessoa que em vida passe por isto nunca lhe tiram a consciência, porque foi capaz de encarnar estes princípios, e não me refiro apenas aos apóstolos mas a comprovação de toda esta doutrina de Jesus, de Buda, de Samael, de Lakhsmi, que viveram e nos ensinaram isto e se vivemos se colocamos o dedo na chaga e dizemos É ISTO, É REAL, nunca nenhum diabo que carreguemos dentro, nenhum defeito será capaz de dizer que não é, porque por Deus vivemos isto, comprovamos isto e quando falamos disto falamos do que o temos encarnado e não de teorias de tal ou qual Eu se pos a pensar. Pode este homem morrer fisicamente, nascer e morrer por mil vezes que sua consciência sempre estará latente destas verdades que palpitam em seu interior e sempre terá este anelo infinito de retomar seu trabalho e continuar de onde parou. Não podemos cair, mas se por ventura Judas nos dá uma rasteira, não podemos desistir de tudo, senão que resgatar o que sobrou e seguir em frente, mesmo que se comece do nada, porque se faz muito mais rápido, exatamente porque já carregamos estes princípios latentes em nós.

Por isto que irmãos que apesar de terem Pedro e aceitarem Pedro não transmutam todos os dias, porque no dia que comprovam isto na prática que colocam a prova e vêem de verdade que assim é, fazem porque não há escolha, porque não há Eu que consiga bloquear isto, um pode dizer é que estou cansado, é que já sou Mestre, é que já fiz outra prática, mas por esta expressão de Tomáz fazemos, porque sabemos na prática que não podemos levar uma vida espiritual sem isto.. e assim claro com tudo, até mesmo em relação a existência e a manifestação dos outros apóstolos.

Enfim chegamos a Bartolomeu, este que é o décimo segundo apóstolo, Bartolomeu é a coroação de todos estes princípios que falamos até agora, porque corresponde a Mística, sem a mística como poderíamos nos arrepender VERDADEIRAMENTE de nossos defeitos? Como por acaso impregnaríamos uma oração com o sentido e o sentimento espiritual necessário para que fosse possível sua cristalização?
Sem a Mística nossas Cadeias (Prática Gnóstica), nossos Rituais, nossas Orações, nossas conjurações não estariam perfumadas com o incenso da divindade. A Falta de Mística é o que faz com que alguém não se coloque no devido estado interno quando dentro de um Templo ou Lumisial. É Por esta falta de mística que não somos capazes de extrair dos eventos esta parte interna mais profunda do Ocultismo que corresponde a Felipe. Sem Bartolomeu não conseguimos entregar esta energia que transmutamos à Mãe Divina, porque nos falta o canal de ligação e a própria prática sai pela metade, porque fazemos como um exercício físico e é muito além disto.
Com Mística até a preparação de um alimento fica diferente, pois impregnamos aquilo com forças da natureza que de outra forma não poderiam ser inseridos ali.

Se ensinamos sem esta mística mesmo que o verbo de João impregnado do fogo vivo de Pedro, não dá a devida oitava necessária para que se faça possível a compreensão, são níveis do trabalho que temos que compreender e assimilar.

Veja bem que isto tudo há que ocorrer dentro de nós, para que este Cristo que precisa chegar ao Povo, tenha estes apóstolos que são sua expressão e sem eles não seria possível o Drama.
Há que de verdade fazer consciência de compreender o que já obtemos para que possamos dar valor a isto e fazer bom uso destes Apóstolos que temos desenvolvidos e que os demais possam igualmente se desenvolver.

Muitos caem por não saber aonde andam, criam dogmas e formas que não correspondem a Grande Obra e acabam por se sentirem frustrados e mesmo que em algum momento tenham conquistado estes princípios deixam que este Judas lhes leve tudo. Por isto que se faz tão importante valorizar a cada passo o que conquistamos, para que no dia que nos chegue este Judas ou este Satanás Bíblico e nos ofereça o mundo, tenhamos muito certo que nosso Reino não é deste Mundo.

Estes doze Apóstolos, precisa o Cristo para que possa sair a esta vida pública, mesmo que não saibamos o nome deles, se eles estão presentes, ali vai o Cristo realizando sua Obra e predicando sua doutrina, que é entregar os Mistérios da Nova Era.

Anelamos de verdade que todos estes princípios aqui explicados possam de verdade se criar, se desenvolver e realizar esta Obra Magistral que nosso Pai nos encomendou a nós como indivíduos, porque a Obra do Cristo no mundo já foi feita, cabe a nós aceitarmos esta Luz, esta sabedoria e colocarmos em prática nossa salvação mediante este Cristo interior.

O Que falamos aqui não falamos por mera repetição, ou porque assimilamos intelectualmente este conhecimento do Mestre, mas porque fomos capazes da prática disto no decorrer da vida e ainda estamos vivendo pois é um caminho muito longo e estamos apenas no início.
Esta página que hoje existe, as informações, os símbolos, foram resultado de muito esforço e muito trabalho de cada um destes apóstolos dentro deste homem que vos fala.
Me recordo das noites longas em que não me foi permitido dormir, porque o Ser se fazia ali presente, e a cada vez que fechava os olhos não me permitia dormir senão que me levava a meditar e a compreender tal ou qual aspecto do trabalho que necessitava encarnar. Não é possível que um irmão cuja consciência se faz presente se deixe influenciar por elementos externos da sua Obra, pois a partir daí já não se é uma pessoa, mas um conjunto de princípios que devemos fazer carne e sangue em nossas vidas e com isto muitos opinarão dizendo que se foi ao Abismo, que é um traidor, mas compreendam que não podemos ficar presos eternamente as teorias e a crença que os demais tem do que é a Obra.
A Obra é algo interior de cada pessoa, tal qual sabe e compreende o que lhe cabe, quando chega a hora de cumprir com o que lhe é determinado.

Que o Cristo interior faça presente e realize dentro de ti o Mistério da Cristificação.

12/09/11