CLXV
Textos sobre Religião
Natal Gnóstico

Bem, agradecemos o estímulo de um irmão que nos questionou a respeito do simbolismo de Natal, a verdade é que poderiamos falar de natal em qualquer época do ano, porque o Natal tem muitos significados, dentre deles, o mais importante é o nascimento do Cristo dentro de um homem e isto pode ocorrer em qualquer época.
Cada essência que se libera em meio ao Eu, é um nascimento, é um natal, é o nascimento de uma fração desta Alma da pessoa, isto é uma luta diária por este Cristo que se está gestando dentro deste indivíduo. Claro que não é o Cristo em sí, mas é o Cristo em potência, é a semente para que um dia nasça em nós o Cristo.

O Natal tem muitos simbolismos e há muitas passagens bíblicas que valem ser mencionadas e compreendidas a Luz do que é o Esoterismo Crístico-Gnóstico.
Antes de mais nada temos que compreender que o Natal não é um evento do passado, algo meramente histórico aonde no caso Jesus, encarnou a força Cristo, não, claro que não, este nascimento natalino deve e ocorre muitas e muitas vezes ao longo da história da humanidade, muitas vezes em segredo, sem que as pessoas percebam o que está ocorrendo. O Nascimento que é comemorado no natal não é o nascimento físico de Jesus, sim o nascimento desta força Crística dentro desta pessoa que se chamou Jesus.

O Primeiro nascimento do Cristo no homem, este primeiro natal temos como o processo da primeira iniciação de mistérios maiores. Quando o Kundalini Desperta é quando simbólicamente José que é o iniciado e Maria que é sua esposa estão gestando o Cristo.
O Cristo há que compreender que é o Pai que está nos céus. Por isto é tão sabiamente dito que Maria é mãe de Deus, porque é o Pai que vem como filho, como Cristo.
Por isto se diz que Maria é uma virgem e ficou grávida pela ação do espírito santo, é porque a Mãe é fecundada pelo Espírito Santo, que em nós é a energia sexual, ela desta forma já segue sua jornada de ascenso pelo canal medular até a 33 Câmara da Medula (depois da terceira de maiores desce até o coração). Claro que se fala desta forma, porque estamos nos referindo a Magia Sexual, ao contato sexual sem que haja a queda sexual, o orgasmo.
Este Cristo que é o Pai desdobrado, vem exatamente para que possa salvar e redimir este homem, é um resgate que faz o Pai, isto que nos convida o Cristo, para encarnar esta força, não há como chegar ao Pai sem ser pelo filho, porque o Filho é o próprio Pai, é o filho do homem.

A Estrela que viram os Magos, são os processos que já foram explicados em outro texto, que é quando o Kundalini passa por certas regiões aonde são representadas por um triângulo invertido, isto somado ao kundalini que se representa com um Triângulo Para cima, forma a dita Estrela de Natal, a Estrela de Davi.
Se diz que a Estrela para sobre o menino, porque se concluiu esta primeira iniciação de mistérios maiores, e o Ser já se faz presente dentro do homem. O Cristo nasceu. Os Três reis Magos representam os três momentos aonde se forma esta estrela dentro da pessoa, e isto é simbolizado pelos presentes dos Reis Magos: Castidade (Ouro), Amor (Incenso) e Sabedoria (Mirra). Isto tem intima relação com os Três Fatores de Revolução da Consciência. Se formos observar a luz da lógica estes presentes são entregues antes do nascimento do Cristo, porque sem castidade, sem amor e sem sabedoria como o Cristo poderia nascer dentro do homem? Claro que a entrega formal é representada por este momento em que ele nasce, por isto dizemos que quando se forma a estrela o presente já foi dado, porque o Kundalini despertou a ação daquele Mago específico.

Há um trecho desta história em que Mateus relata assim: "Depois que os magos partiram, o Anjo do Senhor apareceu em sonho a José, e lhe disse: "Levante-se, pegue o menino e a mãe dele, e fuja para o Egito! Fique lá até que eu avise. Porque Herodes vai procurar o menino para matá-lo."
Herodes existe tanto dentro como fora de nós em nosso drama. Fora são estas pessoas que não aceitam a realidade da consciência, porque a consciência é revolucionária em 100%, o Cristo mesmo diz: "Não vim para trazer paz, mas para trazer a Espada". O Cristo sempre foi e sempre será incompreendido pelas multidões, nem aqueles que buscam o Cristo são capazes de reconhecer o Cristo, esta é a realidade dos fatos. O Cristo só é aceitavel como um mártir um personagem já desencarnado do passado; pois quando um indivíduo dá mostras de que está realizando verdadeiramente a Obra, de que está se produzindo nele este mistério do natal, é sempre perseguido e ao final morto, morto mas com um direito a vida eterna, porque foi fiel até o fim.
Então que em nós, dentro de nós, Herodes neste processo é a mente terrenal que não aceita a existência deste personagem dentro do homem, claro quer sufocá-lo, decapita-lo. Fora acontece o mesmo para com o iniciado.


Vejam que isto são varios dramas, são vivências que começam lá nas iniciações maiores e vão até a auto-realização. Mas se observarmos uma Terceira Iniciação de Mistérios Maiores, vamos ver um simbolismo mais profundo do que é o Cristo-Astral, ou até em uma Quinta de Maiores, quando se vem a existência no mundo das causas naturais.
Mas podemos perceber que apesar deste processo como um todo ser uma coisa só, um drama único representado e vivenciado públicamente pelo Mestre Jesus. Vemos que isto se repete, e são somas de dramas individuais que se repetem.
Tudo que o iniciado viveu da primeira iniciação de mistérios menores até a nona iniciação de mistérios menores pode ser expresso com o nascimento e a crucifixão do Cristo em um homem. Igualmente se vamos analisar o drama total que ocorre em uma primeira iniciação de Mistérios Maiores, desde a primeira até a última vértebra, vemos que é o mesmo drama, que o drama se repete apesar de fazer parte de um drama ainda maior.

Muitas vezes se fala da importância do nascimento, do desenvolvimento do Cristo, mas se formos observar a totalidade do drama, se necessitam fazer presentes todos estes personagens, tanto físicos como internos.
Se os Reis Magos não nascem, não crescem e se fazem reis dentro de uma pessoa como poderiam levar os presentes? se o Kundalini não sobe e não forma as ditas estrelas como tais reis poderiam saber de tal evento?
O Que dizer então dos Apóstolos? Se estas doze partes autônomas do Ser não são forjadas dentro de uma pessoa, como será que poderia acontecer o drama Crístico? Então vemos que o Cristo apesar de ser o Sol central deste natal interior, necessita de uma série de outros nascimentos e eventos não menos importantes, porque por um que falte já o drama não pode acontecer. Não é verdade?

Então que o Natal comemoramos todos os dias de nossa vida, a cada inspiração estamos dando alimento a um destes apóstolos. Seja a Pedro compreendendo o valor da castidade, a João como um ensinamento que estamos dando esgrimindo este Pedro por meio de nossas palavras... seja por felipe como esta prática do ocultismo...
Então vejam que o natal tem que acontecer todos os dias, cada vez que encontramos um Eu dentro de nós, estamos diante da possibilidade que ali dentro daquele eu esteja a semente que dará vida a um destes Reis Magos, ou a um destes Apóstolos, ou de qualquer um destes personagens que necessitamos para o drama do Cristo.
O Drama crístico começa muito antes de que o próprio Cristo nasça em nós.

O Cristo se torna adulto na Terceira Iniciação de Mistérios Maiores se observamos o drama como um tudo único, claro que sua vida pública tem a nítida relação com a Quinta de Maiores.

A Mãe sempre se faz presente, do inicio ao fim da Obra do Cristo. Primeiramente porque a cada serpente é a jornada dela grávida do próximo Cristo, ou seja, do Cristo que vai nascer na próxima iniciação. O Cristo anterior defende o Cristo que ainda está dentro da Mãe.
As nove iniciações menores são para que se forme este Homem que vai acompanhar a Mãe em sua jornada, ele já é um Cristo por causa do drama que viveu nas iniciações menores, e este Cristo é quem no decorrer de uma primeira de maiores protege a mãe, grávida, para que chegue até o Pai que é outro natal.

Fora de nós, igualmente necessitamos do drama, não podemos fugir daqueles que nos apedrejam ou daqueles que querem nos crucificar, digo isto porque como o drama poderia ocorrer se não existe um Judas, um Pilatos e um Caifás? Veja que quando dizemos que o Cristo nasce em uma manjedoura e em meio a animais, se está demonstrando que o Cristo, que os atributos crísticos que este homem manifesta nascem em meio a uma realidade muito distinta de sua natureza divina.

O 25 de Dezembro foi a data que ocorreu este evento do nascimento do Cristo em Jesus, porque isto está mais além do simples nascimento do Cristo em um homem, tem relação com outras forças ainda mais além disto.
Nesta época de dezembro, o sol chega ao máximo em sua viagem para o sul, se não houvesse este retorno ao norte no 25 de dezembro, morreriamos de frio.
Muitas religiões anteriores ao Cristianismo já celebravam esta data, exatamente por compreenderem os mistérios do Cristo-Sol.

Esperamos que nossos leitores possam compreender a real natureza do que é o natal, e que no decorrer de suas vidas tenham a consciência para compreender os momentos que estão vivendo, pois não é raro ver dentro dos homens o Cristo sendo esmagado por um Herodes ou por uma série de forças que não compactuam com a natureza divina que está se gestando e vivendo ali.
Necessitamos do Despertar da Consciência, necessitamos da prática e da vivência absoluta destes ensinamentos, de outra forma o natal para nós só teria um gosto de presentes ou de guloseimas como é para a maioria da humanidade.


Desejamos a todos um feliz natal, não apenas por esta data, mas para cada nova vitória em suas vidas em benefício deste Cristo que há de nascer em cada um de nós.
Esperamos o dia em que esta irmandade, que cada pessoa possa verdadeiramente dizer que somos irmãos em Cristo, porque isto não é outra coisa que estarmos ligados uns aos outros por meio da Divindade que temos encarnado.

Ninguém vai ao Pai senão pelo Cristo, porque o Cristo é o próprio Pai.

Paz Inverencial!

23/12/11