zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Religião
A Profanação dos Mistérios

Temos antes de mais nada de diferenciar o que são os Mistérios da Iniciação, no sentido daquilo que encarnamos por meio do processo de integração com a Divindade, e os Mistérios que em geral estão disponíveis a todos, a qualquer momento, em qualquer estágio que se encontre, contanto que se integrem com os mesmos.
Na própria iniciação existem como já comentamos no passado, mistérios ocultos, processos especiais que conduzem a mistérios que estão além do que é necessário alguém encarnar para seguir o processo natural de integração com Deus.

Não que os Mistérios da Iniciação não possam ser alcançados antes da Iniciação, eles podem, mas como processo de Integração, eles ocorrem quando vivenciamos os processos. Isto significa que uma pessoa pode adquirir o mérito de um mistério, e até recebê-lo, mas irá encarná-lo efetivamente quando vivencie o processo relativo, quando claro corresponda à Iniciação este Mistério.

Mas no relativo a esta sequência de diálogos que temos tido, sobre os Mistérios, não estamos adentrando especificamente nisto dos Mistérios da Iniciação, senão que falando principalmente dos Mistérios que são passíveis de obtenção de maneira geral, indiferente da forma ou da ordem.


O Destino daquele que peca e conhece os Mistérios, é sempre mais severo e mais terrível do que aquele que desconhece e que não os recebeu, os encarnou. Por este motivo que muitas vezes se afirma ao candidato que se este não esteja realmente disposto de trilhar a totalidade deste caminho, que não inicie, ou que pelo menos reflita profundamente acerca da jornada que está prestes a iniciar.

Temos de levar em conta que o caminho é realmente muito duro, e que mesmo os Mistérios tem um preço bastante elevado, como é o caso disto do peso da culpa sobre aqueles que tem uma responsabilidade maior, pelo que são, pelo que tem espiritualmente.

Quem busca a Deus, quem busca a verdade, deve realmente se integrar com isto ou de outra maneira simplesmente está somando dores e sofrimentos se continua com sua vida comum e corrente, cometendo delitos e crimes.

Assim como os Mistérios podem ser recebidos, assim como podemos encontrar os Mistérios, podemos perdê-los, pode ser nos tomado um Mistério. Isto não significa obviamente que iremos esquecer deles, mas que para nós perderão o valor e perderemos o profundo entendimento acerca deles, talvez até o interesse neles.

Temos de entender que aquele a quem mais confiamos, é de quem mais esperamos e por este motivo o crime sempre é mais grave quando cometido por aqueles a quem a Divindade confiou seus Mistérios.
Quem não tenha encontrado a Divindade e peque, e falhe, é natural que falhe, e se acerta pois tem muito mérito e certamente a Divindade se revelará a este e o guiará oportunamente. No entanto aquele a quem a Divindade se revelou, aquele a quem a Divindade entregou os Mistérios, àquele a quem foi dado o Poder e o Domínio, se peca, se erra, certamente o custo disto é terrivelmente elevado e sua pena é multiplicada ao indizível.


No relativo à Profanação dos Mistérios, temos de entender que cada Mistério tem uma natureza, cada mistério tem um profundo significado que é o que ele representa em seu nome, em sua forma, em sua expressão. Quando violamos a natureza de um mistério que possuímos, que nos fora entregue, este mistério é retirado ou se retira de nós, pela falta de compatibilidade daquilo que nos tornamos com aquilo que este é.
Quando os Mistérios nos são entregues, pode até mesmo que aquele que nos entregou o Mistério, ou àquele que executou sobre nós um Mistério, retire sua dádiva, sua bênção e tome mais uma vez para si o poder que até então tenha investido.

Aquilo que se fala da "Luz Emprestada", que é uma bênção que recebemos no inicio de nossa jornada aonde expressamos uma luz que não nos pertence é um bom exemplo dos Mistérios que recebemos e que nos tiram, neste caso claro esta tomada é necessária e oportuna pois necessitamos passar pelo Deserto que nos conduz até nossa própria Luz e para que aprendamos a exercer este dom de emprestar nossa luz, tal como todo Cristo sempre realiza como um ato de fé para com aqueles que o buscam (que buscam a força Cristo).

No entanto muito daquilo que recebemos como Dádivas do Altíssimo pode ser violado e isto gera com que isto nos seja tirado e percamos aquele profundo resplendor de Luz que detínhamos acerca de tal mistério. Isto faz com que também percamos sua Herança na Luz, bem como a capacidade de exercer o Mistério seja por nós mesmos, seja pelos demais.

02/02/18