zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Religião
Os Mistérios do Reino da Luz

Muito é falado sobre religião, sobre o que são estes processos de integração com a Divindade e por consequência na integração nossa com estas regiões da Luz.

No fundo não é porque uma pessoa é boa, que ela merece o Céu, nem porque é má e arrependeu-se. No fundo os Santos e os Pecadores são algo aparte do que no fundo é a Divindade e do que são estas regiões da Luz.
Não é porque um pecador se arrepende de seus delitos e de seus crimes que passa a integrar-se com Deus, ou que tem por direito as regiões celestes.

Existem muitos bons homens, criaturas que são idolatradas no mundo por sua profunda sabedoria espiritual, e por sua absoluta renúncia as coisas materiais que ainda assim não adentraram às regiões celestes nem integraram-se com Deus.

Antes que o Primeiro Mistério tivesse vindo ao mundo entregar os Mistérios do Reino da Luz, nenhum homem havia penetrado nas regiões celestes ou integrado-se com Deus. Porque uma coisa é vislumbrar o Paraíso, uma coisa é sentir e ser guiado pela Divindade outra coisa é penetrar nestas regiões e realmente encarnar estes princípios divinos.

Temos de afirmar de maneira muito clara que são os Mistérios os que conduzem o Homem até Deus, e que são estes mesmos mistérios que permitem com que cada homem herde sua Herança da Luz e tenha o direito de penetrar nas diferentes regiões que abarcam o Universo Celeste.


Certamente não estamos nos pronunciando contra o homem perfeito, no sentido do que não comete delitos, somente que necessita executar em si o Mistério da Virtude, para então encontrar os Mistérios da Luz.

Este é o motivo pelo qual nos pronunciamos profundamente contra as teorias e contra as palavras do destrutivo intelecto. Estes vem apenas a desviar o verdadeiro Iniciado, o verdadeiro Adepto dos Mistérios e por consequência tornam-se apenas em mais paredes para este duro labirinto o qual temos de enfrentar.

Não estamos dizendo que não devamos escutar os que os demais tem de dizer, mas que devemos saber reconhecer aos Mistérios e ao Primeiro Mistério manifesto, para que recebamos dele seus mistérios e que não sejamos enganados por palavras vazias que somente conduzem ao mero raciocínio e a morte de todos os valores espirituais.


Quando iniciamos pela primeira vez nossa jornada no mundo, viemos com certas realizações e certas vivências a serem passadas por nós, e de certa maneira sentimos impulsos de realizar, de viver e naturalmente seguimos estes impulsos que nos conduzem a certos nefastos eventos, e até mesmo a morte que estamos designados.
Poderíamos dizer que a cada Alma é designada uma série de vivências e situações que naturalmente esta se vê impelida a realizar. Não chamamos isto de Destino, não dizemos que está destinada a isto, porque a palavra destino seria mais bem empenhada em um sentido superior, quando guiada pela Divindade.

Por outro lado, quando encontramos os Mistérios, conforme nos integramos com a Divindade, passamos a perceber um Sopro Divino, a ter certos impulsos espirituais que acabam guiando nossas ações e nos dando rumos muito objetivos em nossa vida, e é quando encontramos um fio de Destino que nos conduz até aonde a Divindade necessita conduzir-nos cada um de nós.


Reconhecer o Cristo manifesto, o Primeiro Mistério executado na matéria, nunca é uma tarefa fácil... Se fosse, as passadas gerações não teriam tido o destino que tiveram, também os homens teriam aproveitado sua luz e assimilado seus mistérios.

Um homem qualquer ao observar o céu é capaz de prever um dia de sol ou um temporal, simplesmente por observar os ventos e as nuvens, a temperatura e a pressão do ar... Assim o homem deve ser capaz de pelos mesmos sinais reconhecer a natureza do Primeiro Mistério e ter com ele, sempre que este nos traz sua Luz.


Quando qualquer um fala, temos de entender que aquele que fala, do que diz, como diz e quando diz, tem responsabilidade sobre o que está dizendo, como está dizendo e do momento que está dizendo. Cada um responde severamente por suas ações e infelizmente quando fala de teorias, quando fala de raciocínios, age inevitavelmente contra o Cristo, porque não está entregando seus mistérios mas está obstaculizando ao Cristo em sua manifestação, em sua guiatura, em sua entrega.

Claro que há uma profunda diferença entre as Emanações da Luz, e o Tesouro da Luz, entre aquele que torna-se um Profeta dos Mistérios e aquele que encarnou os Mistérios e tornou-se os Mistérios. Ainda assim, toda palavra tem seu peso, e há o que conduz a luz ou em direção da luz, e o que afasta.

12/02/2018