CLXV
Textos sobre Religião
A Santa Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores

O Mestre Lakhsmi nos ensina através das Jóias do Dragão Amarelo, que nem todas as pessoas que participam de uma instituição física, tem seu Íntimo participando da Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores, isto se dá porque esta consagração não é aquele Ritual de Passagem e sim o sentir que tem a pessoa frente a prática do que é a Gnosis, toda aquela vivência que nos corresponde como Homens, frente a nosso Ser, para com a sua Obra.

Muitas pessoas estão ligadas por um juramento formal, formas e compromissos humanos a interesses divinos, no entanto se não há este real SENTIR e esta VIVÊNCIA em fatos, é como uma árvore estéril, dentre as milhares que abundam por todos os lados, dentro e fora de Instituições Gnósticas.

Este afastamento do Ser, frente a Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores, se dá pela Lei da Katância, ou Karma Superior. Isto quer dizer que o Ser não foi capaz de impulsionar sua fração humana na Terra para que se fizesse presente e atuante frente a este ensinamento, por meio da prática e da vivência.
Algumas vezes associamos a Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores com instituições físicas, e é verdade que existem instituições e grupos, porque não dizer pessoas que são fieis representantes desta Santa Igreja Gnóstica dos Mundos Internos; mas isto não quer dizer que ter um vínculo com estas pessoas ou grupos, permita com que o Ser esteja lá em cima presente, isto depende de nossa prática, nosso sentir e nosso anelo frente a tudo isto.

No Ritual que fala o Mestre, esta consagração em uma destas instituições físicas, se diz:
"Juras e prometes, ante os Mestres do invisível e ante os irmãos presentes, submeter-te as Leis da Santa Igreja Gnóstica que emanam do Sumum Supremun Sanctuarium da Santa Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores por meio de seu Grande Mestre e Seus representantes legais?"

Seria absurdo comprometer as pessoas, a outras pessoas humanas, seria um despropósito condenar alguém a uma eterna servitude humana, principalmente no que diz respeito a involução e fim destas instituições, como já vimos ocorrer tantas vezes, devido a mutabilidade de manifestações físicas da Loja Branca.

Então que o próprio compromisso, dizemos é para com esta Santa Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores, e estes representantes legais, certamente e logicamente são aqueles que estão lá despertos e que trazem estes ensinamentos, que trazem este anelo e estas orientações para nosso trabalho individual, acima de tudo nosso SER, depois de determinado processo de integração. Não quer dizer que isto não possa acontecer por canais físicos institucionais, claro... Mas não é este o compromisso, é algo assumido frente ao Ser e para com o Ser (nosso Ser) e para com esta escola de regeneração que é interna.

Então que o trabalho gnóstico (A Grande Obra) é um conúbio, uma junção de duas forças, uma Humana e outra Divina, cada um destes contribuindo para o Triunfo um do outro.

Conforme o compromisso físico e psicológico que temos frente a Gnosis, conforme vamos avançando em termos práticos, nosso Ser vai recebendo lá na Igreja Gnóstica o direito de participar e até de Oficiar seus ritos, porque sua parte humana lhe responde e por isto tem o direito de desde lá, desta santo lugar, lhe enviar eflúvios para que continue trabalhando e ajudando aos seus irmãos na Terra e a si mesmo.

Enquanto aqui, como pessoas, vamos sendo submetidos as Provas Iniciáticas e todo aquele processo relacionado a Iniciação, nosso Ser vai igualmente vivendo a nível Esotérico sua premiação pelos seus e pelos nossos esforços.

Diz o Mestre Lakhsmi:
"Quando a pessoa vai ganhando aqui méritos, o Íntimo na Igreja Gnóstica vai passando por diferentes processos da Iniciação. Lá ele carrega a cruz ao redor do Templo e recebe cada Iniciação frente ao Logos, cada vez que no Templo ou na Igreja, se celebrem os Ritos regulamentares de cada semana. Lá o Íntimo vai recebendo tudo aquilo. O dia em que por qualquer razão, o filho comete uma falta aqui, degradam ao Íntimo lá."

O Triste é que o dia que esta pessoa falha, quando não responde adequadamente ao que aquele Ser precisa estar fazendo para cumprir com o que lhe corresponde, lhe tiram lá algo, graus, condecorações, direitos... e sinceramente é muito triste poder perceber o sofrimento daquele que jamais deveria sofrer.

Por isto que se faz tão, mas tão importante, que a cada momento busquemos estar em posse desta consciência, vivendo sim, atuando sim, mas sempre tendo como ponto de partida a consciência, o Ser, porque assim sabemos o que nos corresponde como pessoas.

Vejam que falo por experiência, é muito terrível passar por processos aonde fisicamente nos ordenam uma coisa e o Íntimo e o que a própria Loja Branca (A Santa Igreja Gnóstica, lá nos mundos internos) nos determina é outra distinta, são choques para a consciência ter de escolher o caminho correto e não se deixar adormecer pelos sistemas, ainda que religiosos, ou o que sejam.

Então sejam capazes de seguir isto, irmãos, seguir ISTO, este impulso do Ser, não fazer bobagens e justificar que são coisas internas, por Deus não.
Que não se deixem adormecer por nada, ainda que pareça justo ou certo. Porque a Obra, a Missão de nosso Ser pode ser uma coisa, e o que GOSTARIA de fazer a pessoa humana é outra totalmente diferente.

Certamente que qualquer coisa que não esteja de acordo com este Ser e com o que nos orienta esta Loja Branca interna, esta Santa Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores, é um equívoco. A Pessoa humana poderia transmutar até o fim da vida, sendo casto, tratando de buscar eliminar o ego, sacrificando-se pela humanidade, mas se não faz isto de acordo com o impulso de seu Ser e sob a guiatura da Loja Branca, vai ao Abismo, porque vai.. porque a pessoa humana não pode salvar-se, salvam-se extratos anímicos disto que somos, se realmente estamos servindo ao motivo de nossa existência, que só sabe o Ser.

Por isto que se fala tanto em inspiração, em meditar-se, em avaliar os detalhes da vida por meio da reflexão, porque é uma convocação para que o Ser se faça presente, para que se conecte com a consciência e nos mostre o que realmente é necessário ser feito, o que precisa ser aprendido.

Quantas pessoas sonham com sair em astral, com serem clarividentes, sair em Jinas quem sabe, mas não entendem que isto, são conseqüências naturais de esforços conscientes e destes padecimentos voluntários para este Despertar da Consciência.

Para que Sair em Astral? Qual o motivo de poder ver uma aura, ou um elemental? Entendem? Porque o Ser daria isto se seria simplesmente a perdição de uma pessoa.
Um Clarividente que fique comentando que um é luxurioso ou que outro é negativo (pessimista), pelo fato de VER isto na aura de alguém, não é mais que um Mago Negro.. de que adianta? Que bom uso faria esta pessoa?
Sair em Astral para ficar rodeando por aí e quem sabe se metendo em buracos tão profundos que talvez jamais consiga sair, fazendo pactos ainda que inconscientes? Pois o Ser não libera, a Loja Branca não autoriza, e que digam estes que tanto tentam.

Claro, fazemos a prática, fazemos porque nos serve de treino, estamos ali integrando-nos exercitando a consciência, no dia que lá em cima digam: "- Bem, ele tem merecimentos, ele fará o uso justo desta habilidade, lhe tirem esta amarra e lhe dêem o dom."
Bem, neste dia sim poderemos, porque o Ser está de acordo que este dom não será nossa perdição. Por isto dizemos dom de Deus, porque é dele, não nosso.

Algo que muitas vezes fica mal entendido é que o Iniciado é o Intimo e não a pessoa, a pessoa é quem é submetida as provas.
Imaginem se a cada erro nosso, perdêssemos uma iniciação, ninguém se auto-realizaria, por isto quem recebe isto é o íntimo.
Nós estamos no chão, ainda compara o Mestre que para baixar mais só se cavássemos um buraco, porque já estamos no chão, não há aonde baixar mais, não temos como cair, já estamos caídos.

Então que o Ser vai acumulando tudo isto, ele de lá nos dá o impulso, aquele anelo de fazer o que ele nos orienta, nos dá aquela inspiração, nós por nosso lado temos que estar conectados com isto, buscando perceber tudo aquilo que nos chega por estes sentidos superiores.
Quando a pessoa humana chega até certas alturas, ele vai entregando aquilo, e aí sim quando já não tem mais risco de que caia, vai se integrando com ele, isto é a Iniciação.

Claro que a cada erro nosso aqui, lá em cima tiram algo dele, de nosso Pai, mas é muito distinto do que seria se quem recebesse tudo isto fosse a parte humana.

Diz o Mestre Lakhsmi sobre isto:
"O dia que a pessoa humana comete uma falta, chamam o Íntimo e lhe dizem: "Sua pessoa humana cometeu esta falta": portanto, o Íntimo sai pela porta que entrou. O Íntimo fica flutuando em um espaço, deixa de ser membro ativo da Santa Igreja Gnóstica porque essa pessoa, esse filho, aquela criatura não foi capaz de manter-se dentro de uns parâmetros, de uma disciplina e de um trabalho reto."

Há momentos difíceis na vida dos Iniciados, muitos deles estão relacionados com a desobediência desta parte humana para com este Íntimo e para com os desígnios da Loja Branca.
Por isto que muitos não sentem esta inspiração, não recebem este ânimo pelo trabalho, porque o Ser lá em cima não está aonde deveria estar, e por não estar de acordo conosco, com o que estamos fazendo, igualmente não pode se manifestar em nós.
Por isto que é tão delicado ensinar coisas que emanem do Ser, porque a pessoa está lá, inspirada, fluindo e de repente vem um eu e diz algo que não está de acordo com o que o Ser está ensinando. Pronto, ali naquele momento o Ser se retira e fica a pessoa lá quem sabe dizendo umas quantas bobagens; ele se retira porque ele não pode estar de acordo, validando o que a pessoa lá em baixo está dizendo, porque não veio dele. Entendam, não são palavras em si, mas o sentido.

Por isto que algumas vezes quando lemos as palavras que nos deixaram os Mestres, nós sentimos coisas lindas, maravilhosas... porque este diálogo (quando lemos um livro lá está o Mestre falando com nós) nos permite mesmo que por alguns momentos, nos pormos a SENTIR, a observar nosso Pai, e nos integrarmos com ele, porque aqui estamos flutuando junto a aquela atmosfera que as palavras criaram... Uns dirão que são as palavras do Mestre, mas é que o Ser daquela pessoa pode chegar até ela, esta pessoa humana permitiu com que seu Ser lhe enviasse aqueles eflúvios.
No Momento que já perde aquele estado, ou no primeiro delito que cometa, já retorna para aquele vazio interno.

O Que dirá então quando este elo se faz perfeito, quando o Ser e esta pessoa estão de acordo, com uma fluidez perfeita, quando este Íntimo está lá naquele sagrado lugar, quem sabe oficiando naqueles momentos, na Santa Igreja Gnóstica dos Mundos Internos, isto preenche uma pessoa, mas temos que fazer por merecer como humanos, porque o Ser esta lá esperando que façamos isto para que possa nos enviar o que necessitamos, e não apenas para nossa Obra, mas para a de nossos irmãos, porque ele cumpre funções neste sentido.

E o Mestre continua explicando:

"Deixou de ser membro da Igreja nos mundos internos e por isso, não há essa ponte do Íntimo com a Igreja Gnóstica Interna e da Igreja Gnóstica Interna ao coração da pessoa, porque esse é o nexo e esse o caminho que se segue."

Nos causa muita dor, certamente é isto que faz o coração de nosso Guru sangrar, assim como de nosso Pai e nossa Mãe, não estarmos dispostos a receber o que nos dão, sendo que a todo momento pedimos isto, oramos e não fazemos o esforço prático e real para que isto aconteça.

Quantos irmãos são Sacerdotes, Isis, quem sabe são instrutores a nível público desta humanidade, no entanto falam como pessoas humanas, falam com um intelecto cheio de teorias, falam com amargura e com conceitos que nada, absolutamente nada tem a ver com esta Luz que nos ilumina desde estas regiões superiores.

É Isto que tanto nos choca ao observar os fatos, que temos tudo irmãos.. temos livros e livros cheios de informação, teorias claro, porque não vivemos, mas são fatos que devidamente estudados e submetidos a luz da consciência podem determinar o Despertar de nossa Consciência.
Não é justo irmãos, não é justo, que se continue vivendo esta vida mecânica, dia após dia perdendo tempo, deixando de lado esta inspiração, esta harmonia, este amor, esta Luz que nosso Pai bem amado com tanto esforço, tenta a cada instante e momento nos entregar.

"Reflitamos! Isto que estamos falando aqui, sinceramente merece que o submetamos a meditação, à reflexão na vida diária. Saber que nosso Íntimo, nosso Pai Interno é um oficiante, um membro ativo da Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores graças a esse labor que se está fazendo através de nós; ou seja, que temos aqui o dever de manter-nos firmes no caminho para não traí-lo; porque se traímos a Doutrina, ele será expulso. Nós respiraremos como uns bobos e tolos, subindo e baixando e talvez, até comendo pão e vinho, crendo que estamos fazendo algo, porém ele foi expulso da Igreja Gnóstica; então não seremos uns externos, mas sim uns profanos da Doutrina a este nível." - V.M. Lakhsmi.

Como diz o Mestre Lakhsmi neste estudo: "Isto é Sétima Câmara", mas o que podemos fazer se realmente há pessoas por aí que verdadeiramente estão dispostos a viver estes ensinamentos? Temos que entregar.

Para que não se fracasse neste caminho, cada um precisa ser capaz de ir aprendendo a seguir este caminho, ir realizando esta Obra que o Ser impulsiona. Se cumprimos com isto, jamais vamos ser um obstáculo na Obra de nosso Irmão, porque compreendemos que assim como nós, aquele que vai lá, por mais estranho que possa parecer seu caminho, somos capazes de sentir, que vai com seu Deus dentro, então segue um plano, tem um destino.

Quando esta pessoa humana põe como um obstáculo frente ao trabalho de outro irmão, e aquele que foi obstaculizado cai, pode que leve junto este primeiro, por isto que é tão delicado isto.
Se você não ama a seu irmão (se ainda não desenvolveu este sentir), se não faz isto por respeito a ele e ao Deus que este irmão leva dentro, não seja um obstáculo para sua própria Obra, porque as conseqüências disto será um prejuízo para nós mesmos e para nosso Pai.

"Que ajuda pode seguir recebendo fora da vida celular aquela pessoa que lhe falta o Íntimo, sendo a pessoa a ponte entre o Íntimo e a Igreja? A Igreja não é um salão ainda que apareça lá como um salão transparente, nos diz o Mestre Samael; porém do Coração da Igreja Gnóstica emana a força que vai chegar a cada pessoa ao coração. Isso é dado pelo Íntimo desde a Igreja Gnóstica." - V.M. Lakhsmi

É Natural e é necessário que haja toda aquela luta física, no que diz respeito à aqueles que não estão de acordo com o que estamos realizando, isto porque se faz necessário para que o Ser lá se glorifique graças a, cada dor, cada angústia que a pessoa humana tenha que passar aqui por estar seguindo com a Obra que lhe encomendam. Porque fomos capazes de por meio d'ELE, sairmos triunfadores frente a todos estes eventos da vida.
Por isto dizemos que é um Mestre e se perguntam Mestre do que? Da vida, porque soube eleger seus caminhos a ponto de chegar ao estado aonde aquele homem na Terra já o vemos como um Íntimo, perfeito, integrado, cheio de Luz, cheio de Sabedoria, cheio de Amor, de compreensão e tantas virtudes que emanam desta santa ordem e de seus Mestres. Percebem que dizemos Mestre Samael, porque SAMAEL, como SER, como principio divino soube como guiar e levar aquela vida humana a nível físico, vital, astral, mental, causal pelo caminho justo até que se integrasse com ele. Por isto que assinalamos o Mestre, porque vemos que o aqui o filho o obedeceu. Não é que lá esteja o nosso Mestre, que Samael é o meu ou o seu Mestre.
O Avatara Samael é nosso guia, como para muitos são alguns outros Mestres que temos tanto amor, respeito e carinho, mas o Mestre precisa ser nosso Ser, pela obediência que temos para com ele.

Então se não conseguiram ainda hoje cumprir com isto, que não se desista, porque se sente este anelo, se existe esta inspiração que está disposto, é porque lá em cima, em alguma região daqueles céus infinitos, seu Pai lhe entrega seus eflúvios que quiçás permitam que com este ordenamento, com esta instrução da parte humana, possa este vir servir de veículo de expressão deste Íntimo, nosso Real Ser, nosso Mestre Secreto.

Deixamos por fim mais algumas palavras do V.M. Lakhsmi sobre estes Mistérios da Santa Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores:

Um Oficiante da Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores, pode chegar à terra e dizer.: "Paz aos Homens" e o que se recebe? Paz de imediato, porque na Igreja Gnóstica há Paz, Harmonia, Amor, Música, Alegria do Espírito. O dia que nosso Ser esteja oficiando no coração, na Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores, nós nos inundamos de Paz, de harmonia e por isso, de uma força Superior para vencer aqui, ao traidor.

Queridos irmãos, o dia em que nos consagremos à Igreja Gnóstica, à Doutrina de meu Senhor, o Cristo, amaremos profundamente a Gnosis; esse dia, nosso Ser entrará vitorioso à Igreja Gnóstica e lhe entregarão (aonde estão os Guardiões) um bastãozinho, que é o Cetro de Poder. Esse Cetro de Poder o dão ao Íntimo, como herança através da Vontade, do Amor e da Força que vão dando à Pessoa para que se defenda aqui, das perseguições das forças negativas; e assim como ele entra vitorioso à Igreja Gnóstica, floresce na aura de seu filho, reaparece a aura, símbolo do arco-íris, como pacto de Deus com o Homem. Dali em diante, se conhece aos Iniciados pela aura que têm. Se sabe quem é um Verdadeiro Consagrado à Igreja porque seu Ser está na Igreja Gnóstica, vitorioso, glorioso, recebendo os prêmios do trabalho que estamos fazendo aqui na terra.

O trabalho é um conúbio entre o Pai que está lá e a pessoa que está aqui na terra; por sua vez, o Pai está dando à pessoa todas as armas para que possa defender-se, lograr a passagem pela vida e extrair dela todos os valores conscientivos para realização da Obra.

Geralmente quando o Pai se glorifica lá, a pessoa sofre muito aqui; por isso dizia o Senhor.: "Quando meu Pai se glorifica em mim, tenho que passar por muitos sofrimentos". À medida que vamos sofrendo e sentindo a dor, o Pai vai recebendo seu prêmio, sua glória, vai se glorificando lá com nossa Bendita Mãe, como recompensa pela Obra que estamos fazendo aqui.

Por isso o Mestre Samael disse: "Quando estamos aqui, muito felizes, tranqüilos, é quando menos oportunidades temos" porque o Ser está lá em sua Glória, porém não está recebendo o prêmio desse sofrimento quando estamos passando pela Via Crucis que devemos viver. O Ser vive primeiro esse sofrimento, para que posteriormente, nós o imitemos.

O Ser vive todo o Drama do Adorável na Terceira Iniciação de Mistérios Maiores e nós vivemos todo seu Drama na Quarta Iniciação de Mistérios Maiores. Cada vez que se apresenta para nós uma situação difícil dizemos: "Estão me castigando!"; "Que Karma tão terrível!"; é porque o Ser está se glorificando lá, pela Obra que estamos fazendo aqui. Nós fazemos a Obra em meio a dor e o sofrimento. Quanto maior seja a dor, quanto maior seja o sofrimento e as etapas sejam mais difíceis, mais glorificado é o nosso Ser. Isso é assim!

Quem vai fazer a Iniciação, se o Ser não está integrado lá? Quem vai dar-lhe força? Quem vai dar-lhe organização? Tudo isto o Pai dá através desta determinação que vem da Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores. Toda pessoa, chame-se como se chame, seja na Idade de Ouro como na Idade de Ferro, para Auto-realizar-se, seu Ser deve habitar na Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores. Desde a criação isso tem sido e será assim, até a consumação dos séculos porque só através da Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores é como podemos lograr nossa redenção, de resto, não!

Se não nos decidimos a fazer a Obra aqui, esse Íntimo ainda não pode estar integrado à Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores. Como vamos nos integrar, se ele não está integrado? E como ele vai se integrar se nós não queremos fazer a Obra?

"Nega-te a ti mesmo, toma tua cruz, e siga-me", foi a consigna do Ser do Mestre.

Ao negar-se a pessoa, de imediato o Íntimo entra a oficiar no Templo Interno e por conseqüência, no coração da pessoa. O coração de qualquer de nós está intimamente relacionado com a Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores. Quando o Ser está oficiando aqui, indiscutivelmente, nós estamos fazendo a Obra.

Percebem porque o Cristo dizia: "O Filho do Homem"? O Ser se auto-realiza com a colaboração, com a Obra que nós, como humanos fazemos. E nos integramos a ele, como um prêmio que ele nos dá pela Obra magistral que tenhamos feito na terra. Todo o drama do Senhor temos que vivê-lo, isso é assim e bendito o que nos ajude por aí! Nesses momentos quando a pessoa está enamorada, cheia de crenças, pensando que é grande, lhe dão um duro e lhe põe a cabeça contra o piso, benditas são as pessoas que lhe dão duro! Porque ali é quando se recebe verdadeiramente, a glorificação do Ser.

O Ser glorifica àquela pessoa que com Amor e resignação, sofre aqui pela Grande Obra. A Iniciação é aquele compêndio de coisas que vão integrando-se na pessoa quando nos decidimos a Morrer, a Sacrificar-nos e a nascer; então, o Ser vai se glorificando lá, por todas as dificuldades que passamos aqui. Vejam! Um dos sacrifícios mais terríveis que temos que fazer na terra, é "Sermos Castos".

Na Terra, a Obra está em nossas mãos e no Céu nas mãos de Deus; porem, vejam, uma resvalada aqui, é motivo de estancamento da parte interna. O dia em que a pessoa se decide a viver o ensinamento, nesse dia o Íntimo entra vitorioso; se é um velho Iniciado, lhe põe as vestimentas que outrora teve; se é pela primeira vez, (agora quase não há, porque sempre são velhos Iniciados que tem feito a Obra em outras épocas) o Íntimo entra todo vitorioso, lhe entregam o bastãozinho e se senta à Direita do Pai; ou seja, na parte direita do Altar porque ali aparece o Altar como o Pai.

Se senta ali e desde já lhe manda seus eflúvios de Amor, de força e de inspiração ao filho; então a pessoa inicia a sentir alegria e diz: "Ah! Me sinto tão feliz!" Isso é porque o Íntimo está a direita do Pai mandando-lhe harmonia para que a pessoa humana se reestruture, se revista de poder, de força e de inspiração aqui na terra, para fazer a Obra. O dia que comete a falta, Deus nos favoreça! O Íntimo sai pela mesma porta que entrou e fica fora sem suas ostentações, porque essa é a Lei da Katância que o abarca porque o filho não teve suficiente vontade e organização para permanecer aqui.

V.M. Lakhsmi

Paz Inverencial!

24/08/12