CLXV
Textos sobre Religião
O Mistério do Nome Secreto

"Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe." - Apocalipse 2:17

Alma somos, corpo temos. Esta é a grande realidade que se incompreendida prende as pessoas em um sistema materialista e mecanicista.

Todos nós no decorrer dos séculos, das eras e até das humanidades já tivemos muitos nomes que nos foram dados, nomes estes que servem para uma identificação de individualidade dentro do âmbito social, físico, material.

Além deste nome cotidiano, corriqueiro que recebemos a cada nova existência, quando da formação de uma nova personalidade, temos todos um nome sagrado, um nome que é o mesmo e sempre será o mesmo dentro do que é a eternidade.
Este é o verdadeiro nome, o único nome que tem o Ser, o que é real e o que é verdadeiramente eterno de cada um de nós.

Este nome, a totalidade deste nome espiritual é sempre composto por três palavras, uma que corresponde ao Pai e outras duas que correspondem as duas Almas, a Humana e a Alma Divina.

Quando o V.M. Samael Aun Weor, estava no início de seu trabalho, ele se apresentava como Aun Weor (Verbo de Deus), pois era o processo que estava vivendo, se preparando como Bodhisatwa (Alma Humana de um Mestre), para quando Samael, o Pai, fosse encarnado, pudesse exercer o nome sagrado Samael Aun Weor.


Nos é difícil atrelar o uso destes nomes as iniciações, porque mais depende da missão e do processo que viva aquele Ser dentro do que são os processos iniciáticos das Três Montanhas, do que o que possa estar vivendo sua Alma Humana.
O V.M Samael, já usava o nome Aun Weor, estando em iniciações menores.


Hoje em dia há muitas dúvidas de como proceder no sentido destes nomes. E Entendemos seja natural do caminho, que cada um conforme vá avançando, conforme vá despertando sua consciência, vivendo estas experiências internas e espirituais, acabe com se deparar com informações e mistérios relativos ao o que seja o Ser de cada um.

Saber o nome do Ser, e estar apto a usá-lo, ou existir a necessidade de utilizar este nome, são coisas completamente diferentes.


No livro da vida, o livro do destino de cada um, aonde ficam impressos os karmas e eventos que cada um deve passar, encontramos sempre sob o nome secreto de cada um.

O Nome Personalidade humana nada mais é do que uma máscara, um substituto que cada um necessita usar, até que em uma existência se equipare, se integre com seu Ser, e quando já não haja mais a personalidade intervindo, ou os defeitos impedindo a expressão, já havendo por meio da iniciação, da pureza, da Obra que cada um tem que realizar, este integração com o Ser, então sim, se houver necessidade, dependendo da Missão, o Ser fará público ou não este nome.

Nos mundos internos existe uma cerimônia aonde estando presentes os Mestres da Loja Branca, ao final deste cerimonial, é desvelado para a pessoa, o nome de seu Ser. Quando esta cerimônia ocorre, o próprio Ser entrega a esta Alma Humana, fiel a seus ordenamentos e a seus desígnios, a Coroa e o Cetro de poder para que este Adepto possa por ele mesmo, defender-se dos tenebrosos.

Este é o problema de desvelar o que não deve ser desvelado, antes de certos processos e certos eventos internos.
Porque por um samadhi que possa chegar o iniciado em meditação, ou uma recordação de eventos de existências anteriores, poderia sim, recordar, conhecer, realmente reviver experiências que nem sequer são da Alma Humana, mas do próprio Ser e desta forma conhecer seu nome, o nome que em parte é seu, quando unido ao Íntimo.

E Sem o manto de proteção do Ser, para fazer-se invisível as hostes tenebrosas, sem o cetro (O Kundalini, a espada de fogo) para defender-se, pois seria aniquilado.


Como o momento atual que vivemos, é um momento aonde se exige esta integração com o Ser, esta mística, esta constante prática de vivermos conscientes, fazemos este alerta quanto ao como proceder em relação a estas experiências, que dentro do possível, deve manter cada um para sí, para não correr o risco de profanar o que não deve ser profanado... mas para que no momento certo, de acordo com a vontade do Ser de cada um, possa ser revelado.

"O Mistério do Nome Secreto de cada um de nós é terrivelmente divino." - Samael Aun Weor

08/05/13