CLXV
Textos sobre Religião
O Poder da Oração

Orar, rezar, é conversar com a Divindade, seja ela o todo, ou parte do todo que compõe o Grande Deus que é a soma de todas as demais divindades.

Assim como o homem é uma unidade, e dentro dele existem sistemas (digestivo, respiratório, nervoso), existem órgãos, existem células, moléculas, átomos; assim Deus é uma soma de muitas forças e princípios.


Quando nós pedimos algo para uma destas divindades que habitam o Cosmos, seja para algum Anjo, Arcanjo, ou até mesmo para as forças primárias da natureza como o Pai, o Cristo, o Espírito Santo, é necessário que haja uma integração com estas forças, dentro de nós mesmos.

A Divindade não escuta nossas palavras, até porque são linguagens humanas e isto serve de comunicação para com outras pessoas, não chega até estas regiões aonde vivem e habitam a parte espiritual destes Deuses.

O Que a divindade sim percebe, quando oramos em nosso dia a dia, é o sentir que temos frente ao que queremos transmitir.
O Inverso é o mesmo, a divindade tem uma linguagem própria que não é a que conhecemos, uma linguagem sagrada e desconhecida para nós, compreensível por meio de nossa Consciência, quando Desperta. Quando a divindade quer nos dizer algo, ela utiliza este mesmo meio que ela nos percebe, que é este sentir, este impulso espiritual.

Quando pedimos algo, podemos simplesmente falar palavras, sem qualquer sentido real por detras das mesmas, mas isto é como pedir perdão sem realmente estar arrependido. Por isto que na oração, mais vale fazer uma vez e quando realmente sentimos necessidade, do que ficar repetindo palavras de forma mecânica e sem qualquer sentimento espiritual por detrás delas.


A Verdade é que temos que aprender a orar, se é que queremos realmente que nosso Deus (Pai-Mãe), e que as demais divindades que regem o mundo e os aeons (regiões da natureza), nos assistam.


Um homem que necessite algo, algo realmente justo, de preferência espiritual, pode claro cristalizar e obter o que seja sua necessidade, sua vontade, desde que integre-se e respeite os ordenamentos desta parte da Divindade, projetada dentro de nós mesmos, e claro seja a vontade de seu Deus Individual, seu Real Ser, o Cristo Íntimo.
Quando pedimos algo a uma destas divindades, é natural que isto nem sequer chegue a eles, se não temos os dons, as virtudes, os atributos afins com aquela divindade.
Como uma pessoa iracunda, submissa a ira, incapaz de conter-se frente aos eventos da vida, poderia receber os eflúvios da Força como dom que é relativo ao Arcanjo Samael? Pois não é possível.

Porque não existe este Samael dentro de nós (microcosmos), equivalente à aquele Samael externo (macrocosmos), que habita as regiões superiores da natureza.
Por isto não temos como integrar-nos com estas frações de Deus, e obtermos suas graças.

Assim compreendemos o porque que a vida cotidiana é uma grande amargura, e muitos choram, sofrem, lamentam-se e não são capazes de mudar seu destino, liberar-se das amarras que impõe a vida, e a morte.

A Sabedoria e a Virtude, são questões chaves para o êxito neste caminho.

Sê pois justo, dizei apenas a verdade, buscai e distribui a sabedoria, e então sim, tudo vos será dado, todas as portas lhe serão abertas.

Ao indigno, todas as portas estão fechadas, menos a do arrependimento.

"Vigiai, perseverai, ainda vos resta tempo" - Ritual Gnóstico

16/05/13