CLXV
Textos sobre Religião
As Sete Sendas


Temos no mundo todo tipo de Almas, com as mais diferentes pré-disposições.
É Óbvio que cada pessoa tem um sentir diferente frente ao que é o mundo e uma maneira diferente de portar-se frente aos eventos da vida.

Há pessoas que vivem a vida, mas que podendo, deixariam de viver, separar-se-iam do drama cósmico se pudessem e deixariam a dor existencial para trás.

Há os que amem a natureza e que lhe encante a beleza dos animais, dos vegetais, dos minerais.

Também há pessoas que vivem para servir, que vivem sua vida em prol das demais, e sacrificam-se sempre que podem pelo bem estar comum e a necessidade das pessoas.

Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo, diz o primeiro mandamento.
Certamente este é o maior mandamento para aqueles que escolheram o caminho reto.
Diz o Cristo quando se preparando para viver seu drama cósmico: Se é possível afasta de mim este cálice mas que se faça a tua vontade, não a minha!”

Diante de todos os homens, abrem-se diariamente estas possibilidades, seja de estudar e auxiliar as plantas, animais e vegetais, seja de auxiliar a outros seres humanos, sejam de isolar-se, ou seja auxiliar ocultamente à aqueles que servem a humanidade ou a própria humanidade.

Isto em certo momento do caminho e da Obra de cada um, converte-se em um processo de escolha aonde tem que objetivamente definir-se entre sete possíveis caminhos.
Quatro opções têm o homem, e isto o leva a oito caminhos, sendo sete relativas à Maestria e um ao fracasso.

Quatro sendas que transformam-se em oito sendeiros.
A Via Direta;
A via Nirvânica;
A Via da libertação intermediária;
A Via dos fracassados.

A Via dos fracassados se refere à aqueles que deixam-se levar pela vida e fracassam em perfeccionar-se, em tornarem-se realmente homens.
O Que chamamos Maestria na verdade nada mais é do que o simples fato da pessoa verdadeiramente converter-se em homem.
A Atual humanidade, todos nós nada mais somos do que animais intelectuais que nos auto-denominamos homens, equivocadamente.

Para termos o direito de sermos chamados de Homens, necessitamos não mais ter defeitos e possuir os cinco corpos internos solarizados. Isto é um homem.

Os que não tem o impulso de realizarem a obra ou que fracassam na senda, são os que vão pela via dos fracassados.

A Via nirvânica é o afastamento absoluto da existência e da ajuda mesmo que interna para com a humanidade, são paraísos de felicidade e de beleza realmente indescritíveis.

A Via de libertação intermediária se refere a trabalhos nos mundos superiores, não absolutamente afastados da humanidade, como é o caso do nirvana que deixa para trás a humanidade, mas causa este estancamento, por ser uma ajuda desde uma posição segura e confortável.

A Via direta é o autêntico sacrifício, é a luta dentre o reino humano por ajudar e auxiliar diretamente a humanidade.
A Via direta dizemos que é o caminho reto, porque não é o afastamento absoluto nem este afastamento intermediário. Vamos ao local do fogo vivo da vida, e ao mundo das possibilidades o que realmente é o caminho do meio, é aonde se forjam os Deuses e os Demônios e aonde também constantemente surgem fracassados.


"Depois de todos esses processos recapitulativos, tive que enfrentar, valorosamente, um guardião nirvânico terrivelmente divino.
O bem- aventurado Senhor de Perfeições, mostrando-me a senda espiral nirvânica, disse: “Este é um trabalho bom.” Depois, assinalando a via direta, exclamou com grande voz, como quando um leão ruge, dizendo: 'Este é um trabalho superior.'
" - As Três Montanhas, Samael Aun Weor

"Ao longe podia se ver algumas pessoas subindo a escada do caminho espiralado. Claro que tive o ímpeto de investigar aquele belo lugar e olhar mais de perto uma das escadas, a título de conhecimento. Fui em direção a escada que correspondia ao numeral 5, e havia enfeites que brotavam água, e ao me aproximar da escada para olhar com mais cuidado... em minha direção veio um grande leão todo de pedra, o rosto era de uma dama. A Cor daquele divino personagem era cinza como o chumbo ou como a cinza dos vulcões. O Leão veio muito rapidamente se aproximar, claro que não tinha tal criatura nenhuma postura como de ataque, nem por sua movimentação nem de sua face, mas frente a tão terrivelmente divina energia que brotava daquele belo espécime, no físico meu corpo simplesmente teve um reflexo involuntário e literalmente caí da cama e fui parar no chão do quarto." - http://www.clxv.org/textos/clxv/texto.outros.04.htm#Salomao

Há poucos dias, tivemos a chance de conhecer este local sagrado, este Templo Causal aonde os Mestres escolhem o destino que vão tomar frente ao caminho que vão percorrer. Confesso que não nos recordávamos até então de qualquer referência de nenhum dos Mestres à aquele personagem que para nós apresentou-se como um Leão. Mas hoje, pudemos ler isto que transcrevemos, do livro As Três Montanhas.

No Templo de Salomão, local aonde os Mestres cristificados em seu veículo causal devem escolher por uma das Sete Vias possíveis, surgem Três caminhos e Sete Possibilidades.


O Primeiro é a Reencarnação e seguir ajudando à humanidade;
O Segundo é ajudar a humanidade desde as regiões superiores da natureza;
O Terceiro é abandonar à humanidade e submergir ao Nirvana, que é o paraíso intermediário.

A Reencarnação para o auxílio da humanidade, o caminho reto, o caminho duro, o autêntico sacrifício que é o que permite a dita de ingressar na supra-felicidade do Absoluto e é realmente amargo e tem duas escadas que conduzem ao mundo.
Estas duas escadas são representadas pelo número 5 e pelo número 2. O Sete superior representa esta luta pela humanidade, que é o caminho que conduz estas duas escadarias de dor e de auto-sacrifício (2+5 = 7).

Logo abaixo, ao centro, fica o templo aonde são preparados os que futuramente auxiliarão a próxima raça. Ali se define os que tomarão corpo físico e os que permanecerão ocultamente auxiliando, não apenas aos Homens mas toda a evolução elemental do próximo ciclo.

Ainda abaixo (imaginando uma planta vista de cima), ao centro do templo, encontramos três câmaras horizontalmente dispostas, correspondentes à da esquerda ao numeral 6, a central ao 8, e a direita ao 9.
Estas três câmaras são referentes à aqueles que não optaram pelo caminho reto, mas também não optaram pelo Nirvana, e desde as regiões internas auxiliam as Almas e a humanidade em seu processo evolutivo, involutivo e também revolucionário.

Na Câmara central, referente ao numeral 8, encontramos àqueles destinados a tornarem-se Logos do Sistema Solar, os Cosmocratores.
Na Câmara esquerda, referente ao numeral 6, encontramos aos Mestres que regem a evolução dévica, os Devas Elementais.
Na Câmara da direita, que corresponde ao salão representado pelo numeral 9, os Mestres que auxiliam à humanidade desde os Mundos Internos.

Abaixo disto, na parte mais inferior do templo, também na parte mais baixa da planta, encontramos referente ao numeral 0, os Mestres que trabalham na parte Superior do Nirvana.
Abaixo disto, os Mestres que ingressam na felicidade do nirvana. Há duas formas de ingresso ao Nirvana, o 3 e o 4.
Isto se refere aos Mestres que tem o direito a estarem no nirvana, os que são realmente habitantes do nirvana, porque já não tem mais defeitos, e mesmo assim querem viver na alegria do nirvana, e os que lá ingressaram mas não estão realizados realmente, os que estão apenas gozando de umas férias, por assim dizer, da manifestação cósmica.

Eis o mapa interno do Templo de Salomão, suas portas, seus recintos e suas escadarias.


Em verdade vemos que em vida as pessoas já tem se definido por qual caminho tomar. Hoje vemos muitas pessoas integrando-se de uma forma extraordinária com a natureza, demonstrando sua aptidão quiçás ao Caminho Dévico.
Claro que com isto abandonam o supremo sacrifício pela humanidade e outras possibilidades como o Nirvana.

Hoje em dia vivemos períodos aonde em verdade, desde os nirvanís, os Devas, os Logos tem se reencarnado, grande parte dos Mestres tem corpo físico e por isto é tão difícil aos regentes dos planos da Loja Branca coordenar tantos seres com tantas informações, tantas vivências e tanto potencial espiritual.

Claro que cada um destes vem muitas vezes modificar seu destino, ou simplesmente como é o caso dos Nirvanís, prestar uma ajuda, dar um passo na senda espiritual e regressar à felicidade do Nirvana.


Observem um dia de suas vidas, apenas um dia, e verão que região pertencem suas Almas e seu Ser, frente a estas ações que temos tomado.

17/06/13