CLXV
Textos sobre Religião
A Maior Religião é o Amor

No mundo já houveram muitas religiões, mas na verdade, em potência, existem tantas religiões quanto existem homens na face da terra.
Porque a autêntica religião é o amor, não há dúvidas.

Todas as grandes religiões conhecidas, foram criadas por homens que amaram e encarnaram sua Divindade Interior.

Quando um homem encarna a seu Real Ser, e posteriormente ao Cristo Cósmico, ao ensinar aos demais como realizou isto, funda-se uma religião.

O Budismo é o resultado exatamente disto, do drama que viveu uma Alma, por encarnar seu Real Ser (Cristo Íntimo) e posteriormente forças ainda maiores. O Cristianismo é o mesmo drama que viveu Jesus ao encarnar o Cristo Íntimo e posteriormente o Cristo Cósmico.

Claro que há religiões, seitas e instituições que trabalham apenas ensinando parte do caminho, ou a totalidade do mesmo.


A História entre Maomé o profeta e Alá, nada mais é do que o drama que cabe a todos nós vivermos no decorrer destas existências humanas.
Claro que todas as religiões são fundadas em base aos princípios cósmicos, porque é o próprio Cristo, o Exército da Voz, que por meio daquele Bodhisatwa (Alma humana de um Mestre) que cria, ou melhor, plasma, cristaliza estas religiões.

Lógico que quando este Ser que fundou uma destas religiões se retira, ainda outros se aproveitam destas formas religiosas deixadas por este salvador (que salvou antes de mais nada a si mesmo), para buscarem esta integração com seu Ser Interior e com o Cristo Cósmico.
Todas as Religiões são necessárias porque há toda classe de pessoas, e acaba que uma religião não serve a uma pessoa, pelo estágio que se encontre, mas sirva para outra pessoa.

O Materialismo é uma sombra que fica entre a Luz e as Trevas.


Com o tempo, as religiões acabam passando por modificações em suas formas, e sempre acabam afastando-se demais de seus princípios e por fim tornam-se em mais uma sombra sobre a face da terra.
Isto explica o porque de tantos delitos cometidos em nome de Deus, e em nome do Cristo... sendo que são questões contrárias e incompatíveis com o Ser, com o Cristo.


Não há religião maior que o amor. Quem queira professar algo, que professe o amor. Não estamos nos colocando contra nenhuma religião, e sim afirmando a todas elas, porque sua sintese sempre foi e sempre será o amor.

Aquele que ama a seu Deus, torna-se incapaz de cometer um delito, morre em si mesmo para seus defeitos. Aquele que ama a seu semelhante, realmente sacrifica-se por ele porque vê-se a si mesmo ali naquele outro corpo, vê também que por detrás daquela pessoa há um Ser tentando realizar o mesmo, uma Obra. O Amor de um homem para com uma mulher ou de uma mulher para com um homem, é o que necessita-se para a Alquimia, que são estes trabalhos de criação dos corpos solares, para ascensão do Kundalini e a real integração com nosso Deus.
Então vemos que se tomamos literalmente as palavras de qualquer Cristo, Buda, ou como queiram chamar, tudo tem por base o amor. E Quando as religiões afastam-se deste princípio, caem em desgraça.

Somente os Deuses sabem amar, e nesta busca pelo amor, encontramos nossa Divindade Interior.

25/06/13