CLXV
Textos sobre Religião
[CLXV] O Caminho Espiral e o Caminho Reto

Este é um dos temas que vemos é algo muito mal compreendido por aqueles que trilham o caminho, e que buscam realizar a Grande Obra.

Muitos dizem que seguem o caminho reto, o caminho que conduz diretamente ao Absoluto, mas vemos que em verdade, na prática, vão pela espiral.
Não estamos sequer nos referindo a questão do processo da Alta Iniciação aonde se decide o candidato pelo caminho reto ou o espiral, mas na prática da vida.

Na Cruz CLXV, no Símbolo CLXV, vemos há uma linha vertical representando o caminho reto, (180) e uma horizontal representando a espiral [689].

A Vida é a base para estas lutas e decisões frente ao Ser ou ao Não Ser, da filosofia.

Então o que é o caminho reto? O que é o caminho espiralado?

O Caminho Espiral, no caminho, são estes iniciados que resolvem aos poucos, passo a passo, suas debilidades.
Por exemplo... eles na vida tem de repetir muitas vezes um mesmo feito, um mesmo evento, para a cada repetição fazer aquilo de forma mais perfeita, mais divina, mais integrados com o espírito.
Na morte de seus defeitos, são pessoas que hora manifestam seus defeitos, hora lutam contra eles, hora cedem, hora vencem.. e ficam nesta luta, ainda que vão avançando, fazem de maneira espiral, porque recuam, avançam, recuam, avançam com mais força, recuam menos, mas é uma luta demorada, um processo feito como sem pressa por terminar.

O Caminho reto, é chamado por alguns Mestres como Caminho dos Rebeldes, exatamente porque dão tudo para ganhar tudo.
São os que frente a uma debilidade, morrem, ou matam a este defeito, sem recuos, sem desculpas.
É Uma vez, um evento e jamais tornará a repetir-se porque foi devidamente resolvido, solucionado.

Então vemos o caminho reto como algo sem repetições, no sentido de ter de viver as mesmas coisas para fazer elas de maneira superior, porque da primeira vez já fez tudo que lhe cabia fazer.

Isto é algo que talvez os mais antigos no caminho, aqueles que já tem uma boa vivência, vão conseguir entender e captar aonde estamos querendo chegar, o que estamos querendo dizer. Pois nunca é tarde para optarmos pelo caminho reto.

Houveram poucos Mestres, poucos realmente iniciados que optaram pelo caminho reto, porque realmente é um caminho de martírios e de amarguras.
A Espiral é algo doce, porque por mais que haja algum sofrimento, logo ele é aliviado, então novamente se luta, e logo se descansa.
É Como um momento seguir a consciência e outro deixar os defeitos atuarem. Então quando a consciência atua novamente, se integra com mais força, mas logo os defeitos atuam novamente, ainda que em menor expressão.

Para os caminhantes do sendeiro reto já não há mais dias nem noites espirituais, porque para chamar dia, teria de haver uma noite, e sem noite não há dia, somente luz, força e vontade para seguir adiante.


Percebam que há repetições que inevitavelmente vão ocorrer, porque fazem parte da inciação, mas há que se diferenciar a repetição do processo espiritual, como caminho natural para chegar a divindade, de uma repetição de um evento porque ainda não lhe demos uma nota chave (uma solução definitiva, não nos definimos).

O Caminho reto é o caminho do rompimento das recorrências. O Caminho espiralado é o caminho das recorrências sendo dissolvidas, corrigidas, pouco a pouco.

12/08/13