CLXV
Textos sobre Religião
Desdobramentos Religiosos

O Mundo como conhecemos é muito vasto realmente e é difícil perceber ao certo a grande quantidade de nuances psicológicas que tem cada pessoa, seu sentir para com a vida, seu entendimento para com o todo.

É Difícil, muito difícil imaginar todas estas pessoas com tantas diferenças de idéias e ideais sendo regidas pelas mesmas formas religiosas.
O Mundo desde que é mundo sempre teve a presença de Deuses, Mahatmas, Avataras, seres que acompanham a humanidade e que dão a cada cultura, a cada época, uma nova forma para que os princípios universais possam se expressar adequadamente, de forma atualizada e voltada àquele povo.

Se observarmos as expressões religiosas do oriente e do ocidente, vamos ver do que estamos falando, porque pela diferença que tem as culturas, é muito difícil que um oriental sinta-se pleno dentro das formas religiosas do ocidente, da mesma forma um ocidental dentro das formas religiosas do oriente.
Mas nem precisamos ir tão longe, uma simples falta de fé solar, já é o suficiente para que uma pessoa qualquer torne-se inapta para o caminho esotérico cristico autêntico.

Dizem os Mestres que todas as formas religiosas, todas as seitas, escolas, ordens, lojas, cumprem com um serviço que é afastar a humanidade da horrível materialidade, do Ateísmo.
Porque mesmo as religiões cujas formas na atualidade são equivocadas, pelos rumos que tomaram, por haverem distanciado-se de seus princípios, ainda provem material para reflexão e para afastar as pessoas do esquecimento dos mundos internos, das realidades mais além do mundo físico.

No caminho autêntico temos de aprender a respeitar todas estas formas, e a crença de cada pessoa. Afinal cada um é o que é, e nós só temos o direito de mudar a nós mesmos. Nem todos estão preparados realmente para trilhar o caminho Crístico e realizar a Grande Obra.

O Cristo nunca disse que todos chegariam a ele, o que ele afirmou foi que:
“De mil que me buscam um me encontra, de mil que me encontra, um me segue, de mil que me segue, um é meu”.
Com estas afirmações e calculando estas cifras vemos a impossibilidade de alguém realmente encontrar, trilhar e realizar-se no caminho autêntico.

Todas estas formas religiosas tem partes da verdade, ainda que na atualidade simplesmente preguem, ensinem a parte física, material, sem a compreensão dialética sobre o que relatam, mas cumprem seu papel.

O “Desejo” dos Deuses, dos Mestres é realmente que todos se salvem, que todos integrem-se com seu Cristo Íntimo (O Ser de cada pessoa), com o Exército da Voz, o Cristo Cósmico, mas temos de reconhecer tal impossibilidade.


A Natureza sempre gera e acumula grandes reservas de energia, ainda que para suas criações só necessite de uma mínima parte destas reservas, esta reserva que neste momento nos referimos é a humanidade.

Abundam pessoas pelo mundo, infelizmente nem todos aceitam o caminho crístico, reconhecem a Divina Maria (ou como prefira chamar), como sua salvadora, e por este motivo despertiçam sua energia sexual (fornicam, perdem a energia sexual com o orgasmo).

Nas religiões já equivocadas, esqueceu-se o que realmente é este principio divino e como atua dentro do homem, esta é a fatalidade dos tempos atuais.

O Cristo diz: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém chega ao Pai senão por mim”.
E realmente esta é a mais pura verdade, mas aí podemos fazer o adendo que ninguém chega ao Cristo senão pela guiatura da Mãe, porque para que o Cristo possa nascer na pessoa, há que se trabalhar com a Mãe, este principio gerador, este fogo divino, dentro do homem.

11/11/13