zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Religião
Religião Prática

Ainda hoje em dia, vemos muitas pessoas acreditarem e professarem algo que não experimentaram e não viveram, algo muito comum as Religiões as quais tem um caráter completamente Teórico.
Muitas das religiões são transmitidas puramente em forma dogmática, ou seja, com conceitos e teorias inquebrantáveis os quais são um completo obstáculo para a real vivência e o desenvolvimento do indivíduo na Obra que tem de realizar.

Quando surgiu o Gnosticismo, surgiu exatamente esta promessa de uma Religião Prática, de um ensinamento não dogmático o qual se devidamente praticado permitiria ao iniciado vivenciar e compreender por ele mesmo toda a sabedoria e os mistérios ocultos mais além de seus sentidos ordinários.
No entanto vemos que apesar dos esforços de muitos para encontrarem por si mesmos a sabedoria, permaneceram em ignorância, por vezes trevas mais profundas das quais se encontravam no início de sua jornada, em vez da prometida luz.

Ao ler os livros sagrados como a Bíblia e estes contatos entre os Homens e Anjos, ou mesmo a manifestação do Filho de Deus, em uma forma humana... tomamos isto como algo do passado e vivências de uma remota história já ultrapassada, e ignoramos que isto tudo constantemente se repete e compete a cada um de nós realizar isto em nossa própria vida, em nosso dia a dia.

A Verdadeira Religião é a prática, a vivência desta integração com a Divindade, a qual somente se dá pelo sábio manejo de nossas vivências e do despertar destes dons internos os quais nos permitem guiar-nos diante da realidade interna e então aprender por nós mesmos, todas as terríveis verdades as quais vão passo a passo nos conduzindo escala a escala mais próximos de Deus e desta natureza a qual necessitamos para nos aproximar d´Ele.


É Impossível entregar a um homem um conjunto de normas e leis e imaginar que com isto ele se autorrealizará, isto somente é possível quando estas leis o homem compreenda por si mesmo e as tenha encarnado, por assim dizer. E Não necessariamente o homem precisa compreender a teoria ou ter a norma das leis, senão que por suas capacidades internas será capaz de intuir e de integrado com sua Consciência discernir o que corresponde e o que não corresponde em cada etapa do caminho.

Toda Religião que se fundamenta em teorias, e em passados escritos, está fadada ao estancamento e ao dogmatismo, porque a cada momento a vida está em pleno movimento e mesmo as leis mais básicas são constantemente modificadas, de maneira a atenderem a realidade sempre atual a qual vivemos.
Por isto que afirmamos que o único real códice que podemos nos basear no fundo é a própria Consciência e sem dúvida as habilidades internas as quais conforme trabalhamos nos Fatores de Revolução da Consciência, inevitavelmente tornam-se parte integrante de nós mesmos.


Quase nada, podemos dizer, do caminho espiritual foi devidamente relatado ou explicado, em parte por conta daquilo que já explicamos anteriormente, no relativo a infinita particularidade que nos cerca, e esta especialidade a qual pertencemos que já é um desdobramento de uma ramificação única a qual fazemos parte.
Assim que o que nos corresponde viver, em geral é algo tão único, que mesmo que quiséssemos transmitir a outro como passar os processos os quais para nós foram de uma forma, certamente seria impossível aproveitar estas informações para outro, já que nos detalhes, serão aspectos completamente diversos e distintos, como já dissemos, por conta destas personificações que conformam cada um.

No exato momento em que o ensinamento é transmitido em forma de normas fixas e invioláveis, isto tudo torna-se um obstáculo para a vivência íntima de cada um e os processos os quais corresponde cada um vivenciar.
Basta recordar-nos que muitos dos Iniciados do passado já viveram seus processos iniciáticos seja por meio da Música,, seja por meio da Literatura, ou mesmo Esculturas, da própria Ciência e assim por diante.
É Muito triste imaginar que a Obra e que o que nos corresponde realizar seja exatamente o mesmo que a todas as demais pessoas.

Muitos dos ensinamentos "padronizados" que são dados, dos próprios mandamentos em sua forma escrita como conhecemos, são no fundo um patamar inicial, um chamado de atenção mais crucial para que cumprindo com o que é o mais básico, das Leis de Deus, possamos então por Consciência, por Intuição, por uma vivência espiritual, conhecer e ter encarnadas estas leis por uma afinidade daquilo que realmente nos tornamos ao longo desta jornada interna.


A Própria Lei, seja humana, seja divina... sempre considera a circunstância, assim que dizer que uma coisa ou outra é errada, é apenas o mais básico da questão, e além do que em certos momentos, o que em um momento é errado é o caminho acertado a seguir e por outras o caminho comumente visto como certo é o mais completo abandono da espiritualidade.
Se observarmos quantos dogmas surgiram da tentativa da interpretação literal dos livros sagrados e quantos delitos se cometeram "em nome de Deus", vamos compreender o porque é indispensável sermos capazes de por nós mesmos chegarmos a viver realmente estes ensinamentos e assim compreender a realidade por detrás de cada uma destas questões e comprovar na prática tudo que nos é relatado.

Somente assim teremos os primeiros Homens e Mulheres, aos quais foram prometidos um Reino, o qual não é deste mundo.

19/07/16